VPN: o que é, para que serve e como funciona o acesso em uma rede privada

Tecnologia pode ser usada para intermediar acesso à internet, protegendo informações e garantindo maior privacidade; saiba mais

Lucas Braga Victor Toledo
Por e
VPN permite que você utilize outra conexão e traz segurança em Wi-Fi público
VPN permite que você utilize outra conexão e traz segurança em Wi-Fi público (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

VPN significa Rede Virtual Privada (em inglês, Virtual Private Network). Uma VPN é uma conexão que permite que os usuários acessem redes privadas e compartilhem dados pela internet de forma segura e privada.

Essa tecnologia é amplamente utilizada por empresas para permitir que funcionários acessem redes corporativas com segurança a partir de locais remotos, por exemplo.

Ao se conectar a uma VPN, seu dispositivo estabelece uma conexão com um servidor remoto por meio da internet. Isso pode ser feito usando um software específico ou por meio das próprias configurações do dispositivo.

A seguir, entenda com mais detalhes o que é uma VPN, como funciona a tecnologia e tire suas dúvidas.

O que é VPN?

VPN significa “Virtual Private Network” (Rede Privada Virtual, em português). É uma tecnologia que cria uma conexão segura e criptografada entre dois dispositivos conectados via internet.

Essa conexão permite que dados sejam transmitidos com segurança por uma rede pública, como a internet. Embora não ofereça anonimato completo, uma VPN pode ajudar a proteger a identidade online do usuário.

Para que serve uma VPN?

Uma VPN serve para acessar uma rede diferente da sua. Essa rede pode tanto ser corporativa ou apenas para utilizar uma conexão à internet de outro local.

Um dos principais usos de VPN é no meio corporativo. Dessa forma, funcionários e equipamentos de uma empresa conseguem, de qualquer lugar do mundo, se conectar à rede da matriz utilizando a internet – tudo isso sem depender de ter uma conexão de rede dedicada entre a origem e o destino. Com a VPN, é possível utilizar compartilhamento de arquivos e acessar servidores que não são públicos na internet.

Outra utilização de VPN, mais comum entre usuários domésticos, é para acessar uma conexão de internet diferente da sua. Isso pode ser útil para proteger o acesso — especialmente em redes Wi-Fi públicas — ou para se conectar a servidores de VPN de outros países e desbloquear conteúdos não disponíveis para a sua região.

Como funciona uma VPN?

Ao se conectar em uma VPN, é estabelecida uma conexão ponto a ponto entre o dispositivo e o servidor. A partir desse momento, o usuário passa a trocar dados utilizando a rede do servidor em vez da rede local (seja Wi-Fi, cabo de rede ou redes móveis) em que está conectado.

TunnelBear é um aplicativo de VPN com versão grátis e paga
TunnelBear é um aplicativo de VPN com versão grátis ou paga (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Em geral, os dados são criptografados, o que pode auxiliar na segurança do acesso em redes desconhecidas. Na prática, é como se você utilizasse a conexão à internet de outro lugar em vez da rede em que está conectado.

Você pode usar uma VPN no celular, tablet, computador e até mesmo outros dispositivos, como TV Box e algumas smart TVs. Também é possível criar um servidor VPN na sua empresa para disponibilizar acesso remoto à rede aos funcionários.

Quais os tipos de VPN existentes?

Existem diferentes tipos de VPN disponíveis no mercado:

  • VPN corporativa: Utilizado em ambientes empresariais, com objetivo de conectar de forma remota dispositivos a uma rede interna. Além de garantir a segurança na troca de dados, uma VPN corporativa também permite acessar plataformas internas que não são públicas na web, bem como compartilhar arquivos e impressoras;
  • VPN para internet: são serviços comerciais, gratuitos ou pagos, que permitem utilizar outra conexão com a internet. Normalmente possuem foco em segurança, mas também podem ser utilizados para quebrar barreiras geográficas de conteúdo;
  • VPN para jogos: é o caso de serviços como ExitLag, NoPing e WTFast, que prometem encontrar a melhor rota de tráfego para otimizar a latência (ping) e experiência em jogos online.

É seguro usar VPN?

Não existe uma resposta simples para essa pergunta. Tudo depende de qual é a VPN em questão.

Ao se tratar de VPNs corporativas, é importante certificar-se de que ela utilize protocolos mais seguros de criptografia, como OpenVPN, L2TP/IPSec, IKEv2 ou WireGuard.

Já nos serviços de VPN públicos (seja gratuito ou pago), é importante entender a política de tratamento de dados de cada um. Certifique-se de utilizar um provedor de VPN com boa reputação e com políticas claras sobre o tratamento de dados.

Utilizar uma VPN segura pode ser uma importante forma de melhorar a segurança em redes Wi-Fi públicas, como em aeroportos, shoppings e hotéis. No Wi-Fi de casa não há tanta necessidade quando se trata de proteção contra acessos indesejados, mas uma VPN pode desbloquear conteúdos com restrições geográficas — como sites que só funcionam no exterior ou catálogos estrangeiros de serviços de streaming.

Preciso pagar para usar uma VPN?

Não. Existem diversos serviços gratuitos de VPN disponíveis no mercado, como TunnelBear, ProtonVPN e Cloudflare Warp.

No entanto, serviços gratuitos tendem a ser limitados e menos seguros, portanto, esteja ciente dos riscos de usar VPN. Assim como nas opções pagas, certifique-se de procurar empresas com boa reputação e entenda as políticas de tratamento de dados de cada servidor.

Uma VPN pode roubar meus dados?

Sim. A partir do momento que você utiliza uma VPN, todo o tráfego de internet é desviado para os servidores da empresa que fornece o serviço. Com isso, é possível coletar dados como histórico de navegação e seu endereço de IP.

Além disso, serviços de VPN podem conter malware. Um estudo de 2016 feito pela The Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation (CSIRO) identificou 10 VPNs infectadas.

Qual a diferença entre VPN e Proxy?

Ambas as tecnologias permitem redirecionamento de tráfego, mas a principal diferença entre proxy e VPN é a segurança.

De acordo com a Amazon AWS, um proxy adiciona uma camada entre o usuário e o servidor, ocultando o endereço de IP. Uma VPN faz o mesmo, mas também oculta a localização do usuário e dificulta a identificação.

Esse conteúdo foi útil?
😄 Sim🙁 Não

Receba mais sobre VPN na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Lucas Braga

Lucas Braga

Repórter especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Victor Toledo

Victor Toledo

Analista de conteúdo

Victor Toledo é jornalista formado pela Unesp, com ensino técnico em informática. Antes de entrar para o time do Tecnoblog, em 2021, escreveu sobre informática, eletrônicos e videogames no TechTudo (Editora Globo) e no Zoom. Atua na estratégia de conteúdo e SEO do TB. É apaixonado por esportes e passa boa parte do tempo livre em simuladores de corrida e assistindo futebol.

Canal Exclusivo

Relacionados