Início » Brasil » Prefeitura de SP abre consulta pública para expandir rede de Wi-Fi grátis

Prefeitura de SP abre consulta pública para expandir rede de Wi-Fi grátis

Proposta é ao menos duplicar rede de internet sem fio, com velocidade mínima de 512 kb/s

Paulo Higa Por

A Prefeitura de São Paulo anunciou na sexta-feira (21) a abertura de uma consulta pública com um modelo de edital para expandir o programa WiFi Livre SP, que disponibiliza internet sem fio em locais públicos. A proposta é ao menos duplicar a quantidade de pontos de acesso até 2020 e permitir que empresas explorem um modelo de negócios baseado em publicidade.

O edital propõe a instalação e manutenção da rede de Wi-Fi em 615 pontos, sendo 300 obrigatórios e 315 opcionais, em locais turísticos, centros culturais e esportivos, bibliotecas e outros equipamentos públicos. O serviço está disponível atualmente em 120 praças e parques da cidade, e já registrou mais de 390 milhões de acessos, de acordo com a prefeitura.

A diferença em relação ao serviço atual, mantido pelo município, é que as empresas interessadas poderão gerar receita por meio da exploração de publicidade nos pontos de Wi-Fi. Pelo modelo do edital, quando um usuário se conectar à rede, poderá assistir a um vídeo e navegar por 180 vezes o tempo do anúncio — um vídeo de 5 segundos, por exemplo, daria 15 minutos de acesso.

Os pontos devem operar nas frequências de 2,4 e 5 GHz e ter recursos de priorização de tráfego e isolamento de clientes, impedindo que os usuários tenham acesso a dados de outros. A velocidade mínima de download será de 512 kb/s (kilobits por segundo) por pessoa, considerando a previsão de usuários simultâneos — locais movimentados, como a Praça da República, podem ter até 250 conexões ao mesmo tempo.

A consulta pública estará aberta até o dia 5 de outubro. A publicação do edital e o credenciamento dos interessados deverá acontecer ainda em 2018, segundo a prefeitura.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Mafel Bra

Qualquer aprendiz de TI pode usar um programa e observar até suas conversas.

Mafel Bra

Dados roubados é pouco vai ter mesmo é o celular roubado e no pior a vida.

João

É gratuita, não é pra ser o ponto de roubo de wi-fi de residências ou comércios próximos.

X-Tudãoᴳᴼᵀ

Eles interceptam a troca de dados entre o roteador e o dispositivo, se tu faz login numa rede social por wi-fi da para ver teus dados de login.

RWindows

wifi "gratis" num país onde as operadoras querem impor limite de download e criar planos específicos de dados

marcos_5000

Segundo o texto ("A velocidade mínima de download será de 512 kb/s por pessoa"), diz que é 512Kb/s para cada usuário, então, teoricamente, a internet deveria ter mais de 100Mb/s no total.

RWindows

512 kb/s kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk imaginem esse wifi gratis numa via de transito, ninguém vai conseguir usar.

RWindows

Wi-Fi grátis kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk que nunca funciona, tu perde tempo criando "conta" fazendo login.

Renan Alves

não entendo muito disso, mas minha duvida é, pra roubar ele teriam que ter acesso as informações, então eles criam site falsos para o usuário clicar e passar os dados? ou eles consegue acessar o smart so da pessoas conectar a ree

Renan Alves

sempre que tento usar essa rede nao funciona

X-Tudãoᴳᴼᵀ

Usar isso aí e pedir para ter os dados roubados.

Josisclelson

Aposto que vai custar milhões e vão colocar roteadorzinho tp-link 741