Início » Computador Mobile » Tudo o que você precisa saber sobre o Snapdragon 845

Tudo o que você precisa saber sobre o Snapdragon 845

Este é o processador da Qualcomm que equipará smartphones com Android e computadores com Windows 10 em 2018

Por
06/12/2017 às 20h43

Direto do Havaí — A Qualcomm anunciou nesta quarta-feira (6) o processador que estará dentro de smartphones e computadores em 2018: o Snapdragon 845. Além das tradicionais melhorias de desempenho e consumo de energia, a nova geração permite conexões móveis acima de 1 Gb/s e traz novas possibilidades para as câmeras dos aparelhos.

Em vídeo

Os detalhes essenciais

O Snapdragon 845 segue a fórmula do antecessor: ele continua com CPU de oito núcleos, mantendo a técnica big.LITTLE. São quatro núcleos Kryo 385 de alto desempenho, que chegam a 2,8 GHz; e outros quatro de maior eficiência energética, com frequência de 1,8 GHz. Assim como o Snapdragon 835, o chip será fabricado pela Samsung no processo de 10 nanômetros.

A GPU é uma Adreno 630, que ganhou otimizações para realidade virtual (VR), realidade aumentada (AR) e realidade estendida (XR). Os smartphones poderão ter displays com resolução 4K, profundidade de cores de 10 bits, HDR e 60 quadros por segundo; resta saber se as fabricantes colocarão baterias suficientes para aguentar tudo isso.

Em relação à geração anterior, a Qualcomm diz que o Snapdragon 845 oferece 30% mais desempenho gráfico, 25% mais velocidade em games e aplicações pesadas e 30% de redução de consumo de energia em captura de vídeo. Se a bateria acabar, o Quick Charge 4+ promete recarregar seu celular de zero a 50% em apenas 15 minutos sem pegar fogo.

Câmeras com mais qualidade

No Snapdragon 835, a Qualcomm anunciou o Spectra 180, um processador de sinal de imagem (ISP) responsável pela câmera do smartphone — ele já existia em chips anteriores da empresa, mas ganhou um nome comercial pela primeira vez, indicando uma atenção maior da empresa. O Spectra 280 é uma versão refinada para o Snapdragon 845, permitindo fotos e vídeos com qualidade superior.

A filmagem em 4K a 60 quadros por segundo, que chegou aos novos iPhones em 2017, estará disponível nos smartphones com Snapdragon 845, mas com direito a HDR. Além disso, a Qualcomm promete um modo de slow motion em 720p a 480 quadros por segundo (!). Apesar dos avanços na qualidade, como o ISP está mais eficiente, será possível filmar continuamente 4 horas de vídeo em 4K, em média.

O processador tem suporte a sensores de 32 megapixels (ou dois de 16 megapixels, no caso de aparelhos com câmera dupla), estabilização eletrônica de imagem melhorada e captura de vídeo com gama de cores Rec.2020, o que pode fazer alguma diferença se você possui um smartphone ou uma TV com tecnologia HDR10.

Conexões ainda mais rápidas

Ainda estamos começando a ter agregações de frequência e chamadas por 4G, mas o Snapdragon 845 já leva a conectividade móvel para outro nível.

Primeiro, o modem Snapdragon X20 permite conexões 4G com upload de até 150 Mb/s e download de até 1,2 Gb/s (!) com agregação de cinco frequências (o máximo que temos no Brasil são três, com as faixas de 700, 1.800 e 2.600 MHz). Parece algo muito distante de qualquer realidade, mas a Qualcomm diz que 43 operadoras em 25 países já fornecem o LTE Gigabit.

Antena de celular

Segundo, os smartphones poderão suportar dois chips com 4G ao mesmo tempo, recebendo ligações por meio da tecnologia VoLTE. Até então, o segundo chip dos celulares sempre ficava em 2G ou 3G, o que acabava limitando a cobertura em determinadas regiões.

Já no Wi-Fi, o foco está no 802.11ad, com frequência de 60 GHz. Na prática, a tecnologia acaba sendo uma conexão wireless com fio, já que a velocidade é altíssima (pode chegar a 4,6 Gb/s, quase cinco vezes o que o seu cabo de rede suporta), mas a cobertura é extremamente limitada; quanto maior a frequência, menor a penetração de sinal.

Outros detalhes

Na sopa de letrinhas da Qualcomm, algumas novidades do Snapdragon 845 merecem uma menção.

A segurança do chip aumentou devido à inclusão da unidade de processamento segura (SPU), que armazena informações sensíveis, como os dados de biometria do usuário — não apenas as impressões digitais, mas também o rosto, a íris e a voz, para desbloquear o aparelho e confirmar pagamentos. É algo parecido com o Secure Enclave, disponível nos processadores dos iPhones.

