Preparado para gastar mais dinheiro com novos cabos, acessórios e adaptadores? O Wall Street Journal informou nesta terça-feira (28) que a Apple planeja adotar a conexão USB-C nos próximos iPhones.

Nas palavras do jornal, a Apple pretende colocar “uma porta USB-C para o cabo de energia e outros dispositivos periféricos em vez do conector Lightning da própria empresa”. Como destaca o The Verge, é possível forçar duas interpretações:

  • O carregador de tomada pode vir com USB-C (em vez do USB-A), o que tornaria uma ponta do cabo Lightning do iPhone compatível com as portas USB-C dos novos MacBooks;
  • O próprio iPhone pode vir com USB-C, eliminando o conector proprietário da Apple.

A Apple não costuma adotar padrões de mercado em seus produtos, mas faz sentido que o Lightning seja trocado pelo USB-C nos iPhones porque eles são semelhantes em muitos aspectos, como a reversibilidade e o suporte a diversas aplicações, incluindo transmissão de áudio e vídeo. Ainda assim, não é uma boa notícia para quem comprou fones de ouvido Lightning para o iPhone 7 ou tem muitos acessórios, por exemplo.

A publicação também reforça informações já divulgadas anteriormente por outras fontes. Segundo os rumores, os iPhones poderão vir com telas OLED fornecidas pela Samsung, já que LG e Japan Display ainda não estariam prontas para atender à demanda; o botão Home físico pode ser removido; e haveria uma versão comemorativa de 10 anos do iPhone, com tela curvada e preço em torno de US$ 1.000.

A Apple, obviamente, preferiu não comentar os rumores. Se o cronograma de sempre for seguido, os novos iPhones deverão ser apresentados oficialmente em setembro.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gertrudes, a Lhama Morta

Verdade. Esses tempos mexi bastante em um J5 (que não segue a linha nova do design), e até do software eu gostei. Todo caprichadinho, animações bonitas e fluídas. Claro que no J5 logo deve ficar uma bosta, mas talvez num S7 da vida realmente fique bom. Até parei de falar (tão) mal.

