Google quer lançar o próprio ChatGPT este ano, junto de outros 20 produtos de IA

Antes um patinho feio que o Google não queria ter nada a ver, agora algo que inspira mudanças na companhia; o ChatGPT realmente incomodou

Ricardo Syozi
Por

Você vê que algo é relevante quanto faz uma empresa como o Google se mexer na cadeira. É o que está acontecendo com o ChatGPT, um chatbot que usa inteligência artificial para responder diversas questões do usuário. Seu crescimento em popularidade é tão grande que a gigante de buscas começou a planejar a sua própria versão da tecnologia. Dessa forma, uma demo pode surgir ainda em 2023.

Inteligência artificial (Imagem: Unsplash / Andrea De Santis)
Inteligência artificial (Imagem: Unsplash / Andrea De Santis)

O ChatGPT foi lançado em novembro de 2022 pela OpenAI, uma empresa que desenvolve e pesquisa inteligência artificial. Não demorou nada para a tecnologia ganhar enorme popularidade, com produtos distintos surgindo de vários lugares.

Com isso, o Google passou a prestar mais atenção na novidade. Conforme a matéria do New York Times, a companhia deseja lançar uma versão própria do chatbot. Para isso, os fundadores Larry Page e Sergey Brin participaram de várias reuniões em dezembro de 2022 para oferecer conselhos e ideias sobre os usos da IA.

Há relatos de que a marca planeja realizar uma demonstração de uma versão de sua ferramenta de buscas com recursos de chatbot ainda em 2023. Além disso, cerca de 20 projetos que utilizam inteligência artificial também poderão ser revelados nos próximos meses.

Mesmo sem uma data oficial para essas apresentações, o Google pode surgir com alguma novidade em seu evento anual que ocorrerá em maio. Não me surpreenderia se a demo desse às caras.

Código em Python escrito pelo ChatGPT (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Código em Python escrito pelo ChatGPT (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Google mudou de ideia sobre ChatGPT rapidamente

Vamos voltar no tempo para dezembro de 2022. Alguns executivos da gigante de buscas disseram que a tecnologia do chatbot da OpenAI era muito “imatura para colocar na frente dos usuários”.

Segundo a CNBC, o CEO da Alphabet (dona do Google), Sundar Pichai, e o chefe de IA, Jeff Dean, apontaram que os modelos de linguagem de inteligência artificial da empresa são tão capazes quanto as do ChatGPT. Contudo, eles tiveram que ser mais conservadores, pois haveria riscos para a reputação da marca.

Outro ponto é que o Google percebeu a tecnologia podia colocar seu modelo de negócio em risco, pois o chatbot poderia roubar espaço da ferramenta de buscas.

Bom, isso não demorou muito para mudar.

Na manhã da sexta-feira (20), a Alphabet anunciou que vai demitir 12 mil funcionários ao redor do mundo. As principais razões são a mudança na realidade econômica e a “grande oportunidade” que está na frente da companhia. Podemos definir essa oportunidade como “investimentos em IA”.

A mudança de foco é um sinal claro de que a gigante de buscas está realmente preocupada.

Com informações: The Verge.

Relacionados

Relacionados