Início » Computador » Intel anuncia os primeiros Core de 8ª geração (e eles não são o Coffee Lake)

Intel anuncia os primeiros Core de 8ª geração (e eles não são o Coffee Lake)

Kaby Lake Refresh leva processadores quad-core para mais notebooks

Por
21/08/2017 às 09h42
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A linha de processadores da Intel acaba de ficar um pouquinho mais complicada nesta segunda-feira (21): a empresa anunciou os primeiros chips Core de oitava geração. Eles deveriam se chamar Coffee Lake, mas são apenas atualizações do Kaby Lake e, por enquanto, consistem basicamente de processadores quad-core de 14 nanômetros para notebooks.

Quatro modelos compõem a primeira leva, sendo dois Core i5 e dois Core i7, todos da família U, com TDP de 15 watts, quatro núcleos e oito threads (yay!). São eles:

  • Core i5–8250U: 1,6 GHz (máximo de 3,4 GHz), 6 MB de cache L3, GPU Intel UHD 620 de até 1.100 MHz;
  • Core i5–8350U: 1,7 GHz (máximo de 3,6 GHz), 6 MB de cache L3, GPU Intel UHD 620 de até 1.100 MHz;
  • Core i7–8550U: 1,8 GHz (máximo de 4,0 GHz), 8 MB de cache L3, GPU Intel UHD 620 de até 1.150 MHz;
  • Core i7–8650U: 1,9 GHz (máximo de 4,2 GHz), 8 MB de cache L3, GPU Intel UHD 620 de até 1.150 MHz;

Logo de cara, chama a atenção o fato dos quatro chips serem quad-core. Até então, a Intel reservava processadores de notebooks com quatro núcleos para a família H (entenda a sopa de letrinhas). Todos estão substituindo modelos dual-core na mesma faixa de preço, então não é surpresa que a Intel esteja divulgando um aumento de 40% de desempenho em relação à geração anterior.

Para manter o consumo de energia sob controle com os núcleos adicionais, a frequência base está menor (o Core i7–7660U, que foi substituído pelo Core i7–8650U, começava em 2,5 GHz, por exemplo). Outra alteração está na nomenclatura da GPU: ela se chamava Intel HD Graphics 620; agora é Intel UHD Graphics 620 para ressaltar a reprodução de vídeo em 4K (mas a arquitetura é a mesma).

Intel unveils the 8th Gen Intel Core processor family and launches the first of the family on Monday, Aug. 21, 2017. The 8th Gen Intel Core processors are designed for what’s next and deliver up to 40% gen over gen performance boost. (Credit: Intel Corporation)

Todo mundo estava aguardando o lançamento dos Coffee Lake. Talvez você tenha lido esse nome em alguns lugares, inclusive. Mas os chips apresentados aqui não são Coffee Lake. Como reforça o AnandTech: “A Intel apenas mencionou o Coffee Lake no contexto de que o lançamento de hoje não é o Coffee Lake”. Os quatro processadores “ainda são CPUs Kaby Lake na mesma tecnologia 14+, com pequenas atualizações e trazendo quad-core para os 15 watts”.

Na verdade, a oitava geração de processadores Core possui três nomes: Kaby Lake Refresh (que são os quatro chips de notebooks neste artigo), Coffee Lake (ainda em 14 nanômetros, com melhorias de verdade na microarquitetura) e Cannon Lake (com processo de 10 nanômetros). A Intel já abandonou a estratégia tick-tock, mas eu não esperava que isso fosse ficar tão complexo.

Os processadores Kaby Lake Refresh serão lançados em notebooks a partir de setembro. A Intel vai apresentar as versões para desktops até o final do ano.

  • Alisson Silva

    Pra piorar a confusão devem manter o mesmo soquete, mas as atuais placas não serão compatíveis. Você vai comprar uma placa-mãe LGA 1151, um processador com o mesmo soquete e os dois não vão ser compatíveis.

    • Ligeiro

      Isso ocorreu na segunda fase do LGA 775, né? Mas também depende da placa mãe – ao menos pode ser que placas-mães novas sejam compatíveis com processadores antigos e aí ajuda em uma troca de reparo ou upgrade programado.

    • Theo Queiroz

      Se o soquete for o mesmo, basta um update da BIOS. Soquete é pinagem e pinagem é a parte física, não tem como alterar isso. A não ser que a Intel mude os lados dos chanfros de segurança, mas aí eles seriam bem fdp. Huahauahuahaa

  • Wololo ✔

    A Intel viu os Ryzen U 4/8 chegando e foi rapidinho preparar os i7 com underclock pra segurar o mercado.

  • Paulo Mateus Guerra

    Intel se balançando toda com os Ryzem e fazendo as coisas no desespero. Fazer assim só da merda. O que já era uma confusão de nomes ficou pior, diferente da AMD que fez um simples Ryzen 3, 5 e 7. Eu que costumo ler bastante sobre tecnologia fico confuso demais com os chips da Intel e nunca sei que modelo exatamente é aquele que to vendo.

    • Eduardo

      Eu nunca sei qual é o socket atual da Intel, tão pouco sua ordem de lançamento.
      A AMD pelo menos faz o simples: AM2, AM2+, AM3, AM3+, AM4.

