Não, o Switch não vai receber um novo sistema operacional

Game indie engana desde o seu nome até a apresentação do trailer; na verdade, trata-se de uma experiência chamada "new Operating System"

Ricardo Syozi
Por

A desenvolvedora RedDeer anunciou que vai lançar um novo aplicativo para o Nintendo Switch no fim de janeiro. Com o curioso nome de nOS: new Operating System, o título acaba enganando os usuários, os fazendo acreditar que se trata de uma atualização do console híbrido da Big N. Contudo, isso não passa apenas pela nomenclatura, pois o próprio trailer se foca nessa confusão.

new Operating System jogo
Jogo faz parecer que é um novo SO (Imagem: Divulgação / RedDeer Games)

A obra vai simular levemente uma experiência de computador pessoal, com imagens de animais e cores vivas. É claro que tudo será mais simplificado, já que o projeto tem a intenção de ser agradável para todas as idades. Com o jogo, é possível planejar seu dia a dia, personalizar um calendário e definir diversos aspectos de um planner.

Até aí, tudo bem, mas o que pode deixar muitos jogadores confusos é o marketing, começando pelo próprio nome do game. nOS: new Operating System dá a entender que o Nintendo Switch vai receber um novo sistema operacional, que substituiria o atual.

Além disso, o trailer do título começa com diversos usuários pegando o console enquanto as frases “uma revolução está chegando” e “nova experiência” surgem. Até mesmo o comunicado da desenvolvedora se confunde, o chamando de “New Operating System” em um parágrafo e “Nintendo Operating System” no seguinte.

No entanto, não se assuste. A dona de Mario e Zelda não está liberando um novo SO para o Switch.

YouTube video

Curadoria da Nintendo já foi melhor

A verdade é que graças à imensa popularidade do Nintendo Switch, o sistema tem inúmeras opções de shovelware, termo usado para software lançado para encher o catálogo e não por sua qualidade. Pode ser que o lançamento da RedDeer não entre nesse quadrado, mas ele é um bom exemplo de como a curadoria da Big N para jogos que entram na eShop não está lá muito exigente.

Não podemos esquecer, por exemplo, do aplicativo de calculadora lançado em 2021, que chegou à plataforma custando mais de R$ 50.

Por causa de suas vendas absurdas, ultrapassando consoles como o PlayStation 4 e o Wii, o híbrido da Nintendo trouxe várias companhias sedentas por um pedaço dessa torta econômica. Não é difícil se deparar com ports de jogos de celulares ou lançamentos que simplesmente ninguém fica sabendo.

Videogames como o GameCube e o Wii U, por não terem alcançado bons números, não sofreram tanto dessa situação. Por outro lado, tenho certeza de que a Big N não reclama nem um pouco do sucesso de seu mais recente sistema.

Com informações: Nintendo Life.

Relacionados

Relacionados