PROCON-SP

Procon-SP alerta Anatel por informação errada no site Não Me Perturbe

Ontem às 11h29 por

O site Não Me Perturbe foi criado pelas operadoras por determinação da Anatel para bloquear ligações de telemarketing da Algar, Claro/NET, Nextel, Oi, Sercomtel, Sky, TIM e Vivo. A seção de perguntas frequentes dava a entender que esse serviço substituía o cadastro Não Me Ligue da Fundação Procon-SP, o que não é verdade; por isso, a agência de telecomunicações foi notificada para alterar o texto.

Procon-SP quer que FaceApp, Google e Apple expliquem coleta de dados

19/07 às 16h30 por

A febre do FaceApp — aquele app que envelhece os usuários nas fotos — atraiu a atenção da Fundação Procon-SP: o órgão, que tem vínculo com a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, notificou os responsáveis pelo aplicativo para saber como os dados dos usuários são tratados. Google e Apple também receberam notificações. Extensões para Chrome e Firefox venderam dados de 4 milhõ

Xiaomi e DL são autuadas pelo Procon por infrações na Mi Store de SP

26/06 às 13h22 por

A primeira loja física da Xiaomi no Brasil recebeu uma visita da Fundação Procon-SP: o órgão descobriu algumas irregularidades, como produtos vendidos sem detalhes em português e itens sem informação de origem da importação. A Mi Store foi autuada e poderá receber multa por essas infrações. O local havia sido flagrado vendendo eletrônicos sem o selo da Anatel.

Vivo, NET e TIM lideram telemarketing indesejado em lista do Procon

13/06 às 12h15 por

Vivo, NET e TIM são as empresas que mais incomodam com ligações de telemarketing, segundo ranking criado pela Fundação Procon-SP. A lista, dominada por operadoras e bancos, reúne companhias que telefonam para números que claramente não querem receber este tipo de chamada, pois estão no cadastro estadual de bloqueio. Em 2019, a entidade já aplicou R$ 12,9 milhões em multas. Como bloquear ligações de números indesejados no An

Huawei e Google explicam como bloqueio dos EUA afeta brasileiros

06/06 às 13h11 por

Como a disputa EUA vs. China afeta os brasileiros, especialmente quem comprou um celular da Huawei? É o que a Fundação Procon-SP quer saber. O órgão notificou a fabricante, o Google, varejistas e operadoras (Vivo, TIM, Oi, Claro, Nextel) para obter mais detalhes. Huawei e Google garantem suporte ao Android, enquanto as outras empresas deram respostas mais evasivas. Huawei revê meta de superar Samsung

Procon-SP divulga lista com lojas online para se evitar na Black Friday

14/11/2018 às 16h23 por

A Black Friday está quase entre nós, uma das principais temporadas de compra no Brasil, só ficando atrás do Natal. Ela ocorre no próximo dia 23 de novembro e é muito mais forte na internet que em lojas físicas. Por isso, é bom ficar atento à lista suja do Procon-SP, que reúne sites nos quais você definitivamente não deve comprar. Como saber se uma oferta de Black Friday realmente vale a pena

Procon-SP multa 20 empresas por telemarketing indesejado

05/09/2018 às 12h01 por

A Fundação Procon-SP multou 20 empresas que ligaram para pessoas na lista de bloqueios a telemarketing. Isso inclui as operadoras TIM, Vivo, Claro, Oi, Nextel e Sky; bancos como Itaú, Bradesco e Caixa; e a Cnova, responsável pelas lojas online do Pontofrio, Extra e Casas Bahia. Como bloquear ligações de números indesejados no Android

Procon-SP notifica Apple por reduzir desempenho de iPhones com baterias velhas

03/01/2018 às 16h18 por

A Apple foi notificada pela Fundação Procon-SP nesta quarta-feira (3) para esclarecer os problemas relacionados à redução no desempenho de iPhones com baterias desgastadas. O órgão quer saber como o consumidor deverá proceder para trocar a bateria, e quais prejuízos os usuários estão tendo com a diminuição na velocidade do processador. O problema foi descoberto em dezembro de 2017: benchmarks mostraram que o desempenho de iPhones com baterias desgastadas é mais baixo. A Apple

Uber é multado pelo Procon por cobrança indevida

09/03/2017 às 13h02 por

O Procon-SP informou nesta quinta-feira (9) que multou o Uber em R$ 13.653,33. Segundo o órgão, o serviço de transporte descumpriu a legislação brasileira por não restituir corretamente os clientes por serviços cobrados indevidamente e não disponibilizar os dados de identificação da empresa de forma adequada. De acordo com o Procon-SP, o Uber cobrou por serviços que não foram prestados aos usuários. Nesse caso, o Código de Defesa do Consumidor especifica que o usuário tem direito à devolução do

As marcas de smartphones, tablets e computadores mais reclamadas no Procon

30/07/2015 às 12h55 por

O Procon-SP publica a cada semestre um relatório com as empresas mais reclamadas no órgão de defesa do consumidor. As queixas se referem a vícios nos produtos, e os smartphones ocupam a primeira posição entre as categorias mais problemáticas: foram 2.709 reclamações, cerca de 30% do total. De janeiro a junho de 2015, estas foram as fabricantes de celulares mais reclamadas no Procon-SP:

Liminares que impediam corte da internet após fim da franquia são suspensas pelo STJ

23/06/2015 às 18h44 por

O Procon-SP informou na tarde desta terça-feira (23) que a liminar obtida em maio que impedia as operadoras Claro, Oi, TIM e Vivo de bloquear o acesso à internet após o término da franquia de dados foi suspensa pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Segundo o Procon-SP, a decisão é válida até a definição do foro competente (ou seja, da esfera que tratará dos casos) para todas as ações judiciais coletivas referentes ao assunto qu

Procon-SP multa operadoras em R$ 22,6 milhões por cortarem internet “ilimitada”

22/06/2015 às 13h44 por

O Procon-SP informou nesta segunda-feira (22) que multou as quatro grandes operadoras do país em R$ 22,6 milhões por cortarem a conexão de consumidores que possuíam pacotes de internet “ilimitados”. Claro, Oi, TIM e Vivo descumpriram a determinação de manter o fornecimento de dados mesmo depois que o limite da franquia for atingido. A Oi foi a empresa mais penalizada pelo Procon-SP, com multa de R$ 8 milhões. Também foram multadas as operadoras TIM (R$ 6,6 milhões), Claro (R$ 4,5 milhões) e Vivo (R$ 3,5 milhões). De acordo com o órgão, as multas foram estipuladas com base

Carregar mais posts