Android 13 poderá ler arquivos maiores que 4 GB de forma nativa graças ao exFAT

Suporte ao exFAT chega aos celulares da linha Pixel na atualização do Android 13 Beta; fomato permite abrir arquivos de até 16 exabytes

Murilo Tunholi
Por

Celulares da linha Pixel, do Google, com Android 13 instalado terão suporte ao formato exFAT, que permite a abertura de arquivos com mais de 4 GB em armazenamentos internos e externos, como pendrives. A novidade — que já está disponível no Pixel 6 Pro — deve chegar a outros modelos de smartphones fabricados pela gigante das buscas em breve.

Android 13 Tiramisu (imagem: Guilherme Reis/Tecnoblog)
Android 13 Tiramisu (imagem: Guilherme Reis/Tecnoblog)

Mishaal Rahman, editor técnico do blog Esper.io, descobriu que o Pixel 6 Pro recebeu suporte ao formato Extensible File Allocation Table (exFAT), após ser atualizado do Android 12L para o Android 13 Beta. Nos testes, ele conectou um pendrive recém formatado em exFAT no celular do Google, mas só conseguiu acessar os dados do disco removível depois de instalar o update.

Rhaman, porém, não encontrou mudanças significativas no sistema que garantissem o suporte ao formato exFAT. Em uma publicação no Esper.io, ele explicou que o Android 13 Beta foi baseado na mesma versão do kernel do Linux que o Android 12L (5.10) — a qual aceita formatações em exFAT, teoricamente.

Em outras palavras, o suporte ao exFAT poderia existir desde o Android 12. Contudo, por algum motivo desconhecido, o Google decidiu liberar o recurso somente no novo sistema operacional.

Suporte ao exFAT já existe em alguns celulares Android

Criado em 2006 pela Microsoft para substituir o formato FAT32, o exFAT é capaz de armazenar arquivos de até 16 exabytes. Em comparação, o padrão anterior tinha limite de apenas 4 GB. Desde seu lançamento, milhões de dispositivos de armazenamento aderiram ao sistema, incluindo pendrives e cartões SD.

Inclusive, com exceção do Google, algumas fabricantes de celulares Android, como a Samsung, já adotavam o formato exFAT em seus aparelhos há anos. Isso só foi possível porque as empresas pagavam uma licença à Microsoft para implementar os drivers necessários em seus aparelhos. Em 2019, o exFAT se tornou gratuito.

Com a chegada do exFAT ao Android 13, qualquer fabricante de celular que utilizar o sistema operacional do Google poderá adotar o padrão em seus dispositivos. Assim, os smartphones serão capazes de abrir arquivos maiores que 4 GB armazenados em pendrives ou cartões SD, sem problemas.

Com informações: Android Police.