Início » Celular » Xiaomi vai reduzir velocidade de recarga em celulares com bateria não oficial

Xiaomi vai reduzir velocidade de recarga em celulares com bateria não oficial

Celulares da Xiaomi com baterias de terceiros podem ter a velocidade de recarga reduzida para proteger usuários de acidentes

Bruno Gall De Blasi Por

A Xiaomi pretende reduzir a velocidade de recarga e emitir alertas caso o celular utilize uma bateria de terceiros. De acordo com o XDA-Developers nesta quinta-feira (26), a nova versão do app Mi Security deixa algumas pistas sobre a implementação dos avisos e do limite ao detectar uma peça não oficial. A princípio, a função chegará somente aos usuários da China e alguns smartphones da fabricante.

Xiaomi Redmi Note 10 Pro (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Xiaomi Redmi Note 10 Pro (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Xiaomi planeja avisar se celular tiver bateria de terceiros

Os detalhes foram encontrados na versão 5.6.0 do aplicativo da Xiaomi. O site explica que o alerta é emitido se houver um componente de terceiros instalado. “Parece que uma bateria não autorizada está instalada neste dispositivo. A potência de recarga será reduzida para proteger o seu dispositivo”, diz a notificação. “Procure um provedor de serviços autorizado para substituir sua bateria”.

O aviso ainda leva a uma tela com mais informações sobre a situação. A página informa que a substituição da peça em um lugar sem ser em um “provedor de serviços autorizado” tende a danificar o celular. “O uso de baterias não autorizadas pode causar inchaço, superaquecimento e vazamento da bateria”, explicam. “Também pode causar incêndio ou outros perigos”.

Aviso da Xiaomi caso celular utilize bateria de terceiros

Além da Xiaomi, a mesma prática é realizada pela Apple. Caso o usuário instale um componente não oficial no celular, o iOS informa que não foi “possível verificar se este iPhone tem uma bateria genuína da Apple”. O sistema da companhia também emite um alerta parecido se o usuário instalar telas de terceiros no smartphone.

Por enquanto, somente proprietários do Xiaomi Mi Mi 9, Mi 10 e Mi 10 Pro da China serão notificados. Mas ainda não se sabe se os usuários já estão recebendo estes avisos, pois a função é ativada remotamente. Também não há informações sobre a expansão do recurso para outros modelos e demais países.

Com informações: XDA-Developers

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Pedro Uislei Alves Martins (@Adrien)

Se isso for para prevenir acidentes, até acho que é uma medida válida. Agora se for para forçar a compra de baterias na própria loja, aí são outros quinhentos

² (@centauro)

Ou são as duas coisas, uma levando à outra.
Proteger o usuário é uma justificativa válida, ainda mais considerando que estamos falando do componente mais perigoso do aparelho.

Com cada vez mais aparelhos suportando carregamento ultra rápido, as chances de dar merda em uma bateria sem qualidade aumentam. E se notícias sobre aparelhos da empresa explodindo começarem a aparecer, pouca gente vai parar pra ver se a bateria era original ou não.

Só que nesse caso a proteção ao usuário (e à imagem da empresa) acabam forçando uma limitação ao consumidor.
O que a empresa poderia fazer é certificar baterias de terceiros também, mas é de se esperar que fazer isso levaria essas baterias certificadas a ficarem mais caras também.

Bruno Gall De Blasi (@brunogdb)

Fora que eles têm celulares com recarga de 120 watts. Imagina um acidente com uma potência nesse nível? É realmente arriscado.