Início » Mobile » Tudo o que você precisa saber sobre o Snapdragon 820

Tudo o que você precisa saber sobre o Snapdragon 820

Os detalhes do novo processador da Qualcomm para smartphones e tablets poderosos

Por
2 anos atrás

Direto de Nova York — A Qualcomm apresentou nesta terça-feira (10) os detalhes do Snapdragon 820, novo processador móvel de alto desempenho que estará nos smartphones e tablets lançados no próximo ano. A CPU será baseada nos núcleos Kryo, que prometem o dobro de performance da geração anterior e consomem até 30% menos bateria.

Os detalhes do chip

Diferentemente do Snapdragon 810, que usou núcleos padrões da ARM, Cortex-A57 e Cortex-A53, o novo processador terá otimizações específicas da Qualcomm e apostará no Kryo, desenvolvido pela própria fabricante. A CPU será quad-core de até 2,2 GHz e terá suporte a instruções de 64 bits e processo de fabricação FinFET de 14 nanômetros (o mesmo do Exynos 7420).

A CPU não será tão demandada, porque a Qualcomm construiu uma arquitetura de computação heterogênea — ou seja, cada tarefa é direcionada para uma parte específica do chip. O Snapdragon 820 não acionará a CPU desnecessariamente só para processar uma imagem da câmera ou reproduzir um MP3, por exemplo; essas tarefas ficam a cargo do Spectra e do Hexagon, que comentarei adiante.

snapdragon-820-energia

Houve melhorias no desempenho gráfico, focando na onda das telas 4K. A GPU Adreno 530 fornece até 40% mais performance que a Adreno 430 usada no Snapdragon 810, enquanto o consumo de energia reduziu 40%. Usando a conexão HDMI 2.0, você poderá transmitir o conteúdo do seu smartphone ou tablet em resolução 4K a 60 frames por segundo (agora só falta comprar a TV!).

Infelizmente, a empresa não liberou unidades de demonstração com o Snapdragon 820 para rodarmos benchmarks sintéticos, portanto, os números de aumento de desempenho são apenas uma promessa por enquanto. De qualquer forma, não é algo fora da realidade: o Cortex-A72, usado no chip Huawei Kirin 950, já mostrou um avanço absurdo em relação ao Cortex-A57.

Para que serve uma conexão tão rápida?

snapdragon-820-modem

Com o modem X12 da Qualcomm, os smartphones com Snapdragon 820 conseguem se conectar a redes 4G com velocidades de até 600 Mb/s de download e 150 Mb/s de upload. Obviamente, sua operadora também precisa oferecer a tecnologia, mas a novidade não está tão distante do Brasil: a Claro, por exemplo, começará a testar o 4,5G ainda em novembro, na cidade de Anápolis (GO).

Aliás, Jaqueline Lee, diretora de marketing da Qualcomm Brasil, reforçou que a empresa trabalha junto com as principais operadoras do país, incluindo Claro e Vivo, para desenvolver e testar novas tecnologias. Isso também inclui novidades como o LTE-U, que basicamente usa a frequência não licenciada do 4G para reforçar o sinal em áreas de alta demanda (como um shopping ou estádio, por exemplo).

snapdragon-820-lte-600

O chip traz compatibilidade com o 802.11ad, uma rede wireless de altíssima velocidade, capaz de atingir 7 Gb/s. A ideia não é substituir o Wi-Fi 802.11ac do seu roteador, mas complementá-lo. O 802.11ad consome pouca energia e opera na altíssima frequência de 60 GHz (o que implica baixa penetração de sinal), o que o torna ideal para transferências a curta distância entre dispositivos móveis.

Durante as demonstrações, foi possível chegar a quase 3 Gb/s — ou seja, o triplo da capacidade da sua placa de rede… com fio. Parece bom.

snapdragon-820-80211ad

Mas para que serve uma conexão tão rápida no celular? Bom, você pode fazer streaming de conteúdo em 4K, compartilhar conteúdo em P2P ou até mesmo backup de coleções de mídia em segundos a partir do aparelho. É praticamente uma conexão com fio… mas sem usar cabo. Não seria mais necessário conectar o cabo USB no computador para salvar um vídeo no tablet, por exemplo, porque o 802.11ad já daria conta do recado.

