O clássico player Winamp vai virar um software de código aberto

Com abertura do código-fonte, o player clássico passará a se chamar FreeLLama; o Winamp com esse nome continuará existindo como serviço

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 3 semanas
Winamp clássico (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Winamp clássico (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O Winamp é um reprodutor de mídia para Windows que fez bastante sucesso quando baixar MP3 era um hábito comum. Para que continue existindo, a organização responsável pelo player tomou uma decisão surpreendente: vai tornar o Winamp um software de código-fonte aberto a partir de setembro.

A primeira versão do Winamp surgiu em 1997. O player se tornou popular nos anos seguintes, especialmente entre usuários do Windows XP. A razão disso é que, na década de 2000, serviços como Spotify, Apple Music e YouTube não existiam.

Muita gente tinha o hábito de baixar músicas em MP3 e em outros formatos de áudio para escutá-las no PC. Mas era preciso ter um software para executar esses arquivos.

No Windows, o Winamp era o preferido para esse fim por vários motivos: gratuidade, leveza e facilidade de uso, além de suporte a playlists, equalizador e instalação de skins (interfaces temáticas).

Winamp clássico e suas skins (imagem: reprodução/Winamp Skin Museum)
Winamp clássico e suas skins (imagem: reprodução/Winamp Skin Museum)

Winamp com código-aberto e novo nome

O Winamp clássico foi relançado em 2018 e recebe atualizações até hoje. Apesar disso, ele já não tem a base de usuários de outrora, afinal, estamos na era do streaming. É por isso que a abertura do código-fonte do player parece ser uma boa ideia. Com isso, será possível manter o Winamp com apoio da comunidade.

É o que espera Alexandre Saboundjian, CEO da Llama Group, empresa responsável pelo Winamp:

O Winamp abrirá seu código para o player usado no Windows, permitindo que toda a comunidade participe de seu desenvolvimento. Este é um convite para colaboração global, onde desenvolvedores ao redor do mundo poderão contribuir com seus conhecimentos, ideias e paixão para ajudar este icônico software a evoluir.

Alexandre Saboundjian, CEO da Winamp

De acordo com o executivo, o código-fonte do Winamp será liberado publicamente em 24 de setembro de 2024. Ainda que não se sabe ainda sob qual licença. Quando isso acontecer, o software passará a ser chamado de FreeLLama.

Interessados em ser avisados da liberação ou em receber novidades a respeito já podem se cadastrar na página do projeto.

A marca Winamp vai continuar com outra proposta

Segundo Saboundjian, novas versões do Winamp para Android e iOS serão lançadas em julho. Ambas continuarão sendo proprietárias. O executivo explica que, apesar do foco no segmento móvel, a empresa não quer abandonar a versão clássica do Winamp para Windows. Vem daí a decisão de abrir o código-fonte do reprodutor.

Winamp como serviço (imagem: divulgação/Llama Group)
Winamp como serviço (imagem: divulgação/Llama Group)

A razão disso é que, em 2023, o Winamp passou a ser um agregador online de músicas e podcasts. Os aplicativos móveis são focados nessa experiência, portanto, não são reprodutores de mídia comuns.

Em resumo, ficará assim: o Winamp continuará existindo como serviço, enquanto o player clássico se tornará um software aberto e assumirá o nome FreeLLama.

Veremos o que sairá disso. Talvez vejamos até uma versão do FreeLLama sendo lançada para distribuições Linux e macOS.

Um detalhe curioso é que o anúncio oficial está com data de 16 de dezembro. Mas é um erro. O comunicado foi publicado em 16 de abril de 2024.

Relacionados