A Microsoft precisou criar uma página para desmistificar a compra da Activision Blizzard

Companhia americana quer esclarecer suas intenções e os benefícios da compra; transparência é a palavra-chave da vez

Ricardo Syozi
Por

Em meio ao turbilhão que se encontra a aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft, a dona do Xbox decidiu dar mais um passo em direção a transparência. A empresa liberou uma página exclusiva sobre o assunto, apresentando informações e relatos. O intuito é acalmar os ânimos, em especial por parte da Sony, que vem se mostrando veementemente contra à negociação.

Activision Blizzard
Activision Blizzard (Imagem: Reprodução / Internet)

Para quem está interessado no andamento de todo o processo, a Microsoft colocou o conteúdo em seu site. Nele, há novidades e explicações sobre os objetivos da companhia, o mercado de games e, claro, os benefícios dessa transação. Uma entrevista com Phil Spencer, chefão do Xbox, também está disponível, oferecendo ideias e respondendo questionamentos.

A mensagem primordial pode ser vista logo na página inicial, que diz:

Jogadores e desenvolvedores estão no centro do Xbox. Queremos permitir que as pessoas joguem em qualquer lugar, a qualquer hora e em qualquer dispositivo. E os desenvolvedores merecem mais opções para construir, distribuir e monetizar seus títulos inovadores. Quando fizermos isso, todos ganhamos. É por isso que estamos compartilhando mais sobre a indústria e como nossa aquisição da Activision Blizzard se encaixa em nossa estratégia.

Por ser considerada a maior compra de uma companhia na indústria de games (conheça as outras 9), toda a negociação ainda está se estendendo. A Sony é a principal opositora do acordo, deixando claro em diversos momentos o seu posicionamento. Isso gerou uma troca de farpas, com a dona do Xbox acusando a empresa japonesa de pagar para impedir que jogos entrem no Game Pass.

Contudo, vale lembrar que marcas como Nintendo e Ubisoft não foram contra a transação.

Microsoft tenta ser transparente em meio ao caos

Diferente de outras aquisições da indústria, a da Activision Blizzard vem se mostrando a mais complicada. Isso porque, não basta apenas as reclamações da Sony, mas também diversas situações envolvendo assédio, processos e greve de funcionários.

Por exemplo, em janeiro de 2022, a desenvolvedora de Diablo e Overwatch anunciou que cerca de 80 profissionais deixaram a empresa ou receberam advertências. Essa “limpa” envolveu muitos nomes acusados de má conduta no ambiente de trabalho.

Já em março de 2022, os pais de uma funcionária da companhia entraram com um processo contra a Activision Blizzard. A moça havia tirado a própria vida por causa do ambiente tóxico e por ter sofrido assédio sexual no local.

Portanto, a Microsoft está tomando os cuidados para prevenir que outros casos similares ocorram. Mais um motivo para manter a transparência com a criação de uma página sobre a negociação entre as empresas.

Ricardo Syozi

Repórter

Ricardo Syozi é jornalista apaixonado por tecnologia e especializado em games atuais e retrôs. Já escreveu para veículos como Nintendo World, WarpZone, MSN Jogos, Editora Europa e VGDB. Possui ampla experiência na cobertura de eventos, entrevistas, análises e produção de conteúdos no geral. Entrou para o Tecnoblog em 2021.

Relacionados

Relacionados