Fone de ouvido da Beats explode em avião e Apple diz que a culpa é das pilhas

Felipe Ventura
Por

Em fevereiro, um fone de ouvido explodiu em um voo de Pequim para Melbourne, deixando uma viajante com queimaduras e bolhas no rosto. Trata-se de um produto da Beats, e a Apple não quer pagar pelos danos.

Foto por Aditya/Flickr

Segundo a Australian Associated Press, a mulher (cujo nome não foi revelado) queria ser reembolsada pelo fone de ouvido e pelas roupas danificadas no incidente, não pelo tratamento para resolver as queimaduras no rosto e nas mãos.

A Apple, que comprou a Beats por US$ 3 bilhões, se recusou a pagar. Ela diz: “nossa investigação indicou que o problema foi causado por pilhas de outra fabricante”. Os fones de ouvido em questão foram adquiridos em 2014, e são de um modelo mais antigo que exige pilhas AAA para funcionar.

A mulher ficou extremamente decepcionada com a decisão, dizendo em comunicado que “os fones de ouvido não funcionam sem pilhas, mas em nenhum lugar — nem mesmo na embalagem — está especificado qual marca de pilhas deveria ser usada”.

Baterias e pilhas são suscetíveis à “fuga térmica”, em que um aumento na temperatura gera uma reação em cadeia que pode levar a incêndios e explosões.

Segundo o Australian Transport Safety Bureau, agência australiana que cuida da segurança nos transportes do país, o corpo dos fones Beats derreteu e ficou preso ao piso da aeronave, soltando uma fumaça tóxica que fez os passageiros tossirem durante todo o resto do voo.

Relacionados

Relacionados