Início » Telecomunicações » Telebras registra prejuízo de R$ 224 milhões em 2018

Telebras registra prejuízo de R$ 224 milhões em 2018

Apesar do resultado negativo, a empresa teve alta de 172,4% em sua receita operacional líquida

Victor Hugo Silva Por

A Telebras confirmou nesta sexta-feira (5) no Diário Oficial da União que fechou 2018 com um prejuízo de R$ 224,9 milhões. O balanço marca mais um resultado negativo da empresa, que registrou déficit de R$ 243,8 milhões, em 2017, e de R$ 270,8 milhões, em 2016.

No prejuízo ajustado, que considera eventos não recorrentas, a Telebras terminou 2018 com deficit de R$ 282,8 milhões. O prejuízo é 34,2% maior do que o registrado em 2017, quando ficou em R$ 210,7 milhões.

Telebras

A companhia afirma que as despesas não recorrentes tem três motivos: o aumento de custos com meios de conexão e transmissão, principalmente EILD; o aumento de custos com depreciação pela entrada em operação do satélite; e mudanças no reconhecimento de encargos financeiros.

Apesar do prejuízo, o balanço indica um crescimento significativo da receita operacional líquida da Telebras. Ela ficou em R$ 199,6 milhões, uma alta de 172,4% em relação a 2017, quando ficou em R$ 73,3 milhões. Em 2016, a receita operacional líquida foi de R$ 56,1 milhões.

O crescimento foi causado por maior volume de novos contratos; incremento de contratos com órgãos como Ministério do Trabalho e ICMBio; locação de capacidade satelital ao Ministério da Defesa; e antecipação de uma receita pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

“Focamos nossa atuação no fortalecimento da infraestrutura satelital e no gerenciamento de desempenho econômico-financeiro para garantir a rota de estabilidade e de qualidade em nossos serviços”, afirma a Telebras, no balanço.

A empresa aponta como conquistas de 2018 a inauguração de Centros de Operações Espaciais em Brasília e no Rio de Janeiro, além de três Estações de Acesso Gateways em Florianópolis, Salvador e Campo Grande.

O balanço destaca, ainda, o aumento de 111% do número de circuitos instalados ativos e a troca da participação societária no cabo submarino Brasil-Europa pelo direito de uso irrevogável de uma parcela de sua capacidade.

Com informações: TeleSíntese.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

phsodre

Eles já tentaram isso. O problema é que como toda estatal, eles cobram um valor tão absurdo, que as empresas preferem mil vezes ir melhorando lentamente sua própria rede, do que ter um custo alto demais de uma vez só! O famoso "Custo Brasil" atinge a todos. E no fim quem continua pagando a maior parte da conta, somos nós!

DanielBastos

Que foi capado antes de começar com lobby e mutretas.

Cleidson

Paulo Guedes neles!

HolmesT

A Telefonica comprou a Telesp, que era a operadora de telefonia de São Paulo do grupo Telebras.

johndoe1981

Sabia nem que esse cabide de empregos ainda existia. E bom que os anencéfalos defensores de estatal vão pagar o prejuízo também.

johndoe1981

Definição perfeita 👏

Yago G. Oliveira

A Tim desafogou a rede usando a Telebrás

tuneman

Isso mesmo, ela foi reativada para o plano nacional de banda larga.
Ela dá prejuizo justamente por que leva internet a lugares caros, onde as demais não interessam.

tuneman

acho que ainda tenho umas fichas telefonicas com aquele logotipo

Guilherme Andrade

E que não recebem nada em troca pela colaboração.

Comentário Mil Grau℗

Pensei que a Telefónica tinha comprado a Telebras, para o meu espanto parece que não!

Keaton
André Noia

Mas ela foi reativada justamente pra isso. Levar conexões até pontos onde as empresas privadas não querem e, a partir daí, provedores locais fariam a finalização do acesso, venda etc etc. A gente vive ouvindo que os pequenos provedores do interior estão desbancabdo as grandes Teles. Eu só não sei exatamente se eles estão contratando algo da telebras pra fazer isso

Rod

Podia até não saber, mas tava rachando a conta.

Felipe Costa Gualberto

Fechem esse negócio logo!

Exibir mais comentários