Início » Gadgets » Samsung encerra produção de Blu-ray players nos EUA

Samsung encerra produção de Blu-ray players nos EUA

A fabricação e o lançamento de players de Blu-ray já foram encerrados no Brasil

André Fogaça Por

A Samsung deixará de fabricar e lançar novos tocadores de Blu-ray nos Estados Unidos, colocando assim mais um prego no caixão das mídias físicas para o público em geral. A novidade foi confirmada pela imprensa americana e envolve os modelos que reproduzem apenas em Full HD, além dos mais potentes e que conseguem mostrar conteúdo gravado em 4K no disco.

A notícia vale apenas para os Estados Unidos, mas pode ser um movimento antecipando o que está por vir para outros mercados. Este declínio no consumo de filmes em discos já está acontecendo faz tempo, graças ao crescimento dos serviços de streaming via internet como Netflix e Amazon Prime Video, além de outros que vendem o conteúdo como o iTunes da Apple e o Play Filmes, do Google.

Outro ponto importante para a venda online dos filmes é que os dois exemplos listados no parágrafo anterior transformam uma compra de conteúdo em Full HD para 4K e com HDR, sem qualquer custo. Em um disco comprado em versão 1080p, o proprietário precisa comprar novamente o filme na versão 4K para aumentar a qualidade de imagem – e o filme em 4K custa mais caro do que em Full HD.

Além disso, uma pesquisa publicada pela Nielsen apontou que em 2018, apenas 66% das casas americanas com TV utilizam ao menos um player de DVD ou Blu-ray – contra 72% no ano anterior.

No Brasil a Samsung confirmou ao Tecnoblog que já encerrou a fabricação de todos os modelos de players de Blu-ray, com poucas marcas que continuam atuando – basicamente apenas alguns reprodutores da LG e Sony são encontrados no mercado.

Com informações: The Verge.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lúcio Dsc

Eu ainda frequento uma locadora em sc do sul....eu acho incrivel discutir sobre filmes pegar indicacoes....o dono lá é um jedi sobrevivente....locadoras deveriam ser tombadas e receber o titulo de instituicao cultural....fazem muita falta....claro que tenho mais de 40 né

Vanil

2019, na era do streaming e os caras ainda estavam produzindo blu-ray? Fala sério! Isso sem contar com as samrtvs e mídias digitais. Foi bom enquanto durou!

paulo yan

Blu-ray nunca pegou de verdade no Brasil né?

paulo yan

A qualidade é a mesma de um reprodutor feito só pra isso?

Ícaro

O primeiro eu comprei na época de lançamento e vendi em 2015, o segundo morreu numa descarga elétrica ano passado.

márcia regina

Concordo totalmente com o que vc falou. Seria ótimo termos várias opções. Streaming, mídias físicas, etc mas como vc disse, é o capitalismo que fala mais alto e não estão nem aí pra um público menor. Lamentável!!

Caleb Enyawbruce

Concordo

Wallace De Souzamartins Ventur

Se existe locação de BD r 4k por 3 ou 4 reais eu iria alugar pelo menos uma vez na semana a qualidade é sem igual junto com um home prefiro isso do que cinema mais ficar comprando disco é complicado por que fica sem espaço cedo ou tarde e a maior parte dos filmes não vale a pena ver mais de 1 vez

Jean Ricardo

A dependência total da internet ainda vai dar ruim um dia, fica vendo.

Jean Ricardo

E eu uso o PS3 dês de 2010, tive player samsung antes do console mas adquiri um Home Theater Sony no lugar deste

Caleb Enyawbruce

Pois é

Palhaço dançarino B/W

A não ser que ele seja um colecionador de versões especiais

Epic Mac Fadden - ODZ -

Ahhhhhh....... maravilha de bitrate em 50Mbps....
Os arquivos que recebo no trabalho vêm em 35Mbps pro Full HD, e 50Mbps em 4K.

Rafael Rocha

Bom... Reprodutor de blu-ray, eu tenho o PS4. E eu ainda prefiro a mídia física, quando se trata de jogos e filmes. Além do filme (ou série, que seja), sempre há extras e coisas bacanas presentes nos discos... E você não depende da sua conexão para ter uma imagem boa.

Caleb Enyawbruce

O ponto que estou levantando é justamente esse: o público não está nem aí pra quantidade. Ninguém quer ter o trabalho de sair de casa pra alugar ou comprar filmes, tendo a opção de assistir alguns no conforto do sofá e uns toques no controle da TV. Além do que eu disse sobre cada filme isolado ser mais caro que UM MÊS de Netflix. Esses dois fatores, junto com a pirataria de mídia física, foram os motivos principais para a queda das locadoras.

Quanto às distribuidoras venderem filmes em arquivos digitais sem DRM, hahaha! Isso é tão longe da realidade quanto a Terra de Plutão. Óbvio que não vai acontecer. Primeiro pelo motivo acima: poucos vão querer pagar mais que uma mensalidade de Netflix em um único filme. E segundo porque você sabe bem o que aconteceria com arquivos sem DRM “caindo na rede”. Por maiores que fossem, iriam virar torrent facilmente.

Quanto a existirem varios serviços de streaming, infelizmente é o cenário que está se formando. Porém é um mercado ainda em formação. Vamos ver o que as empresas vão fazer quando perceberem que o povo não vai obviamente assinar todos os serviços, de cada produtora ou distribuidora que resolver abrir o seu. Cedo ou tarde algumas vão desistir por não ter cliente suficiente e aí vão ter que se unir com outras pra se tornar relevante e conseguir manter o serviço de streaming. Vamos ver...

Pra fechar, a resposta que eu disse ao @Paul serve aqui também (sobre eu concordar que deveria sempre existir a opção pra quem quer comprar filme por filme, com qualidade superior e tals). Até mais!

Exibir mais comentários