Após xingar, ameaçar e vazar dados de cliente, CEO da Hurb renuncia

João Ricardo Mendes, um dos fundadores da Hurb, diz que seu comportamento prejudica a empresa; turistas vêm tendo problemas com voos e hospedagem

Giovanni Santa Rosa
Por
Hotel
Hotéis têm recusado clientes da Hurb (Imagem: Ciudad Maderas/Unsplash)

A crise na Hurb tomou novas proporções nos últimos dias. João Ricardo Mendes, CEO da empresa, gravou um vídeo em que xinga um cliente que teve sua viagem cancelada. Logo em seguida, ele compartilhou os dados pessoais do consumidor em um grupo de WhatsApp. Nesta segunda-feira (24), o executivo deixou o cargo.

Em carta publicada no Instagram da Hurb, Mendes diz que os recentes acontecimentos são erros seus, não da companhia. Ele ainda avalia que seu comportamento enquanto “pessoa física” prejudica muitas pessoas.

Em outro trecho da carta de renúncia, o CEO afirma precisar de uma folga para lamentar o falecimento da mãe, ocorrido há 18 meses. “Me ‘enganei’ achando que manter a cabeça ocupada com o trabalho resolveria essa minha questão pessoal”, escreve.

A partir de terça-feira (25), quem assume o posto de CEO é Otávio Brissant, atual General Council. A equipe de liderança votará em um nome para o cargo de COO (diretor de operações).

Xingamentos e vazamento de dados

Os “recentes acontecimentos” a que Mendes se refere são vídeos que circularam em redes sociais.

Nas gravações, feitas pelo próprio CEO, ele liga para um cliente que teve sua viagem cancelada. Mendes diz que “puxou a capivara toda” do consumidor e que alguém “vai bater na sua casa ainda hoje”. O executivo também xinga e ofende o consumidor: “não sabe nem falar”.

Não parou por aí. Em um grupo de WhatsApp criado por clientes, Mendes compartilha dados pessoais do cliente. Outra pessoa pede para ele apagar, mas o CEO diz que “é para quem quiser passar trote”.

Hotéis acusam Hurb de calote, e clientes ficam sem viajar

Nos últimos meses, vários turistas tiveram problemas com a Hurb. Em abril, hotéis de Pernambuco e do Rio de Janeiro não aceitaram hóspedes com pacotes comprados por meio da empresa. Eles acusam a Hurb de não pagar as reservas.

Na ocasião, Mendes disse que condições macroeconômicas prejudicaram a empresa, mas a culpa era deles mesmo assim.

Mesmo assim, ele disse que problemas desse tipo iriam se repetir, por causa da expansão dos negócios. “Se a gente parar de errar, é porque a gente parou de crescer”, declarou o CEO.

Não foi a primeira vez que a Hurb deu dor de cabeça para seus clientes.

Em agosto de 2022, turistas que compraram pacotes com datas flexíveis em 2020, no período mais crítico da pandemia, não conseguiam viajar nos períodos previstos.

A empresa alegou dificuldades para encontrar tarifas promocionais e chegou a ter uma alta de 75% nas queixas mensais no Procon.

Com informações: O Globo

Relacionados