Trabalhadores do Serpro entram em greve por tempo indeterminado

Paralisação ocorre nas 11 regionais da estatal no Brasil; reclamação é direcionada à negativa da reposição do IPCA nos salários e benefícios

Ricardo Syozi
Por

Com o início na quarta-feira (10), funcionários do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) entraram em greve em todo o país. Além dos pedidos de revisão salarial, os empregados apontam reclamações em quesitos como falta de benefícios satisfatórios e apresentações de contrapropostas pela entidade. A paralisação seguirá por tempo indeterminado.

Sede do Serpro (Imagem: Reprodução / Internet)
Sede do Serpro (Imagem: Reprodução / Internet)

Cada uma das 11 regionais da estatal decidiu aderir à greve após negociações infrutíferas com a empresa. Ela é a maior companhia pública de prestação de serviços de tecnologia no Brasil. Seus trabalhos focam em administrar o maior banco de dados da União, informações importantíssimas de todos os brasileiros.

Segundo o Fenadados (Federação Nacional dos Empregados em Empresas e Órgãos Públicos e Privados de Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares), a paralisação é a melhor forma de reivindicar os direitos dos trabalhadores:

Considerando que a empresa, de forma intransigente, vem negando a pauta dos empregados, em especial a reposição do IPCA nos salários e benefícios, e até o presente momento não apresentou nenhuma contraproposta para as cláusulas sociais, além de não assegurar a retroatividade, impondo prejuízos significativos aos trabalhadores, a GREVE se mostra como o meio mais apropriado de defesa dos direitos dos trabalhadores.

Reuniões virtuais estão ocorrendo para dar uma margem à adesão dos funcionários. Além disso, discussões de outros pontos referentes às exigências e negociações também fazem parte da pauta.

O que diz a direção do Serpro

Em uma nota no site oficial da entidade, a crença de uma negociação que resolverá toda a situação ainda existe.

O Serpro está acompanhando a repercussão da greve iniciada hoje e informa que o processo de negociação está em andamento. A empresa vem evoluindo em suas propostas apresentadas nas mesas de negociação, estando a próxima agendada para o dia 15 de agosto. É importante salientar que o Serpro está atento em assegurar o funcionamento dos serviços oferecidos, com o objetivo de evitar prejuízos para a sociedade.

Vale lembrar que a paralisação afeta principalmente a Receita Federal, isso porque as demandas envolvendo cadastros como CPF e CNPJ, além de fiscalização e declarações são bastante altas. Ademais, itens como a gestão de infrações e penalidade de trânsito, nota fiscal eletrônica e até mesmo a CNH também são afetados pela greve.

Por fim, em abril de 2022, o Serpro foi autorizado a compartilhar dados a terceiros por meio de ressarcimento. É claro que há a exigência da apresentação de um argumento para realizar a consulta nos sistemas, pois isso serve para garantir a veracidade e a segurança de cada informação.

Com informações: Convergência Digital.