X/Twitter testa três novos planos pagos, que podem ter menos propaganda

X Premium, novo nome do Twitter Blue, pode ser dividido em Básico, Padrão e Plus. A principal diferença seria a quantidade de anúncios exibidos na timeline.

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 7 meses
Logo do X (antigo Twitter)
Twitter virou X (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O X (anteriormente conhecido como Twitter) está preparando mais opções de assinaturas pagas. Em uma reunião com bancos credores, a CEO Linda Yaccarino disse que a rede social está testando três categorias, que substituirão o X Premium (antigo Twitter Blue).

As novas categorias seriam Básica, Padrão e Plus. Assim, a empresa poderia atrair usuários da rede social que não querem pagar o X Premium atual. Ele custa US$ 8 mensais nos EUA; no Brasil, o preço é de R$ 42 mensais ou R$ 440 anuais.

Selo azul de verificação do X/Twitter
X Premium inclui selo de verificação (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Recentemente, Elon Musk, dono do X, ventilou a possibilidade de cobrar pelo uso da rede social. Depois, ele disse apenas que seria um plano mais barato, ainda opcional. O empresário considera que é uma medida necessária para impedir a criação de contas de spam na plataforma.

Pagar mais para ver menos propaganda no X

O código do app do X/Twitter já dava a entender que novas formas de assinaturas estavam a caminho. A diferença entre os três planos estaria na quantidade de propaganda:

  • Básico: as mesmas propagandas dos usuários que não pagam
  • Padrão: metade das propagandas
  • Plus: sem propaganda

Por enquanto, não se sabe quanto cada categoria vai custar, nem se haverá diferença nos recursos de cada uma delas, além das diferenças na exibição de propagandas.

Atualmente, o X Premium inclui um selo azul de verificação (que pode ficar oculto, a critério do usuário), textos longos de até 10 mil caracteres e vídeos de até 60 minutos. Além disso, quem paga tem acesso à ferramenta de editar as publicações, bastante útil para corrigir pequenos erros.

Usuários que pagam também têm mais alcance, e quando respondem um post, essa resposta aparece antes das de quem não paga.

Além disso, só assinantes podem ter acesso ao programa de monetização do X, desde que cumpram requisitos mínimos de visualizações de seus posts.

Anunciantes voltaram, mas estão gastando menos

A reunião de Yaccarino com os bancos também teve detalhes da situação financeira da companhia. A CEO disse que as principais empresas voltaram a anunciar no X/Twitter, mas estão investindo menos que antigamente.

Segundo os dados apresentados, a empresa está com fluxo de caixa positivo, se excluídos os gastos com as dívidas. A meta é conseguir isso incluindo as dívidas na metade de 2024.

Com informações: Bloomberg

Receba mais sobre Twitter na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Relacionados