Início » Aplicativos e Software » Imposto de Renda 2021 não exige instalação do Java para rodar no PC

Imposto de Renda 2021 não exige instalação do Java para rodar no PC

IRPF 2021 traz Java embutido no download para Windows, macOS e Linux; Receita Federal permite declarar via app no iOS e Android

Felipe VenturaPor

Uma das partes mais pentelhas de declarar o imposto de renda – fora o processo em si – é ter que instalar o Java para que o programa da Receita Federal funcione no PC. Não mais: o IRPF 2021, liberado nesta quinta-feira (25), já traz esse software embutido nas versões para Windows, macOS e distribuições Linux.

IRPF (Imagem: Divulgação / Receita Federal)

IRPF (Imagem: Divulgação / Receita Federal)

Como baixar IRPF 21 no computador e celular

Não se engane: o programa da Receita Federal ainda é baseado em Java, mas deixa de exigir uma instalação à parte. Basta baixar o arquivo neste link, instalar e usar. Também é possível preparar a declaração através do celular ou tablet, fazendo o download do app para iPhone, iPad e Android; ou através do navegador acessando o portal e-CAC.

Você precisa declarar o IR se recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 ao longo de 2020; se teve rendimentos isentos acima de R$ 40 mil; ou se realizou qualquer operação em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e semelhantes.

Há outras novidades este ano: como comentamos por aqui, agora há códigos específicos para declarar bitcoin, outras moedas digitais (como ether e XRP) e tokens.

A Receita poderá usar seu e-mail ou número de telefone para enviar alertas sobre a existência de mensagens na caixa postal. Para visualizá-las, é necessário acessar o Portal e-CAC. No entanto, o órgão avisa em comunicado que “não realiza comunicação com o contribuinte por e-mail ou mensagens telefônicas solicitando dados, informações bancárias ou informando trâmites dos contribuintes”.

Além disso, mais pessoas poderão ter acesso à declaração pré-preenchida, usando dados já prestados à Receita por outras fontes: será necessário apenas corrigir eventuais erros e dar informações complementares. O contribuinte precisa estar cadastrado no portal Gov.br com autenticação de dois fatores. Isso deve ser liberado em 25 de março de 2021.

IRPF 2021 vem com Java

Java vem embutido no IRPF 2021 (Imagem: Reprodução)

Java vem embutido no IRPF 2021 (Imagem: Reprodução)

O JRE (Java Runtime Environment) agora acompanha o programa do Imposto de Renda: ele vem em uma pasta própria, chamada “java-runtime”, e funciona sem exigir uma instalação à parte.

A Oracle, dona da implementação oficial da plataforma Java SE, lista diversas vantagens de se fazer isso: por exemplo, o instalador fica mais intuitivo para o usuário (por não requer um passo adicional) e já vem com a versão correta do JRE.

Como desvantagens, a Oracle menciona que o tamanho do arquivo para download acaba aumentando, o que é difícil de evitar; e a atualização do Java fica dependente de quem distribui o programa, porque essa modalidade não possui suporte a autoupdate.

A novidade adotada pela Receita Federal se chama empacotamento autossuficiente de aplicativo (Self-Contained Application Packaging). Isso vem sendo desenvolvido pela comunidade OpenJDK e pela Oracle ao longo dos últimos anos, culminando na ferramenta jpackage que foi lançada em 2020.

“Isso permite que os aplicativos Java sejam distribuídos, instalados e desinstalados de uma maneira familiar aos usuários”, explica o site do OpenJDK, implementação de código aberto do Java. “Por exemplo, no Windows, os usuários esperam poder clicar duas vezes em um pacote para instalar o software e, em seguida, usar o painel de controle para remover o software.”

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
18 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sérgio (@trovalds)

Entrei na notícia todo feliz pensando: finalmente a RFB reescreveu o sistema em outra linguagem. Mas eles só empacotaram o JAVA dentro do instalador mesmo.

Enfim, facilita não ter que instalar o JRE à parte.

