Início » Legislação » Fugindo dos impostos, Amazon encerra programa de afiliados na Califórnia

Fugindo dos impostos, Amazon encerra programa de afiliados na Califórnia

Avatar Por

A Amazon disparou um email que comunica o seguinte: desde a quarta-feira (30), seu programa de afiliados está encerrado para todos os revendedores baseados no estado da Califórnia. Loucura? Não, essa atitude da Amazon visa justamente fugir dos impostos, que serão aplicados também a compras pela internet.

Ainda na quarta-feira, a maior loja virtual do mundo havia comunicado seus parceiros do Amazon Associates Program que um novo imposto estava sob análise do governador do estado, Jerry Brown. Caso o imposto fosse aprovado, as compras feitas por meio da Amazon de revendedores locais teriam de ser taxadas. Horas depois, Brown ratificou a lei. E a companhia cancelou o programa de afiliados.

“Infelizmente, o governador Brown assinou a lei sobre a qual lhe enviamos mensagem hoje mais cedo. Como resultado disso, contratos com os residentes na Califórnia participantes do Amazon Associates Program estão encerrados efetivamente a partir de hoje, 29 de junho de 2011”, diz o email enviado pela Amazon.

O governo da Califórnia pretendia arrecadar cerca de US$ 1 bilhão a mais com o novo imposto. Com o fim do programa de afiliados da Amazon por lá, é provável que essa cifra diminua bastante — não esqueça, a companhia é a maior varejista online dos Estados Unidos e do mundo.

Centro de distribuição da Amazon

Esse tipo de discussão vira e mexe volta à agenda pública. Afinal, a atividade de comprar pela internet deve ser taxada em qual estado: o de origem do vendedor, o do destino do produto, ou o da sede a empresa que efetuou a venda? Ou em todos eles? Ou em nenhum? Em fevereiro desse ano, a Secretaria de Fazenda da Bahia determinou: o ICMS subiu para compras feitas pela internet.

O mais provável é que outras cidades, estados e países adotem taxas e impostos específicos para a internet. Para tristeza nossa, que sempre vimos na rede uma forma de fugir dessa cobrança absurda cá no Brasil — aparentemente, a Amazon pensa da mesma forma.

Com informações: The Next Web.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

j2k
se as lojas aqui fizessem isso todas iam fechar... a realidade é que no Brasil só 35% da população tem internet em casa (vi isso hoje na TV) e esse número tende a aumentar muito (as compras online tambem). Todos estão de olho e querem sua fatia do bolo...
Mozart
Um produto meu já foi retido pela Sefaz do meu estado... realmente é um absurdo essa guerra de impostos entre os estados.
Caio Furtado
Tem mais que fazer isso mesmo! Onde já se viu...
Tio Z
Thassius hoje dando uma de G1 da vida. Só porque errou ligeiramente na data do comunicado da Amazon, saiu apagando tudo que é post referente ao assunto. Desculpa ai colega, errar é humano, a gente respeita sim. Se a referência ao Video Show foi muito forte no humor, irei maneirar na próxima.
@EduTexSilva
Muito bem feito para o político olho grande que quer faturar em cima de tudo e de todos. Não só vai faturar MUITO menos sem a Amazon na história, como ferrou com a vida de vários pequenos comércios que eram muito beneficiados pela associação com a Amazon. Lá, ao contrário de cá, esse tipo de coisa não passa em branco. Tenham certeza que ou a lei muda em breve, ou o tal governador sentirá a diferença nas urnas da próxima eleição.
Guilherme Mac
Califórnia tá falida. Mais cedo ou mais tarde isso ia acontecer. O negócio é não deixar os Republicanos comandarem o Estado de novo, senão medidas impopulares vão aparecer pra tentar tapar o rombo gigantesco nas contas públicas.
Bruno Monteiro
Me surpreendo ao ler tal coisa e ver que não é só o Brasil que está sendo comandado por políticos com a mentalidade desatualizada. Aumentar imposto sobre venda pela Internet é andar na contra mão do sistema, na tentativa de angariar alguns "zeros" a mais, acabam frustrando os compradores e vendedores e no fim das contas, perdendo o tal dinheiro. Parabéns a Amazon pela atitude, mais do que certa, na minha opinião.