Início » Antivírus e Segurança » Motoristas de Uber estão aplicando o “golpe do vômito”

Motoristas de Uber estão aplicando o “golpe do vômito”

Alguns passageiros receberam taxas de até US$ 150 do Uber por um incidente que não causaram

Por
1 ano atrás

O Uber é bastante eficiente no que se propõe a fazer, mas está sujeito a pessoas mal intencionadas. Há algum tempo, a plataforma convive com um golpe em que motoristas fazem o passageiro desistir da corrida para receber a taxa de cancelamento.

Agora, outra prática tem se espalhado entre os motoristas de países como Estados Unidos e México. Batizada de “golpe do vômito”, ela consiste em notificar o Uber por uma sujeira supostamente causada pelo passageiro durante a corrida.

Aplicativo Uber

O objetivo dos motoristas é receber uma taxa adicional. Em casos como esse, o Uber cobra mais dos passageiros para compensar os gastos com a limpeza e as corridas que o motorista perderá enquanto o veículo está sem condições de uso.

As vítimas do golpe afirmam que, em um primeiro momento, são cobradas somente pelo valor informado no aplicativo. No entanto, após a corrida ser finalizada, o serviço inclui a taxa de limpeza, que varia entre US$ 80 e US$ 150.

Ao ser questionado, o Uber diz que o motorista relatou o incidente e envia algumas fotos da sujeira dentro do veículo. O que a empresa não sabe é que a situação não foi causada pelo passageiro – trata-se de uma foto antiga.

Para resolver a situação, os usuários precisam enviar alguns e-mails e convencer o Uber de que não devem ser cobrados. A empresa investiga a situação e, se concordar com a alegação, devolve o valor da taxa.

Ao Nuevo Herald, o Uber afirma que está analisando ativamente os casos suspeitos e promete tomar as ações apropriadas. “Com 15 milhões de viagens por dia, o Uber infelizmente não está imune a esses tipos de incidentes”.

Porém, há casos ainda mais bizarros. Segundo Catalina Ruiz Parra, repórter que publicou a matéria no Nuevo Herald, alguns motoristas estão pedindo a taxa da limpeza mesmo sem realizar a corrida. Ela afirma ter sido vítima dessa ação combinada.

Depois de receber uma cobrança de US$ 16 pelo cancelamento e US$ 150 pela limpeza, ela foi obrigada a enviar prints indicando que a viagem foi realizada com outro motorista. O Uber concordou em reembolsá-la e expulsou o motorista que fez a falsa acusação.

A medida ajudou a repórter a ter seu dinheiro de volta, mas poderia ter sido facilmente evitada. Se é mais difícil identificar o golpe quando a corrida é de fato realizada, a empresa precisa ser capaz de poupar os passageiros dos óbvios casos de má-fé.

Com informações: Miami Herald.

Mais sobre: