Início » Celular » Xiaomi não vai lançar Mi Max nem Mi Note este ano, confirma CEO

Xiaomi não vai lançar Mi Max nem Mi Note este ano, confirma CEO

Xiaomi não terá novos modelos do Mi Max, celular focado em baterias grandes; e do Mi Note, com telas grandes

Felipe Ventura Por

A Xiaomi pode estar se despedindo de duas linhas de celulares: o CEO Lei Jun confirmou que a empresa não lançará em 2019 novos modelos do Mi Max, focado em baterias grandes; e do Mi Note, com telas grandes. Os smartphones da fabricante já possuem displays acima de 6 polegadas e oferecem boa autonomia, incluindo os da marca independente Redmi.

Xiaomi Mi Max 3

Xiaomi Mi Max 3

“Não há planos para novos Mi Max e Mi Note este ano”, disse o CEO na rede social Weibo. Ele não deu motivos para tanto, mas alguns sinais indicam que as duas linhas estão chegando ao fim.

O Mi Max era certamente um aparelho de nicho, testando os limites entre smartphone e tablet com tela bem grande e bateria idem. Por exemplo, o Mi Max 2 tem 6,44 polegadas e 5.300 mAh. Seu sucessor, o Mi Max 3, foi ainda além: display de 6,9 polegadas e capacidade de 5.500 mAh.

Enquanto isso, o Mi Note surgiu em uma época na qual celulares com tela grande eram a exceção. Ele foi perdendo sua razão de ser à medida que o mercado migrou para displays maiores.

O Mi Note 2 tinha design bem semelhante ao Galaxy Note 7, mas não pegava fogo. Enquanto isso, o Mi Note 3 adotou uma tela ligeiramente menor e um processador intermediário; ele foi lançado em 2017.

Xiaomi Mi Note 2

Xiaomi Mi Note 2

Xiaomi vai se concentrar em celulares Mi, Mi Mix e CC

Os celulares mais recentes da Xiaomi já possuem tela grande, graças ao notch e a câmeras retráteis; e vários deles trazem bateria de 4.000 mAh. É o caso do Mi 9, Redmi K20 Pro e Redmi Note 7.

E, claro, a Xiaomi já lançou 15 celulares novos entre janeiro e junho. Ela vai até restringir a MIUI Beta global para modelos com menos de um ano de lançamento. A empresa já tem muitas linhas de smartphone, e por isso mesmo poderia se livrar de algumas — como o Mi Max e o Mi Note.

O CEO da Xiaomi explica que a empresa se concentrará na linha Mi principal e na série experimental Mi Mix, além da nova CC para jovens. Enquanto isso, a marca independente Redmi foca em dispositivos com maior custo-benefício para venda online, nas linhas Redmi Note, Redmi K e Redmi A (de celulares básicos como o Redmi 7A).

Com informações: XDA Developers, Gizmochina.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rookie naz

Me referi ao nome Note que antigamente se referia a tela grande.

Comentário Mil Grau℗

Não fará falta pela quantidade ENORME de lançamentos derivados de um modelo. Isso parece a Samsung antigamente com Galaxy S e seus bluecaps: S Plus, S Active, S Mini, S Dual, S Pocket, S 4G...

Maurício

"O Mi Note 2 tinha design bem semelhante ao Galaxy Note 7, mas não pegava fogo " https://media2.giphy.com/me...

Rookie naz

Me referi ao nome e não o segmento, Note antigamente era sinônimo de um celular com tela grande.

Buldego

O MiNote nunca fez sentido existir da forma que existe. Tive o MiNote 2, era uma celular legal e tal, mas não tinha nada que se diferenciasse dos outros em termos de sistema, como tem na linha Note da Samsung.

Rookie naz

"Ele foi perdendo sua razão de ser à medida que o mercado migrou para displays maiores."

Uma coisa que também perdeu o sentido é a linha Redmi Note, a linha Redmi Note sempre era maior que a linha Redmi, hoje o Redmi 7 é praticamente do mesmo tamanho do Redmi Note 7.

Gabriel P B

mi max 3 ainda vale para 2019

Franco Luiz

Mi max n faz mais sentido hoje em dia