Você já pode usar seu plano de celular no Chile sem pagar roaming internacional

Acordo de Livre Comércio aprovou o fim das tarifas de roaming entre os dois países; planos brasileiros passam a valer no Chile para chamadas, internet móvel e SMS

Lucas Braga
Por
• Atualizado há 10 meses
Pessoa aguardando voo na sala de embarque
Viajantes poderão utilizar plano brasileiro durante estadia no Chile (Imagem: Jeshoots / Unsplash)

Brasil e Chile deram um novo passo para maior integração: desde terça-feira (25), brasileiros que viajam ao país deixam de pagar tarifas de roaming internacional para uso de dados, voz e SMS. A medida também abrange planos pré-pago e controle, e viajantes chilenos terão o mesmo benefício no Brasil.

O fim das tarifas de roaming internacional no Chile foi aprovado em novembro de 2018, quando o Brasil firmou um Acordo de Livre Comércio com o país. Após aprovação do texto na Câmara dos Deputados e trabalhos da Anatel em conjunto com o órgão regulador chileno, os benefícios finalmente ficaram disponíveis aos consumidores.

De acordo com a Anatel, os mesmos planos, ofertas e pacotes que o usuário adquire para uso no Brasil continuam vigentes no Chile, sem encargos adicionais, pelo prazo de até 90 dias consecutivos ou 120 dias não-consecutivos em um mesmo ano. A limitação ocorre para coibir o roaming permanente.

O benefício é bem-vindo especialmente para quem utiliza um plano controle ou pré-pago, que normalmente cobram caro pelo uso no exterior. No pós-pago, Claro, TIM e Vivo já incluíam uso internacional em países das Américas sem custo extra, dependendo do pacote contratado.

Para usar o celular brasileiro no Chile será necessário ativar o roaming de dados nas configurações do celular. A Anatel também ressalta que o usuário deve contactar a operadora com antecedência para saber se é necessário habilitar o roaming internacional.

Claro restringe roaming no Chile apenas para pós-pago

A Anatel divulgou uma lista de perguntas e respostas sobre o fim das tarifas de roaming no Chile. Destaco uma das questões:

Meu plano de celular com operadora brasileira não tem roaming internacional. Preciso mudar o meu plano para ter direito aos benefícios? É preciso ter algum plano especial – pré-pago ou pós-pago – para que a eliminação de cobranças adicionais sobre o roaming se aplique a mim?

Não haverá necessidade de mudar de plano de serviço ou ter algum plano especial para ter direito aos benefícios, desde que a prestadora brasileira tenha acordo com alguma prestadora chilena para oferecer a funcionalidade de roaming internacional.

Anatel

Lembrei imediatamente da Claro: a operadora limita o serviço de roaming internacional apenas para clientes do pós-pago. Se você utiliza controle, pré-pago ou Claro Flex não é possível ter nenhum sinal no exterior — nem mesmo para receber SMS.

Com a informação da Anatel em mãos, o Tecnoblog entrou em contato com a Claro para saber se a operadora irá oferecer o roaming no Chile. A tele respondeu que o serviço está restrito para o pós-pago:

“A Claro informa que oferece o serviço de roaming internacional de forma exclusiva aos clientes pós-pago da operadora, que já contam com o Passaporte Américas incluso em todos os planos e oferece ainda a possibilidade de contratação dos Passaportes Europa e Mundo. A operadora ressalta que o Chile é um dos países contemplados no Passaporte América e, com isso, o cliente pode utilizar todos os benefícios do seu plano sem qualquer custo adicional.

Em relação à modalidade pré-pago, controle e Claro flex, a operadora informa que não há mudanças nas condições comerciais já oferecidas aos clientes.”

No trio das maiores operadoras, a Claro é a única que não oferece nenhum roaming para clientes do pré-pago e controle. Clientes da Vivo e TIM conseguem utilizar o celular no exterior para fazer ligações, usar internet móvel e enviar SMS. Com o novo acordo, o plano brasileiro também funcionará no Chile.

Após o recebimento da nota da Claro, questionei à Anatel para entender se é permitida a limitação do roaming internacional para clientes de planos específicos. A agência respondeu ao Tecnoblog: “uma vez que ela [operadora] já oferecia a funcionalidade, entende-se que ela tem acordo com uma prestadora chilena. Se ela já possui este acordo, terá de ampliar para todos os planos/ofertas”.

O Tecnoblog entrou em contato novamente com a Claro para entender se a operadora irá cumprir as regras da Anatel e qual o procedimento para utilização do roaming para clientes com pré-pago, controle e Claro Flex. A matéria será atualizada quando houver resposta.

Receba mais sobre Chile na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Lucas Braga

Lucas Braga

Repórter especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Relacionados