Netflix: número de assinantes de plano com propaganda quase duplica

Quantidade saltou de 23 milhões em janeiro para 40 milhões. Publicidade e cobrança por compartilhamento de senhas melhoraram finanças da Netflix.

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 5 dias
Netflix
Aposta da Netflix em publicidade deu certo (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Netflix anunciou que seu plano com anúncios tem 40 milhões de usuários mensalmente ativos. Em janeiro, a companhia havia informado que eram 23 milhões de assinantes desta opção — o que representa que o número quase dobrou em cerca de quatro meses. Comparado com um ano atrás, o salto é ainda maior: eram 5 milhões na alternativa com publicidade, o que representa um salto de 700% em 12 meses.

Além destes números, a gigante do streaming também afirma que, nos países onde o plano com propaganda está disponível, cerca de 40% dos assinantes estão nesta opção. As informações foram compartilhadas pela Netflix em uma apresentação destinada a anunciantes.

Netflix
Netflix enfrentou crise em 2022 (Imagem: Thiago Mobilon / Tecnoblog)

O plano com propaganda começou a ser oferecido no Brasil e em alguns países em novembro de 2022. A diferença nos preços explica o sucesso da alternativa: por aqui, o plano Padrão com Anúncios custa R$ 18,90 mensais, enquanto o plano Padrão (sem publicidade) custa R$ 39,90 mensais — é mais que o dobro.

Havia uma alternativa entre estes dois: o plano Básico, que custava R$ 25,90 por mês. Ele não tinha a propaganda, mas era mais limitado, oferecendo resolução máxima de 720p e reprodução em apenas uma tela por vez. Em outubro de 2023, a Netflix retirou esta opção para novos assinantes.

Propaganda e taxa extra “salvaram” Netflix

A publicidade em sua plataforma foi uma das estratégias da Netflix para melhorar os resultados financeiros, que estavam decepcionando no início de 2022. Além disso, a Netflix fez demissões em massa, que afetaram cerca de 450 funcionários em duas rodadas.

A tática mais polêmica foi o fim do compartilhamento de senhas. Agora, se um amigo ou familiar que não mora com você quiser usar sua conta, você tem que pagar a mais por isso.

Por mais que tenha desagradado os assinantes, os números mostram que a estratégia deu certo para a Netflix: ela passou de 221 milhões de assinantes em 2022 para 270 milhões em 2024. Daqui em diante, a empresa não vai mais compartilhar este número, aliás.

Pacotes de streaming vem aí

Lembra quando os serviços de streaming eram baratos e sem anúncios? Pois é, parece que isso está ficando para trás. Agora, várias plataformas têm propaganda e você precisa assinar vários serviços para poder assistir a tudo o que quer.

Streaming: Amazon Prime Video, Disney+, Netflix, HBO Max e Apple TV+
Serviços de streaming vão se agrupar em pacotes (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A sensação que fica é que eles viraram uma nova TV a cabo, cara e cheia de coisa que você não tem interesse. Essa sensação pode ficar mais forte em breve, já que as empresas estão preparando pacotes de streaming, que lembram os conjuntos de canais da televisão por assinatura.

Nos Estados Unidos, a Comcast criou um conjunto com Netflix, Apple TV+ e Peacock (com conteúdos da NBCUniversal). A Warner Bros Discovery e a Disney também estariam criando o seu bundle, com Max, Disney+ e Hulu.

Por enquanto, não há informações sobre preços, mas a tendência é que haja algum desconto. Uma das dificuldades dos streamings é a reter assinantes: como o cancelamento é fácil, dá para assinar, assistir ao que você quer e cair fora. Um pacote reunindo mais serviços e saindo mais barato pode ajudar a solucionar isso.

Com informações: CNBC, Netflix

Relacionados