Também houve melhorias no processador de sinal digital (DSP) Hexagon 685, que agora suporta a terceira geração da plataforma de inteligência artificial da Qualcomm. Ainda não há muitos detalhes das melhorias que isso pode trazer, mas a Qualcomm diz que as fabricantes poderão desenvolver assistentes virtuais comandados por voz mais inteligentes, ou efeito bokeh melhorado em fotos no modo retrato.

Por fim, um dos focos da Qualcomm foi na realidade estendida (XR), que é basicamente um misto de realidade mista (sim), aumentada e virtual. É possível atingir o tal dos seis graus de liberdade (6DoF) com localização e mapeamento simultâneos — em termos mais simples, você pode se movimentar pelo ambiente com um headset XR sem medo de bater com o nariz na parede.

Quando chega?

O Snapdragon 845 estará disponível em smartphones com Android e computadores com Windows 10 a partir de 2018. Considerando o histórico, é seguro afirmar que ele equipará pelo menos a versão americana do Galaxy S9, já que o chip será fabricado pela Samsung. Além disso, o CEO da Xiaomi, Lei Jun, subiu ao palco para confirmar que o próximo topo de linha da empresa, o Mi 7, contará com o novo processador.

A Qualcomm normalmente organiza um evento separado para benchmarks de novos processadores, então é provável que tenhamos mais detalhes sobre o desempenho e o consumo do novo chip nos próximos meses.

Paulo Higa viajou para o Havaí a convite da Qualcomm.

  • Abraão Caldas

    Ué, não ia ser fabricado pela TSMC?

    • Trovalds

      A TSMC domina a litografia já?

  • Marcogro®

    Com 30% mais desempenho gráfico, 25% mais velocidade em games e aplicações pesadas… Me parece que futuro os notebooks rodando Windows 10 nesses processadores está garantido, Basta ver se o público acolhe a ideia.

    • Trovalds

      Pro “público” um notebook rodando Windows 10 por um preço interessante entra na lista de escolhas. Ninguém quer saber se tem um Snapdragon ou um Core i dentro do equipamento.

      • Eduardo Braga

        Esses notebooks com Snapdragon não vão vir com o 10 S? Se for e não poder atualizar para o Pro de graça vai ser um tiro no pé, ainda mais aqui. Ninguém quer pagar por Windows hoje em dia.

        • Trovalds

          Na notícia do 835 saiu atualização com um vídeo do Higa dizendo que os notebooks poderão ser atualizados pro Windows 10 Pro de graça.

          • Eduardo Braga

            Ah sim. Então tem tudo pra dar certo.

      • Leandro Nascimento

        ninguém nem liga pra qual processador tá na máquina, aí compra um notebook de 600 reais e fala que o Windows trava muito. Vivemos em uma época totalmente dependente de tecnologia onde quase ninguém entende de tecnologia.
        Espero que os Snapdragon nos notebook acabe com essa travação em máquinas baratas.

        • Jorge Luis

          se o processador for mais barato e as fabricantes aproveitarem para colocar um ssd no lugar do hd, certamente vai acabar com os travamentos. pode até manter o mesmo preço.

        • Roberto

          O trabalho da MS no Windows 8, 8.1 e 10 é muito interessante.
          Tenho uma máquina bem cachorra e consigo usar normalmente.
          Parei de usar apenas porque a MS roda uns lixos por trás que tava usando 99% de disco e inutilizando a máquina. Ai depois descobri que o problema também ocorre na minha máquina do trabalho, que tem um i5 de 3.4Ghz…
          Então, se a MS tiver o devido cuidado, dá para entregar versões enxutas que atendem a 90% do mercado.
          A esmagadora maioria das pessoas que compram estas máquinas usam para navegar na internet, acessar sites de bancos, usar o pacote office, ver alguns vídeos e tal. Totalmente possivel com um Celerom e provavelmente com um Snap835 tbm…

        • André G

          Na verdade o povo liga sim, mas nem sabem a diferença de um processador para outro exceto que o i3 é o básico, i5 é o intermediário e i7 o melhor. Aí querem um core i7 mas não sabem nem de qual geração que é ou em que o processador é focado.
          Basicamente o que a grande massa olha na hora de comprar um notebook é: processador, ram, tamanho de tela e marca.
          Algo parecido acontece com os smartphones.
          O povo não olha se tem teclado iluminado ou se o smartphone tem giroscópio, pra eles isso não é relevante na hora da compra. Mas o processador ser core i7 é muito relevante, mesmo que seja de segunda geração e a placa de vídeo seja uma bosta.
          Querem um notebook com 8gb de ram mas você pode colocar DDR2 que eles nem vão perceber na hora da compra.
          É por isso que marcas como a Acer cresceram tanto, ela vendia notebooks com configurações que o povo buscava e por um preço baixo, mesmo que todo o resto do notebook fosse uma bosta.