Elton Henrique Faust (@eltonfaust)

Pra mim todo ano era um parto porque o instalador sempre dizia que a versão do java era incorreta, não importava que versão tivesse instalado, sempre tinha que apelar pra baixar o .jar direto pra conseguir rodar, pelo menos isso não me incomodo mais.

Bruno Cabral Peixoto (@Bruno_Cabral_Peixoto)

Aqui, além do problema de versão do java, as vezes o Java travava na transmissão.
Solução: Usar o OpenJDK do Linux que é parcialmente incompatível, MAS consegue transmitir sem travar.

@ksio89

Mudou p… nenhuma então. Isso é preguiça ou economia da Receita Federal? Não dá pra criar um programa que não precise do Java?

Não sei qual o pior, se é ter que instalar o Java Runtime para usar o IRPF, ou ter que instalar o maldito módulo Warsaw para acessar internet banking do Banco do Brasil e da Caixa.

Ricardo Mota (@Ricardo_Mota)

Rapaz, e eu pensando que o software da receita finalmente era compatível com o openjdk. Sim, porque depois de anos e anos apanhando com a instalação do programa, eu fiz a instalação antes do openjdk. E até pensei em baixar a versão multiplataforma, para usar o terminal para iniciar o programa, como eu fazia antes. Mas aí eu pensei: como eu não tenho vergonha mesmo, porque não tentar de novo, né? Aquela coisa, o não eu já tenho. E fiquei surpreso em conseguir instalar sem problemas. No final das contas, não foi por causa do java que eu instalei. De qualquer forma, como tem que baixar o bendito programa todo ano, tá de boa. Parabéns à receita dessa vez.

Goku SSGSS (@renatodantas)

Eu esperando a versão Web do IRPF:

John Smith (@john)

O Warsaw, sem nenhuma sombra de dúvida. Essa praga é um verdadeiro malware. Até o nome é horroroso…

Eu (@Keaton)

Pelo menos essa desgraça fica restrita ao sistema do imposto de renda…

² (@centauro)

Eu tenho uma instalação do Windows exclusivo para acessar o IB do BB por causa do Warsaw.
Taquei o dane-se mesmo, não vou ficar instalando esse negócio no sistema que eu uso diariamente.

@ksio89

Pior que esse módulo se comporta como um rootkit mesmo. E isso porque era pior quando ainda era o Gbplugin, consumia bem mais recursos do sistema, hoje está bem melhor.

Idem. Instalei o Ubuntu (dual boot) em um laptop antigo e nele o câncer desse Warsaw, e no desktop que tem hardware pra isso, uso uma VM do Windows 10 Enterprise com aquele ativador KMS esperto.

Daniel Plácido (@Daniel_Placido)

Não entendo porque todo ano precisa de um novo programa, porque não é um único software e todo ano só alimenta os dados do ano anterior? ficaria até mais prático pois iria fazendo vários lançamentos no decorrer do ano, mas no Brasil a lei é complicar a vida do cidadão;

Eu (@Keaton)

Putz. agora tu me lembrou o porque o vmware estava instalado no meu FX-6300…

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Porque sempre estão adicionando novas coisas nele, e as vezes mudando algumas de lugar, se prestar atenção mesmo durante o período de envio da declaração o programa recebe correções, fazer um programa que abra todas as versões das declarações seria muito mais complicado e sujeito a bugs, uma função na declaração desse ano pode fazer com que pare de abrir as declarações de 2018 por exemplo.

Carlos Alberto Rocca (@carlosrocca)

Todos os anos eu baixo o programa multiplataforma, mesmo utilizando Windows. Sempre descompacto para o diretório IRPF que está dentro do OneDrive. Todos os arquivos relacionados à declaração ficam ali, e eu tenho todos os programas para executar sempre que eu precisar, com os dados corretos.
Esse ano baixei a versão multiplataforma e não era compatível com o Java que eu tinha na minha máquina. Já desinstalei o Java, e agora tenho só o OpenJDK instalado (baixei e instalei a parte).
E não é que o programa do ano passado abre pelo OpenJDK também?

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Acho que os programas do governo funcionam a base de fita adesiva nos códigos.

Exibir mais comentários