Samsung fechou acordo para comprar painéis OLED da LG, segundo a Reuters

Negócio entre companhias sul-coreanas começaria em 2024; isso pode fazer com que a Samsung assuma a segunda posição no mercado de TVs OLED

Ricardo Syozi
Por
Samsung OLED
TV QD-OLED (Imagem: Divulgação / Samsung)

Um novo relato indica que a Samsung assinou um acordo com a LG para receber painéis OLED de 77 e 83 polegadas. A dona da marca Galaxy compraria 2 milhões de telas em 2024, 3 milhões em 2025 e 5 milhões em 2026. Essa parceria entre as empresas é inédita e pode ajudar a trazer lucro em um ramo disputado com concorrentes chinesas.

O acordo foi relatado pela Reuters na terça-feira (16). Para a Samsung, o contrato aponta a intenção de se destacar no mercado de TVs topo de linha com a tecnologia OLED, já que marcas chinesas dominam o lado de porta de entrada, com seus aparelhos de LCD.

Além disso, é possível que essa parceria faça com que a Samsung assuma a segunda posição global como fornecedora de TVs OLED. Vale lembrar que, atualmente, a LG tem 50% do mercado, seguida pela Sony, com 26%. A dona da linha Neo QLED está no terceiro lugar, com apenas 6%, segundo a pesquisa da Omdia.

Para a LG, o negócio é uma excelente oportunidade para elevar ainda mais suas contas. Os relatos indicam que o fornecimento de 2 milhões de painéis OLED deverá valer mais de U$ 1 bilhão, alcançando entre 20% e 30% de sua capacidade total de manufatura.

Há quem diga que o trato é uma forma da Samsung admitir derrota contra a LG no mercado de TVs topo de linha. É importante destacar que em 2015, a criadora da linha de celulares Galaxy havia saído desse ramo, dizendo que era muito custoso e que o público não estava pronto para ele.

Entretanto, a companhia sul-coreana retornou em 2022, colocando nas lojas o aparelho de QD-OLED chamado S95B.

LG OLED
TV OLED (Imagem: Divulgação / LG)

Samsung teve queda de 96% nos lucros

A sul-coreana divulgou no fim de abril os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2023. Dessa forma, a companhia apresentou uma queda de 96% nos lucros, mas mesmo assim conseguiu valores acima de R$ 2 bilhões.

Alguns dos fatores foram os preços altos durante a pandemia de Covid-19, na qual fabricantes de peças de computadores, notebooks e smartphones estocaram componentes, como chips DRAM e flash NAND. Com a queda de consumo por parte das pessoas, os preços começaram a cair, já que ainda há muito em estoque.

Outro fator que afetou a Samsung foi a área de TVs, que dominou por 17 anos consecutivos. A empresa viu um crescimento exponencial das concorrentes chinesas, como Hisense e TCL, que afetou suas vendas, em especial no que se refere a aparelhos de porta de entrada com painéis LCD.

Com informações: The Verge.

Relacionados