Início / Notícias / Negócios /

Apple registra melhor trimestre histórico apesar de crise global de chips

Segundo o CEO Tim Cook, o resultado da Apple é devido ao lançamento de produtos e serviços “mais inovadores de todos os tempos”

Ana Marques

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

A Apple apresentou nesta quinta-feira (27) o relatório financeiro referente ao primeiro trimestre fiscal de 2022, encerrado em 25 de dezembro de 2021. De acordo com o balanço, a big tech conseguiu registrar recorde histórico de receita (US$ 123,9 bilhões), apesar da escassez global de chips que atinge diversas indústrias desde 2020. O CEO Tim Cook atribuiu o sucesso ao que ele chamou de “linha de produtos e serviços mais inovadora de todos os tempos”.

iPhone 13 Pro
iPhone 13 é o lançamento da Apple em 2021 (Imagem: Lucas Braga / Tecnoblog)

O resultado da Apple supera estimativas. A empresa, que recentemente se tornou a primeira do mundo a valer US$ 3 trilhões, disse que a receita do trimestre cresceu 11% ano a ano, e o lucro total foi de US$ 34,63 bilhões (contra US$ 28,75 bilhões do mesmo período no ano anterior).

Com a divulgação do relatório, as ações da empresa subiram 6% no after market — isto é, após o horário normal de negociações na bolsa — em Nova York.

iPhone 13 faz sucesso e categoria cresce 9%

Como de costume, o setor de produtos é o maior responsável pela receita registrada, com um total de US$ 104,4 bilhões.

O iPhone é a maior estrela, já que corresponde a US$ 71,63 bilhões do total. Para fins de comparação, no trimestre anterior, a receita registrada pela Apple com smartphones foi de US$ 38,87 bilhões — na época, a empresa também disse que perdeu US$ 6 bilhões devido à crise de chips.

Apesar disso, um aumento para esta categoria já era esperado, visto que a Apple lançou a linha iPhone 13 em setembro. O resultado, entretanto, foi melhor do que o esperado: houve crescimento de 9% ano a ano, acima das expectativas de analistas.

Além disso, a Apple registrou alta de 25% na venda de Macs (US$ 10,85 bilhões), que surfam uma boa onda com o lançamento de novos computadores com chips M1 Pro e M1 Max, de produção própria.

Já a categoria de iPads, que vinha crescendo durante a pandemia, mostrou desaceleração. A receita registrada foi de US$ 7,25 bilhões, uma queda de 14% ano a ano.

Apple se aproxima dos US$ 20 bilhões em serviços

Por fim, a Apple segue crescendo com o setor de serviços, que fez US$ 19,52 bilhões em receita (24% maior ano a ano). A área envolve transações da App Store e serviços de assinatura da companhia, como o iCloud, Apple Music e o Apple TV+. No trimestre anterior, o total desta área foi de US$ 18,28 bilhões.

“Estamos satisfeitos em ver a resposta de clientes em todo o mundo em um momento em que permanecer conectado nunca foi tão importante”, disse Tim Cook em comunicado à imprensa.

O CFO Luca Maestri complementou: “A forte resposta dos clientes ao nosso recente lançamento de novos produtos e serviços impulsionou um crescimento de dois dígitos em receitas e lucros, e ajudou a estabelecer um recorde histórico para nossa base instalada de dispositivos ativos”.

Tecnocast 190 – A Apple além do iPhone

Falamos mais sobre os esforços da Apple para diversificação de receita no episódio 190 do Tecnocast. Você pode ouvir logo abaixo: