Governo confirma a adoção do cell broadcast no Brasil

Sistema faz com que todos os celulares numa região de risco comecem a apitar, como se fossem uma sirene. Projeto está parado desde dezembro de 2023.

Thássius Veloso
Por
• Atualizado há 1 mês
Ilustração retrata uma mensagem de texto que diz "Alerta Emergência - Defesa Civil: Risco de inundação ao longo da Rua Coronel Veiga”, entre outras falas. Abaixo há um botão de "OK".
Alerta de emergência apita mesmo quando celular estão no silencioso (Ilustração: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Resumo
  • O governo federal planeja testar o sistema de cell broadcast para alertas de emergência em pelo menos dez cidades brasileiras no primeiro semestre, conforme anunciado por Armin Augusto Braun, diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad).
  • O cell broadcast permite que alertas sejam enviados para todos os smartphones em uma área específica, fazendo-os apitar como sirenes, mesmo se estiverem no modo silencioso ou não perturbe, ao contrário dos alertas via SMS que requerem cadastro prévio.
  • A Anatel e empresas de telefonia já testaram a ferramenta por 14 meses, e ela foi entregue ao Ministério da Integração e Defesa Civil em dezembro de 2023, mas ainda não foi utilizada. A implementação depende da capacitação das defesas civis estaduais e municipais.

O governo federal tem planos de testar o sistema de cell broadcast para alertas de emergência ainda no primeiro semestre de 2024. Caso o cronograma siga em frente, pelo menos dez cidades brasileiras terão a ferramenta que dispara uma sirene nos smartphones dentro do período considerado de risco.

A informação foi dada pelo diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), Armin Augusto Braun, durante um evento no Rio de Janeiro. Ele disse que o ganho de escala do programa vai depender da capacitação das defesas civis estaduais e municipais, de acordo com o jornal Valor Econômico.

Braun destacou que o celular não precisa estar cadastrado para receber os alertas. Conforme exposto por este escriba na semana passada, esta é uma das principais vantagens do cell broadcast em relação aos disparos de alertas por SMS feitos atualmente pela defesa civil.

Ponte Guaíba interditada por causa de enchente
Ponte do Guaíba, entre Eldorado do Sul e Porto Alegre, interditada pela enchente (Imagem: Ricardo Stuckert/Presidência da República)

O sistema de cell broadcast brasileiro bebe da fonte do utilizado em países como Estados Unidos e Japão. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e as empresas de telefonia realizaram testes da ferramenta ao longo de 14 meses. Ela foi entregue ao Ministério da Integração e Defesa Civil em dezembro de 2023. Desde então, está parado.

A tecnologia entrou no radar dos brasileiros devido ao cenário de destruição das enchentes no Rio Grande do Sul. O cell broadcast até poderia, mas não foi usado na ocasião. Outra vantagem deste sistema é que os smartphones de uma determinada área apitam como se fossem sirenes mesmo que estejam nos modos silencioso ou não perturbe, algo que não ocorre no SMS da defesa civil.

Apesar do anúncio feito nesta quinta-feira (dia 16/05), o responsável pelo Cenad não detalhou quais serão as primeiras cidades a receber o sistema.

Relacionados