X/Twitter usará publicações dos usuários para treinar IA de empresa-irmã

Mudança na política de privacidade do Twitter revela que x.AI, empresa de IA anunciada por Elon Musk em julho, será treinada com “tweets” da plataforma

Felipe Freitas
Por
X muda políticas de privacidade para "autorizar" o treinamento de inteligência artificial da x.AI (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Uma alteração na política de privacidade do X, antigo Twitter, revela que as publicações realizadas na rede social serão usadas para treinar “modelos de inteligência artificial” da empresa. A rede social não possui uma IA própria, mas Elon Musk, dono da plataforma, anunciou em julho a criação da x.AI, sua empresa de inteligência artificial.

Logo, o treinamento feito com tweets/publicações na plataforma será usado para treinar o modelo de linguagem da empresa-irmã. Apesar do nome bem parecido entre a rede social e a empresa de IA, elas são pessoas jurídicas diferentes. No site da x.AI, há um texto ressaltando essa separação, mas garantindo que ela trabalha “muito próximo” com as outras empresas de Musk para atingir a sua missão de “desvendar os segredos do universo”.

A mudança na política de privacidade está no item 2.1 do X/Twitter, que trata sobre o uso de “informações para fornecer e operar produtos e serviços na rede social”.

x.AI unirá o útil ao agradável — e sem “pagar” por isso

Inteligência artificial
Inteligência artificial de Elon Musk tem uma bela base de informações no “Xwitter” (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Ao usar o histórico de publicações do X/Twitter, a x.AI fica com a faca e o queijo na mão para adquirir conteúdo para o seu treinamento — mesmo que existam tweets de veracidade questionável. Na teoria, apenas o Twitter possui acesso a essas publicações. Na realidade, a plataforma continua com bots a solta.

Em abril, Elon Musk, dono do Xwitter e da x.AI, ameaçou processar a Microsoft por treinar sua inteligência artificial com tweets. A ameaça, que era mais um “ataque” pela rival ter removido o X do seu serviço de gerenciamento de redes sociais, mostra que o problema (para todas essas companhias) é quando um concorrente pega os seus dados para se dar bem com isso.

Musk também segue uma campanha para melhorar as ferramentas de publicações longas na plataforma, visando levar conteúdo jornalístico para o Xwitter — e usá-lo para treinar a LLM da x.AI. É o clássico: se algo é gratuito, o produto é você.

Empresas estão alterando políticas para “autorizar” o treino de IAs

Não é só a rede social anteriormente conhecida como Twitter que mudou a política de privacidade para autorizar o treinamento de IAs. Zoom, Brave (navegador que “foca na sua privacidade”), Microsoft e a AWS mudaram recentemente as suas políticas para permitir algum nível de uso de dados pelas inteligências artificiais.

Com informações: StackDiary e TechRadar

Receba mais sobre Inteligência Artificial na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados