Início » Aplicativos e Software » Windows 10 permite adiar atualizações por 35 dias e não força May 2019 Update

Windows 10 permite adiar atualizações por 35 dias e não força May 2019 Update

Todas as versões do Windows 10, incluindo a Home, podem pausar atualizações por até 35 dias

Felipe Ventura Por
35 semanas atrás

A próxima versão do Windows 10 se chama May 2019 Update, e a Microsoft está fazendo de tudo para evitar outro fiasco: a atualização permanecerá em testes por mais tempo no canal Release Preview; ela não será instalada automaticamente em diversos PCs; e até mesmo correções de segurança poderão ser adiadas por até 35 dias no Windows Update.

Foto por comedynose/Flickr

A Microsoft anunciou nesta quinta-feira (4) uma série de mudanças no processo de atualização do Windows 10. Estes são os principais pontos:

  • os usuários poderão ativar manualmente a instalação do May 2019 Update, que não será mais automática (exceto se o PC estiver próximo de perder suporte);
  • haverá opções separadas no Windows Update para instalar correções de segurança e para o May 2019 Update;
  • será possível pausar atualizações em todas as variantes do Windows 10, incluindo a Home, por até 35 dias (cinco períodos de 7 dias);
  • o May 2019 Update permanecerá em testes por mais tempo no canal Release Preview do programa Windows Insider;
  • a Microsoft vai usar técnicas para detectar problemas de baixo volume e alta gravidade, especialmente na área de perda de dados.

Windows 10 May 2019 Update terá instalação manual

O Windows 10 vai notificar os usuários quando o May 2019 Update estiver disponível e quando o PC não tiver problemas conhecidos de compatibilidade (com programas instalados ou hardware, por exemplo). Cabe ao usuário decidir instalar a atualização, porque ela não será mais baixada automaticamente.

A Microsoft abre uma exceção para PCs que estiverem próximos a perder suporte: neste caso, a atualização continuará a ser instalada automaticamente, porque "é fundamental para a segurança do dispositivo e para a saúde do ecossistema".

Além disso, o Windows Update ganhará uma opção separada "Baixar e instalar agora" para o May 2019 Update. Dessa forma, se você clicar em "Verificar se há atualizações", o sistema receberá apenas correções de segurança e novos drivers.

Atualizações podem ser adiadas por até 35 dias

Todas as versões do Windows 10, incluindo a Home, poderão pausar atualizações por até 35 dias — na verdade, 7 dias por vez com um máximo de cinco vezes. Quando esse limite for atingido, o usuário terá que atualizar o dispositivo antes de pausar novamente.

Além disso, os usuários poderão deixar o Windows Update ajustar inteligentemente as horas ativas, com base nos padrões de uso do PC. Ou seja, se você usa muito o computador à noite, não será interrompido para instalar atualizações de sistema. Atualmente, esse horário é fixo, definido por padrão como 8h às 17h.

Windows 10 May 2019 Update será testado por mais tempo

Tem mais: a Microsoft está aumentando o tempo em que o May 2019 Update fica em testes no canal Release Preview, para obter mais feedback dos usuários. Ela também vai trabalhar "em estreita colaboração com os parceiros do ecossistema".

O feedback não adianta muita coisa se for ignorado. Por isso, a Microsoft está usando técnicas de NLP (processamento de linguagem natural) e aprendizado de máquina para detectar problemas de baixo volume e alta gravidade, em especial no que tange a perda de dados.

Não é à toa: a atualização de outubro de 2018 apagou arquivos pessoais de alguns usuários. O problema foi relatado na ferramenta de feedback da Microsoft, porém foi ignorado porque afetava poucas pessoas.

O May 2019 Update entrará em testes no canal Release Preview a partir da semana que vem, disponível para participantes do programa Windows Insider. Ele será lançado aos usuários em geral no fim de maio.

"Ouvimos um feedback claro de que o processo de atualização do Windows pode ser disruptivo, e ouvimos particularmente que os usuários gostariam de ter mais controle sobre quando as atualizações acontecem", escreve Mike Fortin, vice-presidente corporativo do Windows.

Com informações: Microsoft.

Mais sobre: , ,