Você sabe que o smartphone pode se tornar uma fonte interminável de distrações, por causa das redes sociais, jogos e notificações constantes. Se até os adultos têm problemas em manter a concentração, imagine as crianças e adolescentes.

Talvez seja muito pedir que os jovens sejam responsáveis com o aparelho — mantendo-o guardado durante a aula, por exemplo. Por isso, o governo da França propôs uma solução radical: banir o uso de celulares nas escolas, inclusive nos intervalos.

Foto por AFS USA/Flickr

Jean-Michel Blanquer, ministro da Educação francês, anunciou que os celulares serão banidos das escolas de ensino fundamental e médio, afetando jovens de até 15 anos de idade. Isso valerá a partir de setembro de 2018. Esta é uma promessa de campanha do presidente Emmanuel Macron.

Blanquer diz que isso se trata de uma questão de saúde pública: “hoje em dia, as crianças não brincam mais no intervalo das aulas, estão todas na frente de seus smartphones e, do ponto de vista educacional, isso é um problema”.

De acordo com um estudo da London School of Economics, publicado em 2015, as escolas que proibiram o celular tiveram melhora de 6,4% nos resultados dos exames para seus alunos de 16 anos de idade. Isso equivale a adicionar cinco dias ao ano letivo.

A França proibiu o uso de celulares na sala de aula em 2010. Os alunos precisam manter o aparelho na mochila — mas, aparentemente, eles nem sempre respeitam a regra.

E o smartphone é cada vez mais onipresente entre jovens. Mais de 80% dos adolescentes na França tinham um celular em 2015, contra 20% em 2011. Muitos estudantes ganham o aparelho aos 9 anos, quando começam a ir à escola sozinhos.

Foto por Intel Free Press/Flickr

Mas como as escolas vão, na prática, banir o smartphone? Blanquer diz: “no Conselho de Ministros, colocamos nossos celulares em armários antes de uma reunião. Parece-me que isso é viável para qualquer grupo humano, incluindo uma classe”.

A PEEP, uma associação de pais francesa, discorda. Ela classifica a proibição como “um horrível problema logístico”, dizendo: “vamos imaginar uma escola com 500 alunos: onde vamos armazenar os celulares, e como vamos garantir que cada aluno encontre seu aparelho no final do curso?”.

A cidade de Nova York proibiu celulares nas salas de aula entre 2006 e 2015. Nesse período, surgiram empresas que guardavam o aparelho para estudantes, cobrando cerca de US$ 1 por dia. Talvez o mesmo ocorra na França?

Nova York desistiu de banir celulares após reclamações dos pais, que não conseguiam entrar em contato com os filhos; e porque a regra era aplicada de forma mais rígida em escolas mais pobres, equipadas com detectores de metal. Agora, os alunos podem levar smartphones, mas não podem usá-los durante a aula.

No Brasil, diversos estados proíbem o uso do celular em sala de aula, incluindo Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Distrito Federal, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Uma lei proibia o uso de celulares em escolas estaduais de São Paulo desde 2007. Este ano, ela foi modificada: alunos do ensino fundamental e médio agora podem usar o smartphone durante a aula, para atividades pedagógicas e orientadas pelo professor. Isso inclui um projeto, em fase de testes, para distribuir livros de matemática em formato digital.

Com informações: NPR, Quartz.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Luiz Bernardo

Saiba com quem seu filho mantêm contato no celular, use o https://brunoespiao.com.br/...

Luis Ricardo Spósito Tessarini
Olha, celular em sala de aula é mais maléfico que benéfico, mas proibição é irracional, o que está faltando aqui é inteligência. Se o governo liberar o uso de bloqueadores de sinal, no caso aqui no Brasil o uso é proibido, as escolas poderiam usar desses bloqueadores para interferir nas redes móveis. Desta maneira o aluno optaria pela rede wifi da escola, este wifi passaria por um firewall proxy muito bem bolado, bloqueando redes sociais e mensageiros, e liberando sites de pesquisa como o Wikipédia, até mesmo poderia ser criado e liberado sites intranet da escola com assuntos relacionados as aulas, com todo tipo de conteúdo e interatividade. VAMOS RACIOCINAR PESSOAL, EU NO MEU QUARTO CONSTRUO UMA INFRA DESSAS SEM PROBLEMA SÓ USANDO FERRAMENTAS OPENSOURCE SEM CUSTO ALGUM!!! O celular pode ser uma ferramenta 100% de apoio aos professores!!!.
Clodoaldo Santos
Sou favor deixar celular dentro mochila. Quem desejar usar no intervalo poderia usar mas nunca durante aulas. Agora será um grande desafio professores tornarem aulas interessantes para seus alunos.
IAmYourFather-Your Mom Likes

Mais que correto banir esses aparelhos da escola.
Minha filha tem um smartphone e eu não deixo que ela leve para o colégio.

iamyourfather - your mom likes
Mais que correto banir esses aparelhos da escola. Minha filha tem um smartphone e eu não deixo que ela leve para o colégio.
Fabio Montarroios

Pro primeiro caso tem o Código de Trânsito, né? Então não pode por uma questão óbvia: numa sala de aula uma carteira ou mesmo alunos não se movem a 100 Km/h com uma massa de mais de uma tonelada.

