Segundo Elon Musk, Twitter perdeu metade do seu valor em cinco meses

Atual CEO fez a afirmação em um e-mail para os funcionários; Musk planeja manter a reformulação da rede social e a trata como uma "start-up inversa"

Ricardo Syozi
Por
• Atualizado há 8 meses
Elon Musk critica bitcoin e indica que Tesla pode vender suas reservas (Imagem: Steve Jurvetson/Flickr)
Elon Musk (Imagem: Steve Jurvetson/Flickr)

O Twitter perdeu mais de 50% do seu valor desde que Elon Musk comprou a rede social em outubro de 2022. A informação surgiu em um e-mail enviado para os funcionários pelo atual CEO da plataforma na sexta-feira (24). O chefão afirmou que agora a empresa vale US$ 20 bilhões, uma mudança significativa dos US$ 44 bilhões pagos pelo empresário.

O e-mail foi enviado aos colaboradores para anunciar um novo programa de compensação, que promete premiar os profissionais com ações da X Corporation, firma usada para comprar o Twitter. Nele, Musk afirmou que a rede social ainda está em uma situação financeira precária e já ficou a quatro meses de ter seu caixa zerado.

Por causa disso, o atual CEO ressaltou que “mudanças radicais” foram necessárias para não fechar as portas. Vale lembrar que a companhia do passarinho realizou demissões em massa em novembro de 2022, um mês após o novo dono assumir. Além disso, alterações drásticas ocorreram na plataforma, o que escancarou uma bagunça lamentável no Twitter.

Elon Musk adquiriu a empresa por US$ 44 bilhões em outubro de 2022. Cerca de cinco meses depois, ela está valendo US$ 20 bilhões na opinião de seu atual dono. Contudo, o bilionário ressaltou no e-mail que o “Twitter está se reformulando rapidamente e que pode ser considerado uma start-up inversa”.

Elon Musk continua mudando o Twitter (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)
Elon Musk continua mudando o Twitter (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Mudanças no passarinho não param

Desde que assumiu a rede social, Elon Musk vem realizando alterações tanto na interface quanto no modelo de negócios da plataforma.

Um dos mais recentes foi o anúncio do encerramento do selo azul de verificação conhecido como “legacy”, que os usuários recebiam após um burocrático sistema. A partir de 1º de abril, apenas as pessoas que pagam a assinatura do Twitter Blue terão o famoso símbolo ao lado de seu nome de perfil.

Outra maneira que o atual CEO quer usar para garantir mais dinheiro em caixa é a cobrança por planos de API, que deve começar em breve. De acordo com o Wired, o serviço mais barato deverá custar US$ 42 mil (perto de R$ 220 mil).

Esse tipo de assinatura pode ser usado para diferentes propósitos no Twitter, como bots para avisar acontecimentos e o acesso amplo aos dados públicos da plataforma, por exemplo.

Com informações: The New York Times.

Relacionados