Maioria dos adolescentes recebe mais de 230 notificações por dia, revela estudo

Pesquisa feita nos EUA descobre que alguns adolescentes recebem até 5 mil notificações em 24 horas. Maioria passa mais de 4 horas usando o smartphone.

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 7 meses

Como você já deve ter observado, adolescentes passam muito tempo no celular. Além disso, são muitos estímulos para continuar usando o aparelho. Um estudo descobriu que os jovens ficam, em média, mais de quatro horas por dia acessando o smartphone, e alguns chegam a receber 5 mil notificações em apenas 24 horas. O TikTok é o app mais “viciante”, e os aparelhos são checados por usuários dessa faixa etária cerca de 50 vezes por dia.

Cuidado com as informações postadas protege contra stalkers (Imagem: Rami Al Zayat/Unsplash)
Alguns participantes do estudo chegaram a passar 16 horas por dia no smartphone (Imagem: Rami Al Zayat/Unsplash)

A pesquisa foi realizada pela organização sem fins lucrativos Common Sense Media e pelo Hospital Pediátrico C. S. Mott, da Universidade de Michigan, nos EUA.

Ao analisar os dados de tempo de tela de adolescentes entre 11 e 17 anos, o tempo médio de uso do smartphone foi de mais de quatro horas. O estudo, porém, destaca que esse valor varia muito. Alguns participantes usavam alguns minutos por dia. Outros chegavam a impressionantes 16 horas.

Um ponto a se observar é que alguns adolescentes relataram que nem sempre estão prestando atenção na tela: eles colocam filmes, vídeos ou músicas para tocar enquanto estudam ou fazem tarefas domésticas.

TikTok é o líder em tempo de uso

Entre os aplicativos usados por mais tempo, o TikTok é o líder disparado. Entre quem usa, a maioria passa mais de 1 hora e 50 minutos por dia vendo vídeos curtos, e um a cada quatro passa mais de 2 horas e 57 minutos.

Outros apps populares não chegam nem perto desses valores. O YouTube tem uma mediana de 40 minutos diários, enquanto o Instagram tem uma mediana de apenas 16 minutos. A mediana é o valor “do meio” de um conjunto de dados. Isso significa que metade das respostas está abaixo desse valor, e a outra metade, acima.

Notificações podem chegar a 5 mil por dia

Outro aspecto é que os smartphones são checados com frequência. A maioria dos participantes da pesquisa pega o telefone mais de 50 vezes por dia.

Alguns adolescentes chegam a conferir mais de 400 vezes ao dia. Entre os adolescentes com 13 anos ou mais, a maioria checa o celular mais de 100 vezes por dia.

Uma parte disso tem a ver com as notificações. A maioria dos participantes recebe mais de 237 notificações por dia. Os números variam bastante, alcançando valores extremos, como 5 mil em apenas 24 horas. Snapchat (ainda muito popular nos EUA) e Discord estão entre os que mais enviam alertas.

O estudo também avaliou quantos engajamentos (como visualizar ou responder, por exemplo) com notificações acontecem durante o dia. Metade dos adolescentes interage com 46 ou mais notificações em 24 horas, o que sugere que três quartos das notificações são ignorados.

O que fazer?

“O design e as escolhas de marketing feitas por empresas de tecnologia para alcançar seus objetivos de negócio dificultam que usuários jovens larguem seus smartphones”, dizem os autores.

Eles recomendam que pais e responsáveis conversem sobre esses assuntos com os adolescentes. Como muitos dos adultos também usam estes mesmos apps, é importante conversar com os mais jovens e dividir experiências sobre como os smartphones afetam humor, concentração e sono.

Com informações: Common Sense Media (PDF), Insider, TechSpot

Receba mais sobre EUA na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados