iOS 18: Você poderá trancar e esconder apps do iPhone

Aplicativos selecionados só serão exibidos após autenticação biométrica e não exibirão notificações, nem informações na busca

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 1 semana
Pasta oculta do iOS 18 só aparece após autenticação (Imagem: Reprodução / Apple)

A Apple acrescentou duas novas opções para proteger aplicativos no iPhone: Lock an App e Hide an App. A primeira exige autenticação biométrica, como Face ID ou Touch ID, para acessar um aplicativo, enquanto a segunda esconde o app completamente. As novidades fazem parte do iOS 18, nova versão do sistema operacional.

As novas opções para trancar e esconder apps são só uma das novidades do iOS 18. O sistema também ganhou mais customizações, um grande redesenho no aplicativo Fotos e novas opções para organizar sua caixa de entrada no Mail. A empresa também apresentou sua aguardada IA, chamada Apple Intelligence, bem como o macOS Sequoia com espelhamento de iPhone e o iPadOS 18, que finalmente vem com Calculadora.

Tela do iOS 18 perguntando se usuário deseja ativar a proteção do app
iOS 18 exige autenticação biométrica para abrir apps protegidos (Imagem: Divulgação / Apple)

Nem a Siri e a busca encontram os apps escondidos

O Lock an App (“tranque um app”, em tradução livre) protege os aplicativos com informações sensíveis, exigindo uma confirmação para liberar o acesso. As informações também deixam de ser compartilhadas com outras partes do iOS, como busca, notificações, sugestões do Spotlight e da Siri, histórico de notificações e sugestões de rotas no Mapas.

O Hide an App (“esconda um app”, em tradução livre) vai um pouco além disso, ocultando completamente um aplicativo instalado — só o usuário saberá que ele está instalado.

Apple segue passos de Google e Samsung

As novas opções para proteger apps no iOS 18 foram anunciadas pela Apple como uma forma de privacidade, impedindo que outras pessoas acessem dados sensíveis quando você empresta seu iPhone para uma ligação ou uma foto.

Na prática, isso pode ser mais importante, impedindo que apps de bancos e cartões sejam acessados caso seu celular seja roubado — algo que se tornou comum no Brasil.

Como faltava ao iPhone um recurso do tipo, usuários recorriam a alternativas improvisadas para proteger apps financeiros, como colocar um minuto de limite de tempo de uso ou criar um atalho para bloquear a tela ao abri-los.

Samsung e Xiaomi são exemplos de empresas que oferecem recursos de pastas secretas e protegidas há alguns anos. Já o Android 15 terá um espaço privado, que funciona como um cofre para aplicativos selecionados.

Não é a primeira vez que a Apple lança recursos de proteção deste tipo. Recentemente, o iOS ganhou um “modo ladrão”, que impede o acesso a configurações sensíveis do iPhone em caso de roubo.

Relacionados