Gertrudes, a Lhama
Verdade. Esses tempos mexi bastante em um J5 (que não segue a linha nova do design), e até do software eu gostei. Todo caprichadinho, animações bonitas e fluídas. Claro que no J5 logo deve ficar uma bosta, mas talvez num S7 da vida realmente fique bom. Até parei de falar (tão) mal.
Gabriel Arruda
Dei uma procurada e não achei, onde que saiu que 5% dessa receita foi de adaptadores? Tinha entendido outra coisa, 5% da receita total é bastante, mas estou achando estranho esse dado. Olhei nas reportagens de relatórios fiscais e não encontrei.
Marcus Araújo
Eu não preciso fazer as contas. 5% desses 70 bilhões foram com adaptadores, a própria empresa já divulgou no final do ano passado. E sim, teve queda. ;) Dizer que não é estratégico, realmente não é o FOCO da empresa, mas nem por isso está longe de ser irrelevante a ponto de desconsiderar as vendas. Da mesma forma que ela não despreza a venda de apps e músicas no iTunes de 99 cents, só porque o iPhone responde por 70% da receita. Ilusão é achar que é um mercado irrelevante pra ela só porque vendem também iPhones, que responde pela maior parte. Se irrelevante fosse, ela deixava pros terceiros fabricarem e evitaria a dor de cabeça de gerir mais um negócio (aliás, quando fabricam, ela também cobra por essa "irrelevância", mesmo que, segundo você, não precise disso).
Baidu feat MC Brinquedo
Verdade hahaha! A linha A é muito bonita. Aliás... A Samsung tem caprichado bastante no design dos seus aparelhos de um modo em geral. Nem de longe lembra aquela saboneteira que foi o S3 e o flop do S5. A partir do S6 só foi celular bonito, incluindo as linhas A, Note e claro a S. Obs: Não sou fan boy e nem uso aparelho da Samsung, apenas estou admitindo que ela tem caprichado no design.
Wendel Schelhan
Nada que um parcelamento em 12x não resolva.
Baidu feat MC Brinquedo
A linha A ainda é Hig End (pelo menos nos preços).
Gabriel Arruda
Nenhuma fabricante ganha dinheiro com nada, a Apple teve receita trimestral de 70 bilhões no último trimestre. Faz as contas de quantos adaptadores/cabos precisam ser vendidos para isso ser relevante nesse montante, é ridículo considerar isso como fonte relevante para a estratégia da empresa. O problema é o que você falou, ele é um padrão proprietário que não se conecta nem com o notebook da empresa que usa padrões abertos. O USB-C é a única forma de resolver esse problema sem adaptadores, ninguém está fazendo fone para iPhone. Até 2 anos, não existia um padrão tão bom quanto lightning, agora tem. Simples assim. O iPhone ganhou espaço para áudio estéreo e proteção contra líquidos por causa da remoção do P2, claro que tem vantagens em engenharia um conector a menos. Além disso, eles colocaram na caixa o adaptador porque sabiam que o número de pessoas reclamando seria imenso e não valeria pena para eles, por isso a Apple precisa "agradar" os consumidores.
Marcus Araújo
Se 5% da receita (de uma receita gigante, aliás) lhe parece pouco... Não sei qual outra fabricante ganha tanto com venda de penduricalhos (isso considerando que essa receita com adaptadores CAIU no último ano, era mais do que 5%). E se não há nada de errado com a lightning, então ela só está escolhendo a USB-C por estética (?). Aliás, a única coisa de errada com a lightning é exatamente ser totalmente fora dos padrões, que impede até mesmo de carregar um iPhone no próprio MacBook. Apple é uma empresa. Não sei o que fazem achar que ela tá vendendo produto no mercado pra agradar consumidor, e não para lucrar, como toda... Empresa. Se fosse pra agradar, viria de graça junto com o telefone. Aliás, se fosse pra agradar mesmo, a entrada P2 não teria morrido em vão.
Gabriel Arruda
As vendas da Apple no Brasil beiram o irrelevante, só os iPhones chegam a preços próximos dos americanos porque são fabricados por aqui, o que conta é o preço americano em termos de estratégia da Apple. Ele deve barrar cabos e cobrar o "for iPhone" como sempre fez, isso é fonte de renda e continuará sendo, só acho improvável que ela escolha as portas pensando em lucrar com isso. Ela sabe que para os Macs seria uma transição complicada para os usuários, ela não barra adaptadores de terceiros que são vendidos por preços irrisórios na Amazon: https://www.amazon.com/usb-c-usb-a-adapter/s?ie=UTF8&page=1&rh=i%3Aaps%2Ck%3Ausb-c%20to%20usb-a%20adapter . Colocaram o adaptador de P2 na caixa porque também seria muito pesado. Fazer o usuário ficar comprando adaptadores é uma estratégia complicada e com poucas receitas.
Marcus Araújo
Mas o USB-C permite suporte a padrões proprietários de carregamento. Inclusive o Google estava querendo impedir que fizessem besteira com o padrão no Android, exigindo a interoperabilidade. Já sobre os preços dos adaptadores, não acho 150 ou 200 reais num adaptador frágil um preço baixo. Mas aí vai do bolso de quem pode pagar, não é?
Wendel Schelhan
Sim, infelizmente o USB-C tem esse lance da conversão de corrente que vai deixar os preços meio altos por um bom tempo, até se tornarem "commodities".
Gabriel Arruda
USB-C é padrão aberto, ela não tem monopólio desses adaptadores e eles custam uma micharia perto dos aparelhos, não dá para lucrar com isso. Thunderbolt é concorrente, mas usando portas compatíveis entre os dois padrões, o usuário tem o melhor dos dois mundos...tirando que agora virou uma zona comprar cabos já que eles são fisicamente iguais mas trabalhando com padrões distintos.
Marcus Araújo
O problema dela se chama venda de adaptadores. Descobriu que pode lucrar não só com celulares caríssimos e sua loja de apps extremamente controlada, mas também com a venda de zilhões de adaptadores. Isso é popularmente chamado também de "criar um problema e vender a solução". Um detalhe é que as próprias USB-C concorrem com as Thunderbolt.
Marcus Araújo
Ainda não veremos cabos USB-C a 10 reais nos camelôs, já que cabo USB-C falsificado ou de qualidade duvidosa geraria mais dor de cabeça do que traria alguma solução (isso é, se trouxer alguma). Mas já acho viável cabos a 30 ou 40 reais, pelo menos.
Exibir mais comentários