Início » Negócios » Facebook Libra perde apoio de Visa, Mastercard e eBay

Facebook Libra perde apoio de Visa, Mastercard e eBay

Com pressão de reguladores, a criptomoeda do Facebook já havia perdido o apoio do PayPal

Victor Hugo Silva Por

Uma semana após o PayPal deixar o projeto do Libra, o Facebook se viu obrigado lidar com mais baixas. A criptomoeda perdeu o apoio de Mastercard, Visa, eBay e Stripe, de acordo informações publicadas nesta sexta-feira (11) por Reuters e The Verge.

Facebook Libra

Com as mudanças, a Libra fica sem nenhum parceiro na área de pagamentos. As empresas tomaram a decisão dias antes do conselho responsável pela criptomoeda realizar sua primeira reunião, marcada para a próxima segunda-feira (14).

Segundo o The Verge, o encontro deverá ser usado para firmar compromissos mais específicos, o que pode ter contribuído para as empresas optarem por já deixar o projeto. Em nota, a Visa indicou que a sua saída está ligada a questões regulatórias.

"A Visa decidiu não ingressar na Associação Libra no momento", afirmou a empresa. "Continuaremos a avaliar e nossa decisão final será determinada por vários fatores, incluindo a habilidade da Associação de satisfazer plenamente todas as expectativas regulatórias necessárias".

O eBay promete se concentrar em seus projetos. "Nós respeitamos muito a visão da Associação Libra. No entanto, o eBay tomou a decisão de não avançar como membro fundador. No momento, estamos focados em implementar a experiência de pagamentos gerenciados do eBay para nossos clientes".

A Stripe informou, em nota, que apoia projetos que visam tornar o comércio online mais acessível para todas as pessoas. "O Libra tem esse potencial. Nós acompanharemos seu progresso de perto e permaneceremos abertos para trabalhar com a Associação Libra posteriormente".

A Mastercard não se emitiu um posicionamento oficial até a publicação deste post. Em nota, o diretor de política e comunicações da Associação Libra, Dante Disparte, agradeceu o apoio que as empresas ofereceram enquanto participaram do desenvolvimento da criptomoeda.

"Estamos focados em avançar e continuar a construir uma forte associação de algumas das principais empresas e organizações de impacto social do mundo. Esperamos pela reunião inaugural do Conselho da Associação Libra em apenas três dias e anunciaremos os membros iniciais da Associação Libra".

A informação de que Mastercard, Visa e outros parceiros repensavam o apoio ao Libra já havia sido divulgada no início do mês pelo Wall Street Journal. Em agosto, o Financial Times indicou que dois membros pensavam em deixar o projeto.

O Facebook pretende colocar o Libra em ação em 2020, mas enfrenta resistência de reguladores. A França, por exemplo, quer que a criptomoeda seja banida na União Europeia, enquanto os Estados Unidos pedem a suspensão de seu lançamento.

Projeto do Libra envolve até acusação de plágio

O Libra será regulado na Suíça e comandado pela Associação Libra, formada agora por 24 membros (eram 28). Um deles é a Calibra, subsidiária do Facebook lançada em junho especialmente para o desenvolvimento da criptomoeda.

Como se não bastassem os problemas com reguladores, o Facebook também precisa tratar de uma acusação de plágio. O logo da Calibra teria sido feito como cópia do logo da Current, uma startup bancária fundada em 2015.

A Current questionou a semelhança entre as duas marcas em seu perfil no Twitter e abriu um processo não só contra o Facebook, mas também contra a agência de design Character. Ela teria criado os dois logos em uma diferença de três anos.

Ainda não está claro como a Character apresentou duas marcas quase idênticas, mas o processo poderá impor mais dificuldades ao Facebook. A empresa de Mark Zuckerberg pretende oferecer a criptomoeda no WhatsApp e no Messenger, mas, antes, deverá resolver uma série de problemas.

Com informações: TechCrunch, The Verge.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

sergio zaim
O destino das criptomoedas no Brasil 04/08/2019 Adormecido desde 2017, quando o Bitcoin atingiu a máxima histórica, o debate renasceu após a operação Spoofing prender os hackers de Araraquara.O Comentarista conversou com Vinicius Poit, deputado federal pelo partido Novo, que está à frente da ''regulação'' do setor no Brasil.
Eric Viana
Exato, poderia ser coincidência como foi alegado no caso do logo do Airbnb que evocou uma marca dos anos 50... Mas nessa situação a agência fez os dois logos e até os ângulos dos "~" são idênticos... Já seria ruim se fossem clientes de dois mercados diferentes mas para piorar são duas empresas que lidam com financeiro... Está complicado de defender...
Arthur Soares
Plágio não é só se for idêntico não jovem. Plágio é exatamente por ser parecido, o famoso copia só não faz igual.
Rafael F. Silva
Quando começar a atrapalhar o recolhimento de impostos, os governos vão matá-la imediatamente.
Luizão
se essa moeda virtual der pra comprar umas coisas usadas no marketplace do facebook ja está bom.
Vader
acho que, apesar disso, essa moeda tem uma grande chance de ir pra frente, sobretudo em mercados emergentes, onde há centenas de milhares de usuários ativos do WhatsApp e do Messenger.se isso fizer sucesso nas massas, aí já era.
vampent mineruo
PI não existe, podia ter copiado q nao tem problema
LekyChan
fora que nada mais é que um ~
CtbaBr©
Continuando assim, melhor trocar o nome para Bolívar.
CtbaBr©
Continuando assim, melhor trocar o nome para Bolívar.
Lucas Corrêa
Se houvesse a possibilidade de agência não conhecer o primeiro logo até vai, mas ela mesma q fez.
Paquito78
Você só pode estar brincando. É óbvio que a agência usou a mesma base para as duas. O plágio existe, independentemente de ter sido consciente ou não.
Matheus Alexandre
Parecido é, mas só por isso não pode ser considerado plágio. O que esses caras querem é tirar uma casquinha, nada mais.
Anakin
cara, está muito parecido
Matheus Alexandre
Esse lance do plágio nada a ver. Tem muita diferença aí.
Matheus Alexandre
Esse lance do plágio nada a ver. Tem muita diferença aí.