Anatel apreende 23 mil produtos por falta de homologação

Os produtos não autorizados foram alvo de uma operação realizada pela Anatel em 11 estados

Victor Hugo Silva
Por

Uma operação realizada na terça-feira (17) pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) resultou em 23 mil produtos lacrados ou apreendidos. O órgão adotou a medida porque os equipamentos não eram homologados ou certificados.

Entre os itens irregulares, estavam equipamentos ópticos, transceptores de radiação restrita e TV Boxes. A Anatel diz que que realizou a operação a partir de denúncias de associações e fabricantes de produtos de telecomunicações que questionavam a venda dos produtos não autorizados.

A ação ocorreu em 52 endereços de 11 estados, incluindo São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Pernambuco, Piauí, Goiás, Amazonas e Tocantins. A agência não revelou o nome das empresas, mas informou que a fiscalização será retomada nos próximos dias.

Esta é mais uma operação para impedir a venda de produtos irregulares por distribuidoras, fornecedoras e importadoras. Ela faz parte do Plano de Ação de Combate à Pirataria que, em agosto, levou à 21 mil produtos lacrados em Catalão (GO).

Os equipamentos também não eram homologados e pertenciam a uma operadora da cidade. Segundo a Anatel, entre os produtos não autorizados estavam 19.700 acopladores, 1.200 conectores e 225 splitters. A agência também apreendeu 19 itens, entre pontos de acesso e unidades de rede óptica.

Em 2018, o Plano de Ação de Combate à Pirataria totalizou 200 mil produtos lacrados ou apreendidos. No mesmo período, 30 mil itens ficaram retidos na Alfândega e 193 anúncios ligados a produtos sem homologação foram retirados do ar.

Com informações: Anatel.

Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi redator, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Relacionados

Relacionados