  • Marcogro®

    Intel tá se enrolando ou é impressão minha? Um remendo aqui, uma atualização ali… Corre, corre, porque a AMD pode lançar um refresh dos Ryzen (detalhe: na mesma plataforma)…

    • Amoeba

      A Intel tá é se cagando mesmo. A AMD finalmente entrou “com os dois pés” no mercado de processadores, aí a intel fica esperando a reação do mercado pra soltar algum lançamento.

      • Marcogro®

        Algum lançamento? Se tivesse pra lançar já haveria feito… Se acomodou, realmente estava anos luz a frente e não levou fé da AMD dar um salto tão grande num pulo só… Agora é imaginar o pior porque se encostou, pra passar já não é mais tão complicado… Se bem que na minha opinião já passou.

    • João

      Até onde eu sei os Zen 2 e Zen 3 (7nm) vão ser compatíveis com o AM4 que é usado agora.

      • Marcogro®

        Mas eu disse um refresh… Que são os mesmos (litografia) com alguma melhoria. Exatamente o que a Intel faz no TOCK-mania

        • Alberto Prado

          Parece que vai ter uma melhoria no Infinity Fabric tb. Segundo um engenheiro deixou a entender em uma entrevista. Parece que a latência dela ainda pode melhorar.

    • Alberto Prado

      Cara, em tudo que é literatura você sempre aprende pra nunca subestimar o inimigo…
      Aí no muito empresarial o que mais se vê é o caras fazendo isso.
      Vc pensa consigo: “WTF?!?! Pq os caras fazem isso?”
      A Intel tinha anos de vantagem sobre a AMD. Pq ela não foi desenvolvendo ramificações da arquitetura pra cobrir possível cenários de reação da AMD???

      • Marcogro®
        • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

          Tá parecendo aquelas palestras dos caras tipo o Cortella e Karnal, que sabem a solução pra todos problemas do mundo, só não conseguem resolver os próprios…

          • Marcogro®

            Ema, Ema, Ema…Cada um com seus pobrema.
            Não conheço nenhum dos dois… Esse Karnal aí é o careca da Band News? Se for, não aguento aquele lenga-lenga. Começou a falar, eu troco de canal…

          • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

            Esses caras tão em todos os lugares, enchem o bolso com as palestras e resolvem a vida de todo mundo #sqn

      • Murilo Almeida

        EXATAMENTE. A intel tinha anos e anos na frente de desenvolvimento, ja deveria ter tecnologias em segundo plano pra essas eventualidades.

  • Gabriel Tadeu

    A Intel já pode chamar de tick-tock-tock+tockagoravai+tockesseépravaler-tick…

  • “Comprem AMD esse ano, senão…”
    Esse refresh, tão cedo, só existe por causa da concorrência. A Intel se viu obrigada a fazer esse lançamento, sem a pressão dos Ryzen continuaríamos vendo a Intel entregando pouco a cada geração para maximizar seus lucros. Como os Ryzen (e Raven Ridge) ainda são competitivos, é bom que o consumidor tenha essa consciência de que se ignorar a AMD agora ano que vem a Intel volta a fazer corpo mole.

  • César

    Infelizmente ainda não se vê muitos modelos de notebooks com kit AMD no mercado brasileiro. Então me pergunto, tendo em vista esta situação será que vale a pena esperar as novas linhas de notebooks e pegar um 8ª *fake*geração da intel (pela mudança nos cores/threads) caso não apareçam notebooks Ryzen? Ultimamente aconteceram umas promoções loucas nesse mercado como o aniversario da Lojas Americanas….. então fico pensando com meus botoes se isto seria uma queima de estoque…..

    • Emanuel Schott

      Compra o Intel logo. Se as versões de notebook seguirem as versões de desktop, só vai ter rype e nada mais. Vem processadores tão caros quanto os Intel (e as vezes mais caros) e com menos desempenho.

    • Theo Queiroz

      Mercado de notebook (infelizmente) é dominado por Intel e Nvidia e não é só no Brasil. É bastante difícil mesmo encontrar seus competidores e ainda mais com modelos acessíveis.

  • Eduardo

    Quando se está tão a frente a acomodação chega forte. Em vez de inovar, fica apenas aprimorando uma coisa aqui e outra ali por anos seguidos.
    Só que essa falta de inovação te faz andar a passos curtos, dando tempo pra concorrência desenvolver e lançar algo realmente inovador. A AMD fracassou com a linha FX, mas acertou na sua segunda tentativa, com os Ryzen. De certa forma, o primeiro fracasso dos FX consolidou a acomodação da Intel, dando a entender que passos curtos eram estáveis e seguros. Só que a AMD aprendeu com o primeiro erro e trouxe o mago dos processadores de volta pra casa (a lenda Jim Keller). Keller foi o responsável pela primeira grande página da história da AMD, os famosos Atlhon 64, e pela sua segunda grande vitória com os Ryzen. E nesse intervalo em que esteve fora desenvolveu nada mais nada menos que os processadores da linha mobile da Apple. Infelizmente, depois dos Ryzen ele saiu novamente da AMD para ajudar nos chips da Tesla, mas deixou a casa organizada para os Zen 2 e 3.