E uma conexão wireless tão rápida abre caminho para algumas possibilidades. Lembra do Display Dock, do Lumia 950, que permite conectar smartphone, monitor, teclado e mouse para transformar seu celular num computador? Hoje, você precisaria conectar o Lumia 950 no dock usando o cabo USB. Com o Snapdragon 820, esse fio poderia ser eliminado. Duvida? A Qualcomm fez um protótipo de dock wireless:

snapdragon-820-dock-wireless

POWERRRRRRR

O único cabo conectado ao smartphone de demonstração da Qualcomm era o de energia, mas também é possível eliminá-lo usando um carregador wireless (ou dispensá-lo também, se você não se importar em ver o nível de bateria do smartphone despencando a cada minuto). Além disso, a tecnologia também funciona em aparelhos com corpo de metal — como a recarga opera por indução magnética, isso não era tão simples antigamente.

snapdragon-820-wipower

Falando em carregamento de bateria, o Quick Charge 3.0 do Snapdragon 820 está 38% mais eficiente que a versão anterior — ou seja, espere mais fabricantes de smartphones fazendo propaganda do carregamento rápido. Tecnicamente, a tecnologia da Qualcomm permite diferentes tensões passando pelo cabo de energia, variando entre 3,6V e 20V, então você não fica limitado aos 5V do padrão USB. Na demonstração, um smartphone estava sendo carregado com tensão de 6,4V (o que seria fatal para um gadget USB comum):

snapdragon-820-medidor

O que isso significa? Que você conseguirá levar uma bateria de 2.750 mAh de 0% a 80% em apenas 35 minutos. Se as baterias não evoluem tanto em capacidade, pelo menos o tempo de recarga está diminuindo drasticamente. O bom é que a tecnologia não estará disponível somente no Snapdragon 820, mas também nos Snapdragon 620, 618, 617 e 430 (ou seja, espere por smartphones mais baratos também com carregamento rápido).

Spectra e Hexagon: você não percebe, mas eles são importantes

O processador de sinal de imagem (ISP) da Qualcomm ganhou um nome, o Spectra. Ele é responsável por processar as informações das câmeras; no caso do Snapdragon 820, os aparelhos poderão ter até três sensores de 25 megapixels. Ou seja, dá para colocar duas câmeras traseiras (além da frontal), unindo-as para criar um efeito de zoom óptico. O algoritmo de iluminação e redução de ruído também está mais inteligente.

Outro componente do Snapdragon 820 é o Hexagon 680. Trata-se um DSP (processador de sinal digital), ou seja, um pequeno chip que pode executar determinadas tarefas sem consumir tanta energia quanto a CPU. O Hexagon 680 agora pode ser usado tanto para tarefas básicas, como reproduzir MP3 e contar passos, quanto para operações um pouquinho mais complexas, como melhorar a iluminação de vídeos filmados no escuro (e gastando bem menos bateria).

Novas tecnologias

Recursos normalmente atrelados ao software foram integrados ao Snapdragon 820. Por exemplo, o chip da Qualcomm usa aprendizado de máquina para detectar comportamentos suspeitos e impedir a ação de malwares no aparelho, sem depender de bancos de dados de pragas conhecidas (usados pelos antivírus comuns). Nós já detalhamos o funcionamento do Smart Protect.

snapdragon-820-smart-protectsnapdragon-820-antivirus

Claro que é necessário ter alguma implementação de software para avisar o usuário que o Snapdragon 820 detectou um malware e oferecer sugestões do que fazer com a ameaça (excluir, ignorar, colocar na quarentena, enfim). Na prática, o Smart Protect acaba funcionando como um complemento dos antivírus tradicionais e das soluções nativas de segurança do Android.

Outra possibilidade de software é usar o Zeroth, motor de processamento neural da Qualcomm, integrado ao Snapdragon 820. Você pode, por exemplo, organizar suas fotos por categorias como “cachorros”, “flores” ou “comidas”. Também é possível treinar o processador manualmente para adicionar novas categorias. É basicamente o que vemos no Google Fotos — mas offline e rápido, sem exigir o envio das suas fotos particulares para a nuvem.

snapdragon-820-hamburguer-scenesnapdragon-820-hamburguer

Por fim, os aparelhos com o novo chip suportarão o Snapdragon Sense ID 3D Fingerprint, uma tecnologia de reconhecimento de impressões digitais baseada em ultrassom. É a primeira solução comercial do tipo para dispositivos móveis, e há duas vantagens principais: primeiro, o sensor se vira bem mesmo quando o dedo está sujo de água ou gordura; segundo, como ele é ultrassônico, pode funcionar através de vidro, plástico ou metal, o que abre novas possibilidades de design — no futuro, talvez não precisemos mais de um botão físico só para acomodar o sensor biométrico.

snapdragon-820-fingerprint

Quando chega?

A Qualcomm ainda não anunciou quais aparelhos virão com o Snapdragon 820, mas o chip já está sendo testado pelos parceiros de hardware. Conheceremos os primeiros smartphones e tablets com o novo processador da Qualcomm nos próximos meses.

Paulo Higa viajou para Nova York a convite da Qualcomm.

  • Henrique Alves

    Porra, isso sim eh um pulo de geração pra outra. Bastante coisa interessante apresentada. basta ver agora como as fabricantes vão usar isso nos smarts. O esquema de fingerprint é bem legal… tomara que consigam colocar isso em parte (embaixo) da tela pra eximar aquele botãozinho de uma vez…

  • Trovalds

    Pra empurrar o WP 10 vai ser lindo!

  • Adriano Garcez

    Tantas novidades, mas a mais interessante é o novo Quick Charge.

  • Gabriel Antonio

    Interessante notar que a qualcomm tem uma baita visão.. essa batalha por numeros de clock me remete a batalha por frequencia intel x amd! Quem entende um pouco de desempenho de arquitetura sabe bem que 8 cores não tem 2x o desempenho de um chip de 4 cores.

    • Panino, o Manino

      Quem foi que colocou no mercado CPU de Smartphone que passava de 2.5GHz mesmo…?

      • Gabriel Antonio

        Onde tem clock leia core por favor kkkk, escrevi errado.

  • Keaton

    Alguém tinha de pensar na bateria…. carregando-a rápido deste jeito vai sobreaquecer a mesma e isso reduzirá a vida util da bateria, mas não deixa de ser interessante para uso não frequente.

    • Adriano Garcez

      O Quick Charge faz controle de temperatura da bateria pra saber quanto de potência pode entregar à mesma sem prejudicá-la. Na real, deve prejudicar um pouco, mas nunca achei um estudo pra saber o quanto diminui a vida útil da mesma.

      • Thiago

        Considerando que o povo hoje em dia também dificilmente fica com o aparelho até o fim da vida útil da bateria…

        • Islan Oliveira

          Exato. Muitas pessoas trocam de celular anualmente. Nesse período a perda de vida útil vai ser mínima.

  • Panino, o Manino

    Imagino se será mais rápido que o A72, e finalmente mais alguém usando memória L3 na CPU! Já era hora.
    Pelo que vi esse chip é quad-core, porém ele parece ser focado para dual-core com um IPC alto. Dois cores são diferentes dos outros dois, um par para baixo desempenho e consumo e outro para alto desempenho. Não sei ainda se todos funcionam ao mesmo tempo.

    Pois bem, a evolução é atual natural, o desafio agora é fazer as fabricantes fazerem uso das DSP, porque parece que não usam bem até hoje, não só com os chips da Qualcomm. Você vê também a ARM falando sobre mundos e fundos possibilitados pelas Mali e parece que na prática não fazem diferente. Não é surpresa com as fabricantes colocando no mercado um aparelho por mês

    • abraaocaldas

      Deve ser porque adiciona uma camada de complexidade que os programadores não estão a fim de implementar, seja por custo ou prazo.

  • Só um adendo: Continuum do Lumia 950 já funciona via miracast.

    • =P

    • Thiago

      Então pode ser que o 930 consiga utilizar essa tecnologia?

      • Não. O problema é que o Continuum cria uma “segunda tela”, não espelha apenas. E você pode mexer em ambos ao mesmo tempo, fazendo coisas diferentes. Que eu saiba o Snap 800 não suporta isso.

  • Gertrudes, a Lhama

    Resta saber se vai vir com a função de fritar ovo, que nem o 810 :/