123 Milhas e Hotmilhas entram com pedido de recuperação judicial

Empresas dizem enfrentar "pior crise financeira" desde suas fundações e alegam que recuperação é o único caminho para assegurar seu funcionamento

Giovanni Santa Rosa
Por
Site da 123 Milhas (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Dias após cancelar viagens previstas para setembro a dezembro e demitir funcionários, a 123 Milhas entrou com um pedido de recuperação judicial na 1ª Vara Empresarial da Comarca de Belo Horizonte (MG). O pedido foi feito para a 123 Milhas e para outras duas empresas.

Uma delas é a Art Viagens, empresa por trás da Hotmilhas, que dá suporte para a emissão das passagens. A outra é a Novum, holding dona das duas empresas.

Os advogados das empresas dizem que elas passam pela “pior crise financeira desde suas respectivas fundações”, e que fatores internos e externos “impuseram um aumento considerável de seus passivos nos últimos anos”.

Por isso, as companhias fazem o pedido de recuperação judicial. Elas alegam que somente dessa forma é possível resolver a crise enfrentada, assegurar a continuidade das atividades e o cumprimento da função social.

Crise da 123 Milhas teve cancelamentos e demissões

Em meados de agosto de 2023, a 123 Milhas comunicou o cancelamento dos pacotes da categoria Promo com embarque previsto para setembro a dezembro de 2023.

A categoria Promo é a mais barata oferecida pela empresa, com datas flexíveis, para aproveitar promoções de companhias aéreas e períodos de baixa procura.

Em troca dos pacotes cancelados, a 123 Milhas ofereceu vouchers no valor pago, com correção monetária de 150% do CDI, a ser usado em outros produtos oferecidos pela empresa.

O cancelamento gerou reações do Procon-SP e da CPI das Pirâmides Financeiras da Câmara dos Deputados, além de revolta dos consumidores afetados. Alguns consumidores se queixam de que não é mais possível nem sequer usar os vouchers dentro da plataforma.

Na segunda-feira (28), a crise ganhou um desdobramento. Funcionários da 123 Milhas relataram no LinkedIn uma demissão em massa, feita “de surpresa”.

Não se sabe ao certo quantos empregados foram desligados da companhia. A 123 Milhas diz que a decisão “faz parte das medidas para mitigar os efeitos da forte diminuição das vendas” e que busca “estabilizar sua condição financeira”.

Com informações: G1, Folha de S.Paulo

Receba mais sobre Minas Gerais na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados