iPhone testa “modo ladrão” que protege informações em caso de roubo

Ferramenta de Proteção de Dispositivo Roubado bloqueia configurações sensíveis da Apple ID e do aparelho. Para alterá-las, é preciso usar biometria e esperar uma hora.

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 5 meses
Mão segura celular
Tela de Proteção de Dispositivo Roubado no iOS 17.3 Beta (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

O iPhone deve ganhar em breve um novo recurso de segurança chamado de Proteção de Dispositivo Roubado (Stolen Device Protection em inglês). Quando ele está ativado, mesmo que um ladrão tenha o código para desbloquear o aparelho, ele fica sem acesso a senhas salvas ou a configurações sensíveis.

A novidade apareceu no primeiro beta do iOS 17.3, liberado nesta terça-feira (12) para desenvolvedores. Ao ser ativada, a Stolen Device Protection (ou Proteção ao Aparelho Roubado, em tradução livre) bloqueia mudanças como:

  • usar senhas ou chaves de acesso salvas
  • pedir um Apple Card (disponível apenas nos EUA)
  • desligar o modo de aparelho perdido
  • apagar os dados do aparelho
  • usar métodos de pagamento salvos

Tudo isso só pode ser desbloqueado com autenticação biométrica — Face ID, nos iPhones mais novos, ou Touch ID, nos mais antigos.

Algumas alterações terão uma proteção ainda mais forte. São os casos de:

  • mudar a senha do Apple ID
  • mudar as configurações de segurança do Apple ID
  • alterar as configurações de Touch/Face ID ou o código de acesso
  • desligar o app Buscar
  • desligar a Proteção ao Aparelho Roubado

Nessas situações, se o iPhone estiver longe de localizações conhecidas, como casa e trabalho, a pessoa precisará fazer a autenticação biométrica, aguardar uma hora e repetir a autenticação biométrica.

Proteção vem após roubos de iPhones nos EUA

A ferramenta já havia sido revelada pelo Wall Street Journal em fevereiro deste ano. Ela é uma resposta a um tipo de crime que vem se tornando mais frequente nos EUA.

Por lá, criminosos ficam de olho em potenciais vítimas para descobrir a senha de seus iPhones, em lugares como bares e restaurantes. Então, roubam o aparelho, digitam a senha para desbloquear e ganham acesso amplo a vários recursos, como usar o Apple Pay, pedir o Apple Card e acessar contas bancárias, além de trancar o usuário para fora de seu iCloud. Com a nova proteção, isso deve ficar mais difícil.

Com informações: MacRumors, 9to5Mac e The Wall Street Journal

Receba mais sobre iPhone na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados