Já é clássica a cena de decepção de passageiros que chegam em outro país e notam que não têm internet no celular. Na maioria das vezes, a utilização do roaming é proibitiva, uma vez que as operadoras cobram muito caro para fornecer dados móveis e ligações quando os clientes utilizam redes de outros países. Isso pode mudar: a UIT (União Internacional de Telecomunicações) aprovou uma recomendação para que agências reguladoras conversem entre si para limitar os valores de roaming internacional.

paris-galaxy-nexus

É difícil acreditar que ainda existem companhias cobrando fortunas por um mísero megabyte trafegado fora do país. Além dos valores serem prejudiciais aos consumidores, as operadoras deixam de atender uma grande parcela de clientes que utilizariam o serviço se custasse menos. A Anatel até havia buscado acordos com outras agências reguladoras a fim de debater os valores praticados, mas no final as companhias de ambos os países que acabavam definindo tudo.

Com a nova proposta da UIT, as agências nacionais são encorajadas a debater com entidades dos outros países e estabelecer um teto máximo para a cobrança de roaming. O gerente geral de monitoramento das relações entre prestadoras da Anatel, Abraão Silva, afirmou para a Agência Estado que a recomendação da UIT traz inclusive a definição do conjunto de metodologias que devem ser utilizadas para a determinação de preços de roaming acessíveis.

Seguindo a recomendação, a Anatel irá delimitar um teto máximo para que as operadoras nacionais cobrem por oferecer seus serviços para operadoras parceiras. Por isso é necessário um acordo recíproco entre países, de modo que nenhum saia prejudicado. O problema é que alguns destinos mais visitados por brasileiros podem não ter interesse ao definir o teto máximo, como os Estados Unidos, já que existem muito mais brasileiros em solo americano do que o contrário, sendo uma desvantagem para as operadoras de lá.

Até o momento, comprar um chip local no país visitado é uma das opções mais em conta para usar o celular durante uma viagem. Mas, com preços acessíveis, o roaming internacional deve se tornar uma opção muito interessante.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Yago G. Oliveira

Penso no Brasil também, aqui a infraestrutura só é ruim por causa disso. Um país enorme que as operadoras precisam suprir tudo sozinha. Agora que estão fazendo dividindo, mas ainda é pouco.

Yago G.
Penso no Brasil também, aqui a infraestrutura só é ruim por causa disso. Um país enorme que as operadoras precisam suprir tudo sozinha. Agora que estão fazendo dividindo, mas ainda é pouco.
Gaius Baltar
No caso da Vodafone e suas subsidiárias isso já existe.
Yago G. Oliveira

Isso facilitaria se a infraestrutura fosse compartilhada também.

Yago G.
Isso facilitaria se a infraestrutura fosse compartilhada também.
Daniel
KeepGo mandou um abraço!
Gaius Baltar
O roaming acabará na União Europeia no meio do ano. Qualquer usuário europeu poderá usar seu smartphone/tablet/modem de banda larga com os mesmos custos que teria em seu país de origem. Não é um roaming mundial, mas facilita para quem viaja muito, incluindo estrangeiros que percorram vários países da União em uma viagem.
Gaius Baltar
Por vezes é a operadora local que cobra taxas altas, justamente para desestimular o uso de sua rede por não-clientes. É mais vantajoso para elas que utilizemos diretamente os seus serviços, adquirindo um chip local.
Ed
Eu comprei um chip local na única viagem internacional que eu fiz, mas para usar o 3G na rua. No hotel eu usava o wifi para ligar pelo Skype.
@Sckillfer

O preço alto do roaming só faz com que a primeira coisa que os clientes façam seja comprar um SIM local... Logo a operadora deixa de ganhar dinheiro por querer cobrar demais.

F. S.
O preço alto do roaming só faz com que a primeira coisa que os clientes façam seja comprar um SIM local... Logo a operadora deixa de ganhar dinheiro por querer cobrar demais.
C. Herrera
O roaming sempre foi uma facada, dentro ou fora do país e não funciona bem, pelo menos comigo, um verdadeiro saco. Eu costumava comprar um chip, sempre que viajava, mas, quando os celulares se tornaram realmente "smart", nunca mais. Apenas mensageiros, skype... Até ICQ (que eu nem conhecia) cheguei a usar. Agora, só Telegram e WhatsApp. Edit: sei que algumas pessoas precisam, mas, felizmente, não é o meu caso.