Instagram diz que não quis dificultar exportação de vídeos do Reels no iPhone

Reels pode ficar sem áudio caso o usuário tente baixar antes de publicar; problema ocorre exclusivamente no iPhone, mas já está sendo verificado pela Meta

Ricardo Syozi
Por

Foi descoberto pelo The Verge que um problema está surgindo quando um usuário tenta baixar o Reels do Instagram antes de publicá-lo. O vídeo fica totalmente sem áudio, impossibilitando que a pessoa faça a postagem do conteúdo em outras redes como TikTok ou YouTube. Segundo a Meta, tudo não passou de um bug.

Logotipo do Instagram
Instagram (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

O problema acontece exclusivamente no iPhone. O The Verge fez testes em três aparelhos diferentes, todos com o mesmo resultado ao tentar fazer o download do vídeo antes de publicá-lo no Reels. Dessa forma, o áudio simplesmente desaparece.

A solução encontrada foi a de postar o clipe antes no Instagram e depois fazer o download. Com isso, o áudio ficaria intacto, ainda bem.

Inicialmente, isso pode parecer uma maneira da Meta atrapalhar as postagens múltiplas, forçando o usuário a focar seu conteúdo em sua plataforma. Contudo, após a publicação do site americano, o porta-voz da empresa, Seine Kim, afirmou que tudo não passa de um bug. Menos mal.

Devido a um bug, o recurso de download do Reels não está funcionando como planejado para usuários de iOS e, em alguns casos, o áudio está faltando nos downloads — estamos trabalhando para corrigir o problema o mais rápido possível.

No entanto, é válido entender que esse intercâmbio entre apps é muito importante para os produtores. Isso porque, gravar e editar usando ferramentas distintas exige muito tempo, algo que pode ser diminuído se as pessoas continuarem usando o Instagram como plataforma principal para produzir.

YouTube coloca marca d’água em Shorts exportados

Ainda no assunto de vídeos curtos, o YouTube anunciou, nessa quarta-feira (17), que todos os Shorts baixados de sua rede terão uma marca d’água.

Sempre que alguém baixar um desses clipes a partir do YouTube Studio para subir em outro aplicativo, uma marca d’água estará presente. A intenção é a de lembrar que o conteúdo pode ser conferido no famoso site, mas também funciona como uma maneira de marcar território.

Ademais, isso começará nas próximas semanas no app para desktop. Já a versão mobile só vai receber a atualização nos meses seguintes.

No fim do dia, parece que produzir material para a internet continua sendo algo complexo para todos. O que você acha?