          • Leandro Nascimento

            exatamente isso!

        • Marsupial radical

          Bem isso. Pacote “Windos trava muito”:
          – Notebook com processador “U”;
          – HD 5400 rpm;
          – Módulo de segurança de banco;
          – [Insira um antivirus fuleiro qualquer aqui].

      • Roberto

        Se chegar versões simples a preço bom, vai bater os Celeron e Pentium da vida fácil fácil.

        • Duvido que chegue, e que por um bom tempo, custe o mesmo que os notebooks pé-de-boi com Celeron e i3. Você acha com Celeron por 200 dólares (ou até menos) nos EUA, China, etc…

      • Meninão Bobo

        Pra mim esses Windows 10 + Snapdragon será um produto caro para pessoas que ficam conectadas 24 horas por dia. Sem chance de competir com I3 da vida.

    • Programador Front-End

      o problema é termos muitas aplicações pra arquitetura ARM. Mas a tendencia é isso ai

  • vin

    Hmm… Será que os computadores com Snapdragon vão poder executar Linux?

    • bruno vieira

      Linux roda em trocentas familias de processadores, incluindo ARM.

      • vin

        É verdade. Mas me refiro aos bloqueios que podem aparecer. Pode ser que a Microsoft e a Qualcomm desenvolvam um bootloader que não permita a instalação de outro sistema operacional, o que seria muito frustrante.

    • Trovalds

      Já rodam o Android, que é um Kernel Linux altamente modificado.

    • Cortana ✔

      Tô achando que virão bloqueados, assim como nos smartphones.

    • Rodam, e não precisa fazer nada além de baixar na Windows Store

  • Simonyet Yadi

    your only saturated healer by watching a movie,
    title: Solo A star Wars Story Online Free [English]

    see complete here ™> PUTLOCKER-SUB.BLOGSPOT.COM

  • Tenente Figueiredo

    Faltou explicar que no caso do Windows 10, vc só pode instalar a versão com o 10 S.

    • Josué Junior

      Negativo, os notebooks vem sim com o Windows 10S mas se o usuário quiser, pode trocar para o Pro tranquilamente…

      • Tenente Figueiredo

        SQN

        • O cara é tão tolo que não admite que cometeu um erro.

    • o Windows 10 S é para ser mais barato, tem como atualizar gratuitamente para o W10 Pro até setembro de 2018, depois disso só comprando a versão (que ta caro se for ver)

    • Samuel Vieira

      Foi anunciado Notebooks com o Windows 10 S. Mas claro que no futuro as empresas irão lançar com o Windows 10 Home e Pro, só foi o primeiro dia de anúncio da tecnologia jovem.

  • Bem melhor um top por ano bem acabado do que dois ou três só que betas….

  • Lucas Henrique

    Tudo isso poderia estar no 835? Acho que sim. Só não colocam, pra ter o que “ colocar´´ no próximo.

  • Anayran Pinheiro

    Só quero saber se essa será uma boa plataforma para realizar streaming. Se for, já tem um comprador em potencial (curto fazer gameplays em fliperama, um note ajudaria demais nessa tarefa).

  • rocarmo

    Depois do anúncio de ontem, nem olho mais lançamento de processadores Snapdragon pensando nos smartphones que vão usar, mas sim pensando nos notebooks.

    Só no aguardo de um note com Snap 845, 8 gb de RAM, 256 GB de armazenamento, tela 13.3 Full HD, bateria com umas 14hs de duração em uso moderado e preço na casa dos U$800 (ou menos). Seria o início do fim do predomínio do Macbook Air pelo mundo.

    • Maicon Bruisma

      Bom, os lançados com snapdragon 835, tudo que você falou aí e 22 horas prometidas iniciam em 700 doletas

    • Jhon

      Por 800 dólares um MacBook continua valendo bem mais a pena.

  • Caio Augusto

    Não que possam ser comparados diretamente (ARM vs x86), mas acho impressionante o tanto de coisa que vem nesses snapdragon, em um tamanho tão pequeno e com consumo tão baixo, e ainda custam menos que processadores intel e amd de desempenho equivalentes… Dá a impressão que os processadores de desktop sempre custaram mais do que deviam…

  • A dúvida que fica, os laptops com Windows ARM vão re resumir aos SoCs top de linha da Qualcomm? Como ficariam os SoCs da Samsung e Huawei nisso? E os Snapdragons 6xx?