Você pode comprar passagem de ônibus da Cometa, 1001 ou Catarinense via WhatsApp

Empresas do Grupo JCA terão, cada uma, seu próprio WhatsApp para venda de passagens; chatbot também ajudará a desenvolver novas funcionalidades pelo canal de comunicação

Felipe Freitas
Por

O Grupo JCA, dono das empresas de viação 1001, Catarinense e Cometa, divulgou nesta segunda-feira (16) o lançamento canal de vendas pelo WhatsApp. O sistema utiliza um chatbot para realizar a comunicação com o consumidor, método já popular com as grandes empresas que vendem seus produtos pelo aplicativo de mensagens. A novidade traz praticidade, mas a passagem precisa ser comprada em dois dias de antecedência.

Grupo JCA, dona das viações 1001, Catarinense e Cometa, inicia venda de passagens por WhatsApp (Imagem: Leandro Duarte/Grupo JCA)
Grupo JCA, dona das viações 1001, Catarinense e Cometa, inicia venda de passagens por WhatsApp (Imagem: Leandro Duarte/Grupo JCA)

No comunicado à imprensa, o Grupo JCA informou o prazo citado anteriormente. As compras serão feitas, neste primeiro momento, via Pix. Cada uma das empresas do grupo tem seu próprio número para vendas por WhatsApp. O Grupo JCA também utiliza o aplicativo em suas empresas para a comunicação com clientes.

Grupo JCA cria canal de vendas de passagem por WhatsApp

A entrada do Grupo JCA no sistema de vendas por WhatsApp é longe de ser uma novidade tecnológica no setor de viação, mas mostra que o grupo está criando ferramentas para competir com Buser e ClickBus, companhias que facilitam a busca por viagens rodoviárias por fornecerem busca através de aplicativos e comparação de preços.

O fato do Grupo JCA só liberar a venda via Pix e com no mínimo dois dias de antecedência não é perfeito, mas quebrará o galho para muitas pessoas. Afinal, o Pix é muito popular com os cidadãos e viagens de última hora ou emergência podem ser realizadas no balcão das empresas de viação.

Canal de vendas da Catarinense pelo WhatsApp (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
Canal de vendas da Catarinense pelo WhatsApp (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Como toda operação com chatbots, o sistema tenta ser bem intuitivo para o cliente. Testando a funcionalidade, ele é bem explicativo com o leitor e “perdoa erros”. Ele pediu para eu digitar a rota e data desejada. Eu errei (sem querer) e digitei apenas a rota. O chatbot compreendeu o meu pedido e pediu para que eu informasse uma data de viagem.

Leandro Zulião, diretor operacional e comercial do Grupo JCA, disse em comunicado que o chatbot também usará a experiência com os consumidores para gerar novas funcionalidades. ”É natural que recebamos outros pedidos dentro dele. Isso irá nos ajudar a entender que novas funcionalidades podemos adicionar ao longo do tempo, mas sem abrir mão da resolutividade dentro do mesmo canal, que é a essência do projeto”, disse Zulião.

Relacionados

Relacionados