Netflix desiste de botão “Títulos Aleatórios”

Ferramenta havia sido liberada para o mundo inteiro em abril de 2021; recurso recomendava produções compatíveis com o usuário

Paula Alves
Por
Netflix
Netflix (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Sem muito alarde, a Netflix removeu o botão “Títulos Aleatórios” da sua plataforma. O recurso foi descontinuado ainda no mês passado, pouco antes de completar dois anos de criação. Embora tenha nascido como uma ferramenta que ajudava o usuário que estava em dúvida sobre o que assistir, o streaming conta com outras maneiras de indicar produções aos seus clientes.

De acordo com o The Wall Street Journal, que conversou com um porta-voz da empresa, a Netflix optou por tomar essa decisão, pois percebeu que a maioria dos usuários acessava o streaming já com um título em mente. Isso levava a um desinteresse pela ferramenta, não justificando mais a sua permanência no serviço.

A remoção do botão, no entanto, não significa que a Netflix não vai mais ajudar aqueles que estiverem perdidos no catálogo.

“Vamos continuar a explorar outras maneiras de dar aos membros mais opções e caminhos para descobrir o conteúdo que desejam assistir”, disse o porta-voz ao WSJ.

Vale lembrar que ainda que o modo shuffle da Netflix pudesse ser uma “luz” para seus clientes indecisos, não é como se a ferramenta fosse a única que sugerisse recomendações aos usuários.

Toda a interface da plataforma sempre foi dividida em gêneros de filmes, lançamentos, produções mais vistas e outras categorias que ajudam o cliente com sugestões. Além disso, a empresa também sempre recomenda títulos em suas redes sociais e e-mails enviados.

Modo Shuffle fazia match do usuário com produções

Como usar o Títulos Aleatórios da Netflix que escolhe filmes por você / Netflix / Divulgação
Botão “Títulos Aleatórios” da Netflix (Imagem: Divulgação / Netflix)

Embora fosse chamado de “Títulos Aleatórios”, o modo shuffle da Netflix, lançado em abril de 2021, não era tão aleatório assim.

As produções mostradas pela ferramenta tinham probabilidade de dar “match” com o usuário, pois eram selecionadas com base no seu histórico de visualizações da plataforma. O que, na prática, significava que os filmes e séries indicados eram quase certeiros para o gosto da pessoa, facilitando sua busca por algo interessante no catálogo.

Ao acionar o botão, uma legenda na parte inferior do vídeo descrevia qual produção original havia levado a ferramenta a selecionar aquela indicação. No entanto, caso não curtisse a escolha, a pessoa podia simplesmente desistir da sugestão e pedir uma nova recomendação.

Com informações: Android Police

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paula Alves

Paula Alves

Repórter

Paula Alves é jornalista especialista em streamings e cultura pop. Formada pela Unesp (Universidade Estadual Paulista), antes do Tecnoblog, trabalhou por sete anos com jornalismo impresso na Editora Alto Astral. No digital, escreveu sobre games e comportamento para a Todateen e sobre cinema e TV para o Critical Hits. Apaixonada por moda, já foi assistente de produção do SPFW.

Canal Exclusivo

Relacionados