Início / Notícias / Negócios /

Mercado Livre ultrapassa dona da Shopee em valor de mercado

Mercado Livre passou a valer mais de US$ 51 bilhões nesta semana; Sea, dona da Shopee, ficou em quase US$ 47 bilhões

Emerson Alecrim

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Você prefere o Mercado Livre ou a Shopee? Independentemente da resposta, saiba que o primeiro leva vantagem em pelo menos um aspecto: valor de mercado. Enquanto a Sea Limited, dona da Shopee, atingiu o valor de US$ 46,6 bilhões nesta semana, o Mercado Livre chegou a US$ 51,4 bilhões.

Mercado Livre
Pacote do Mercado Livre (imagem: divulgação)

Esses são os valores que foram registrados no fechamento do pregão da Nasdaq (bolsa de valores americana que lista principalmente companhias de tecnologia), na terça-feira (26).

São valores elevados, mas que, na realidade, expressam uma tendência de desvalorização que ambas as companhias enfrentam há algum tempo. Para você ter ideia, o Mercado Livre chegou a ser avaliado em cerca de US$ 90 bilhões em setembro de 2021.

Depois dessa fase, houve um movimento de desvalorização. De janeiro deste ano para cá, o Mercado Livre viu o seu valor de mercado cair 23%, de acordo com o Valor.

Como, então, o Mercado Livre conseguiu superar a Shopee? A explicação é simples: o tombo da Sea foi maior. De janeiro até esta semana, o valor de mercado da companhia recuou quase 63%.

Se olharmos só para o mês atual, a desvalorização dos papéis da Sea chega a 29%. No Mercado Livre, a queda está um pouco acima de 15%, mas as ações da empresa vêm esboçando uma reação nesta semana, ainda que discreta.

Essa ligeira recuperação do Mercado Livre, quando combinada com a ladeira abaixo que a Sea está percorrendo, fez esta última ser superada em valor de mercado. Estas são as estimativas registradas na tarde desta quarta-feira (27):

  • Mercado Livre (MELI): US$ 51,42 bilhões
  • Sea Limited (SE): US$ 46,63 bilhões

O que explica esse cenário?

Tanto o Mercado Livre quanto a Shopee enfrentam dificuldades causadas por fatores globais. Entre eles estão a inflação registrada nos países da América Latina (que diminuem o poder de compra do consumidor) e eventuais aumentos de custos causados pela guerra na Ucrânia.

Apesar disso, o Mercado Livre vem registrando uma expansão consistente em alguns países, com destaque para o Brasil. Por aqui, o ritmo de crescimento deve ser mantido nos próximos meses. A recente decisão do Mercado Livre de usar aviões da Gol para encurtar prazos de entrega pode contribuir para isso.

Entrega da Shopee (Imagem: Divulgação)
Entrega da Shopee (imagem: divulgação)

Já a Sea passa por um momento mais delicado. A rejeição a produtos vendidos na Shopee em alguns mercados é uma das razões para isso.

Para piorar, a companhia controla a Garena que, por sua vez, responde pelo jogo Free Fire. Em fevereiro, a Índia baniu mais de 50 aplicativos por conta de supostas ligações com a China. O Free Fire estava no meio. O impacto para a Sea foi grande, pois parte da receita com o jogo é direcionada à Shopee.

Mas que fique claro: a Shopee não está morta. Só no Brasil, o marketplace conta com mais de 2 milhões de vendedores registrados. Não por acaso, o país está entre os mercados que receberão o investimento de US$ 1,5 bilhão que a Sea programou para a América Latina.

Em tempo: sobre a pergunta no início do texto, eu prefiro o Mercado Livre. Considero a plataforma mais organizada que a Shopee. No entanto, quando os preços e as condições de entrega são mais favoráveis, compro nesta última sem pensar duas vezes.