Microsoft demite 1.900 funcionários de Activision Blizzard e Xbox

Presidente e co-fundador deixam a Blizzard, e survival game já anunciado é cancelado. Microsoft comprou Activision Blizzard por US$ 69 bilhões.

Giovanni Santa Rosa
Por
Microsoft
Microsoft (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Microsoft demitiu cerca de 1.900 funcionários da Activision Blizzard e do Xbox esta semana. A divisão conta com aproximadamente 22 mil funcionários, o que significa que o layoff representa 8% do quadro de empregados. Os cortes se concentraram em cargos da Activision Blizzard, mas as saídas afetam também Xbox e Zenimax.

O CEO da Microsoft Gaming, Phil Spencer, divulgou um memorando, obtido pelo site The Verge. Ele diz que a liderança da empresa “está comprometida em alinhar uma estratégia e um plano de execução com uma estrutura de custos que suporte o crescimento de nossos negócios”. Spencer também escreve que a chefia identificou áreas desnecessárias e alinhou as melhores oportunidades para crescimento.

Phil Spencer, CEO da Microsoft Gaming (Imagem: Divulgação/Microsoft)
Phil Spencer, CEO da Microsoft Gaming, diz que cortes são para garantir crescimento sustentável (Imagem: Divulgação/Microsoft)

Blizzard perde executivos e cancela game

Quem também deixa a Microsoft é Mike Ybarra, presidente da Blizzard. O anúncio consta em outro memorando interno, assinado por Matt Booty, presidente de conteúdo e estúdios de jogos da Microsoft. Outro nome a sair da empresa é Allen Adham, diretor-chefe de design e um dos cofundadores da Blizzard.

A Blizzard cancelou um survival game anteriormente anunciado, devido às demissões e saídas. Booty diz que a Microsoft vai realocar as pessoas para outros projetos que estão em fase inicial de desenvolvimento.

A Microsoft concluiu a compra da Activision Blizzard em outubro de 2023, em uma transação de cerca de US$ 69 bilhões. O negócio ficou quase dois anos sob investigação de autoridades nos EUA e no Reino Unido, que temiam concentração de mercado.

As primeiras semanas de 2024 estão sendo marcadas pelos layoffs nas áreas de games e tecnologia. Até agora, Riot Games, Twitch, Discord e Unity fizeram cortes de pessoal. Saindo um pouco da área de jogos, o Google já dispensou cerca de 1 mil funcionários e deve fazer mais demissões nos próximos meses.

Com informações: The New York Times e The Verge

Receba mais sobre Microsoft na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados