Por que as Big Techs querem um Oscar?

Josué de Oliveira
Por
• Atualizado há 3 meses
Por que as Big Techs querem um Oscar? (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)
Por que as Big Techs querem um Oscar? (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Um bilhão de dólares. Esse é o valor que Amazon e Apple estariam dispostas a investir para levar suas produções ao cinema. É muito dinheiro, mas vale lembrar: estamos falando de Big Techs. Diferente de Netflix HBO Max (ou melhor: só Max), suas fontes de receita não se limitam ao entretenimento.

Mesmo assim, a iniciativa chama a atenção. Por que essas gigantes da tecnologia estariam interessadas em atingir esse mercado tão menos lucrativo? A partir desse gancho, convidamos o crítico de cinema PH Santos para uma conversa sobre streaming, cinema, tecnologia e imaginário. Dá o play e vem com a gente!

Participantes

Citado no episódio

Oferecimento: Google

O Google tem iniciativas que geram impacto econômico no país e na vida das pessoas. Vocês já ouviu falar dos Certificados Profissionais do Google, por exemplo? É uma forma de adquirir novas habilidades profissionais e descobrir novos caminhos pra desenvolver a sua carreira.

Mais de 3 milhões de pessoas já participaram de treinamentos do Google. Além disso, mais de 200 mil empresas já foram apoiadas. São treinamentos e capacitações em muitas áreas diferentes, como gerenciamento de projetos, análise de dados, marketing digital e vários outros temas.

Pra saber mais, entra lá em g.co/treinamentos e dá uma olhada no que tem disponível. Quando você cresce com o Google, o país cresce com você.

Créditos

Assine o Tecnocast

Receba mais sobre Big Tech na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Josué de Oliveira

Josué de Oliveira

Produtor audiovisual

Josué de Oliveira é formado em Estudos de Mídia pela UFF. Seu interesse por podcasts vem desde a adolescência. Antes de se tornar produtor do Tecnocast, trabalhou no mercado editorial desenvolvendo livros digitais e criou o podcast Randômico, abordando temas tão variados quanto redes neurais, cartografia e plantio de batatas. Está sempre em busca de pautas que gerem conversas relevantes e divertidas.

Relacionados