Início » Aplicativos e Software » Afinal, a distro SUSE Linux é paga ou gratuita?

Afinal, a distro SUSE Linux é paga ou gratuita?

Conheça todos os segredos da distribuição SUSE Linux: como ela surgiu, qual a sua finalidade e descubra se ela é gratuita ou paga

Ronaldo Gogoni Por
16 semanas atrás

O SUSE Linux é uma das distribuições Linux mais sólidas e confiáveis quando o assunto são soluções para o mercado corporativo e servidores, mas muita gente sempre se perguntou: a SUSE é paga ou gratuita? Existe mais de uma versão? Software livre não deveria ser grátis? Aqui, você vai entender tudo isso para ajudá-lo na escolha.

Bergadder / camaleão (detalhe) / Pixabay / SUSE Linux

O que é SUSE Linux? Ela é gratuita ou paga?

A SUSE Linux Enterprise Server é uma distribuição desenvolvida pela empresa alemã SUSE, cujo foco são soluções corporativas, especialmente servidores e máquinas de grande porte, embora também possa ser usada em computadores para usuários finais.

Entretanto, diferente da maiorias das distros Linux, o SUSE Linux não é gratuito.

A SUSE (de Software und System-Entwicklung" ou "Software e Desenvolvimento de Sistemas", em alemão) foi fundada em 1992 e lançou a primeira versão da distro em 1994. Em 2005, a empresa foi comprada pela Novell. Sendo comprada pela Attachmate em 2011, que resolveu tornar a SUSE uma empresa administrada de forma independente. Em 2014, a Micro Focus comprou a Attachmate e a SUSE, mantendo a gestão, para finalmente em 2018 a EQT comprar apenas a SUSE, por US$ 2,5 bilhões.

O SUSE Linux Enterprise, assim como a Red Hat é uma distro inicialmente voltada para empresas. Porém, diferente desta que cobra apenas pelo suporte a empresas, o SUSE é distribuído apenas através de licenças pagas, o que abrange uso e suporte.

SUSE Linux Enterprise Server 15

Mas o Linux não é software livre?

Essa é uma confusão que muita gente faz, ao afirmar que software livre deve ser gratuito. Na verdade, o fato de um software ser livre não necessariamente quer dizer que ele tenha que ser distribuído de graça. Para isso, a distribuição e seus mantenedores devem seguir todas as Quatro Liberdades da Licença Pública Geral GNU (GNU GPL).

  1. Liberdade de executar o programa para qualquer propósito;
  2. Liberdade de estudar como o programa funciona e adaptá-lo às suas necessidades (acesso ao código-fonte);
  3. Liberdade de redistribuir cópias, de modo que você possa ajudar outras pessoas;
  4. Liberdade de aperfeiçoar o programa e liberar suas modificações para a comunidade, para que todos possam se beneficiar.

Sim, a lista começa com a Liberdade 0; ideia de Richard Stallman, fundador do Projeto GNU e da Free Software Foundation. Assim, desde que uma distribuição observe e siga todas as Quatro Liberdades, o autor pode manter os direitos sobre ela e vendê-la.

Eu posso usar o SUSE Linux sem pagar?

Sim e não.

Embora a versão Enterprise seja distribuída através de licenças pagas para corporações, você pode baixar e testar esta versão por 60 dias, sem a necessidade de compra-la. No entanto, passado o período será preciso abrir a carteira para usá-la integralmente.

Agora, se você quer usar os recursos do SUSE de forma permanente e gratuita, há uma opção: desde 2005, a Novell mantinha o Projeto openSUSE (hoje ligado à EQT), que envolve a comunidade no desenvolvimento e manutenção de uma versão gratuita, também chamada openSUSE, lançada no mesmo ano, para usuários finais.

openSUSE / suse linux

Diferente do SUSE Linux Enterprise, cujo foco são servidores, o openSUSE é uma distribuição voltada para desktops e usuários finais, mas que empresta a estabilidade da versão empresarial; além disso o comprometimento da comunidade beneficia o openSUSE da mesma forma que outras distros gratuitas do Linux.