Início » Software Web » Microsoft prepara navegador web com mesma base do Google Chrome

Microsoft prepara navegador web com mesma base do Google Chrome

Microsoft usa Chromium para criar novo navegador web (codinome Anaheim) que deve substituir Edge como padrão no Windows 10

Por
04/12/2018 às 10h24

A Microsoft deve anunciar ainda esta semana seu futuro navegador web baseado no Chromium, tecnologia de código aberto usada no Google Chrome. Ele tem codinome Anaheim e pode substituir o Edge como navegador padrão no Windows 10, levando a uma rivalidade menor entre browsers.

Foto por Isriya Paireepairit/Flickr

Segundo o Windows Central, a Microsoft está usando o Chromium para criar um novo navegador web; trata-se do projeto open-source no qual o Chrome é baseado. Estes planos serão revelados oficialmente ainda esta semana, de acordo com o The Verge.

A Microsoft deve abandonar a engine EdgeHTML para renderizar páginas da web. Essa tecnologia foi lançada em 2015, junto ao Windows 10, e representava uma evolução da engine Trident encontrada no Internet Explorer. A empresa pôde enfim se livrar de código legado e se concentrar em padrões modernos como o HTML5.

No entanto, alguns sites ainda se comportam de forma diferente no Chrome e no Edge. E o navegador da Microsoft não é exatamente uma prioridade: ele responde por apenas 4% dos acessos no desktop, segundo o StatCounter, contra 72% do browser do Google. Nem mesmo alguns serviços do Azure funcionam direito no Edge!

Por isso, a Microsoft deve enfim jogar a toalha e admitir que o Chrome venceu. Inclusive, seus engenheiros de software estão colaborando com o Google para que o navegador seja oferecido na Microsoft Store e rode no Windows 10 em ARM — ou seja, em processadores Snapdragon. “Eu acredito que você o terá por volta da segunda metade do ano que vem”, disse um executivo da Qualcomm ao Android Authority.

Ainda não está claro se a Microsoft continuará usando o nome “Edge” ou se vai adotar outro. De um jeito ou de outro, a rivalidade com outros navegadores deve diminuir; este ano, por exemplo, o Windows 10 recomendava não instalar o Chrome ou o Firefox. (A tática foi interrompida.)

Com informações: Windows Central, The Verge.

Tecnocast 070 – É o fim da guerra dos browsers?

Em um passado muito distante (pelo menos em anos de internet), um dos passatempos preferidos dos aficionados por tecnologia era testar vários navegadores diferentes e torcer pela dominância do seu predileto. Navegador (assim como antivírus e sistema operacional) era como time de futebol: você escolhia um e o defendia até o fim.

Mas, segundo Andreas Gal (ex-CTO da Mozilla), esses tempos ficaram para trás. O Chrome não só venceu, como é bem possível que todos os seus concorrentes estejam mortos em dois ou três anos (menos o Safari). Será? Dá o play e vem com a gente!