Pro segundo, a solução é usar o aparelho a seu favor. Não, não temos educadores preguiçosos apenas, pois muitos pensam em atividades que não envolvem proibições. Proibir é o caminho mais fácil, porque interdita a discussão, a situação e todas as decorrências do permitir. Permitir traz uma série de problemas novos e para os que não estão lá muito interessados no processo ensino/aprendizagem, proibir é SEMPRE a melhor saída. É não e pronto. Assunto encerrado. Copia o que tá na lousa e cala a boca. Se a maioria tem a ímpeto de proibir, é sinal q estamos diante de uma maioria preguiçosa. Felizmente é algo com solução: incentivo, treinamento, melhores condições de trabalho, melhores ferramentas, investimento, profissionalismo etc.

binho_0
Pro primeiro caso tem o Código de Trânsito, né? Então não pode por uma questão óbvia: numa sala de aula uma carteira ou mesmo alunos não se movem a 100 Km/h com uma massa de mais de uma tonelada. Pro segundo, a solução é usar o aparelho a seu favor. Não, não temos educadores preguiçosos apenas, pois muitos pensam em atividades que não envolvem proibições. Proibir é o caminho mais fácil, porque interdita a discussão, a situação e todas as decorrências do permitir. Permitir traz uma série de problemas novos e para os que não estão lá muito interessados no processo ensino/aprendizagem, proibir é SEMPRE a melhor saída. É não e pronto. Assunto encerrado. Copia o que tá na lousa e cala a boca. Se a maioria tem a ímpeto de proibir, é sinal q estamos diante de uma maioria preguiçosa. Felizmente é algo com solução: incentivo, treinamento, melhores condições de trabalho, melhores ferramentas, investimento, profissionalismo etc.
AIJ
Ok. Você é contra a proibição. Mas tenho dois pontos. 1 - você entraria num vôo ou num ônibus em que o piloto/motorista pode a qualquer tempo usar o celular? Por que não? 2 - qual a solução? Será que dentre todos os educadores só haja preguiçosos sem vontade de procurar Uma?
Flavio Toledo
wifi gratis tem varioas lugares mas dinheiro para comprar celular tirou de algum lugar.
Natthan Fruche Terzi
Eu que sou adulto, já fico tentado a usar na faculdade, e ja chegou a me atrapalhar, imagina adolescentes. Deveria sim ser proibido.
Gustavo Hofer
o governo tem coisas mais importantes pra se preocupar quando se trata em educação mais deixa de lado porque a população está pouco se fodendo para isso enquanto se fala da proibição do uso dos smartphones nas escolas, várias escolas estão fechando salas, em outras professores poderão ser removidos compulsoriamente para outras unidades escolares (ainda mais longe de suas casas) porque o governo decidiu transformar a escola em etec, alunos que não tem maturidade para saber como utilizar smartphone em sala de aula tendo que escolher quais disciplinas farão parte da sua grande curricular com a reforma do ensino médio, alunos passando de ano sem aprender nada por causa da progressão continuada (reprova só no final de ciclo), escolas sem acessibilidade para crianças com necessidades especiais, governador recorrendo no supremo contra um aumento insignificativo de 10,5% para os professores sendo que não se cumpre a data base desde a época do governo mario covas ... e a preocupação é o uso de smartphone em sala de aula? merecemos o governo e a crise que esse governo (municipal, estadual e federal) causou.
J_Eduardo
A postura parece radical, mas como professor verifico o problema e a dificuldade pratica de proibi-lo em sala. No EF2, eles não têm maturidade ou usam para alguma consulta válida, mas já no EM, em especial, este tipo de norma afeta bons alunos que desejam consultar alguma dúvida durante a aula ou algum exercício. Por exemplo, algo que falei que ele acha que está errado, não discordo que ele possa pesquisar um ponto de vista diferente, pq enriquece o debate da aula, mas na prática a maioria está mesmo em jogos ou redes sociais. Fora outras questões sociais que o smartfone pode auxiliar, como o controle dos pais em bairros violentos, que a proibição acabaria tirando dos pais, alguma tranquilidade de monitoramento dos filhos...é um exemplo, mas existem outras questões que a tecnologia trouxe, que não podem ser desconsideradas. Agora, é debate complexo que exige ao menos dos pais bom senso e respeito às normas da escola. Pq, para mim o maior problema são os pais, que não desejam aceitar as normas que não lhes convém e mesmo orientam a burlar a norma.
Fabio Montarroios

Dá uma baita preguiça qdo algum governo resolve banir ou proibir algo como solução para algo q eles não conseguem resolver. Proibir algo que já é parte da vida de muita gente não tem efeito prático, bem ao contrário... E, neste caso, o celular não é um problema: o poder dele é tão fabuloso q poderia torar as aulas modorrentas e nauseabundas em momentos de aprendizagem muito, mas muito mais interessantes. Professores e coordenadores pedagógicos com preguiça de pensar e de mudar pensam sempre na mesma saída: proibir. Tirem a bola de futebol, tirem a corrida no páteo, tirem os brinquedos, tirem a discussão de gênero, tirem o tema das drogas da pauta. Curiosamente só não são eficientes em banir as armas das mentes dos jovens q optam pelo massacre como resposta ao bulling...

binho_0
Dá uma baita preguiça qdo algum governo resolve banir ou proibir algo como solução para algo q eles não conseguem resolver. Proibir algo que já é parte da vida de muita gente não tem efeito prático, bem ao contrário... E, neste caso, o celular não é um problema: o poder dele é tão fabuloso q poderia torar as aulas modorrentas e nauseabundas em momentos de aprendizagem muito, mas muito mais interessantes. Professores e coordenadores pedagógicos com preguiça de pensar e de mudar pensam sempre na mesma saída: proibir. Tirem a bola de futebol, tirem a corrida no páteo, tirem os brinquedos, tirem a discussão de gênero, tirem o tema das drogas da pauta. Curiosamente só não são eficientes em banir as armas das mentes dos jovens q optam pelo massacre como resposta ao bulling...
Jailson

Bela autoanálise.

Exibir mais comentários