EUA não devem renovar licença temporária da Huawei

Licença que permite à Huawei negociar com empresas americanas em casos específicos termina em novembro

Paulo Higa
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
Huawei Mate 30 e 30 Pro

A Huawei segue na lista negra dos Estados Unidos, mas possui uma licença temporária que permite à empresa chinesa fazer negócios com companhias americanas em casos bem específicos. Essa licença foi concedida em maio por 90 dias, mas depois foi renovada até 19 de novembro. Desta vez, os Estados Unidos não devem mais estender o prazo.

Segundo a Bloomberg, além de estar planejando não renovar a licença, o governo americano não descarta aumentar as punições para aliados que se recusarem a banir a Huawei de suas redes 5G. O secretário adjunto de segurança cibernética do Departamento de Estado, Rob Strayer, não disse quais seriam as punições, mas elas normalmente afetam os acordos de compartilhamento de dados de inteligência entre países.

A licença temporária da Huawei é bem limitada, e libera apenas as seguintes atividades:

  • manutenção e suporte de redes móveis e equipamentos da Huawei já existentes e totalmente operacionais;
  • suporte a celulares Android, incluindo atualizações de software ou correções de segurança, para aparelhos disponíveis ao público até 16 de maio de 2019;
  • divulgação de vulnerabilidades de segurança em produtos da Huawei, incluindo redes móveis e celulares;
  • envolvimento com a Huawei através de um órgão de padrões — como o ITU, 3GPP e GSMA — para desenvolvimento do 5G.

Repare que a licença temporária não permite que a Huawei instale redes 5G nos Estados Unidos ou mesmo utilize peças de empresas americanas em seus equipamentos. Para alívio dos chineses, a Huawei já consegue produzir estações rádio base de 5G sem depender de componentes americanos e espera atingir uma produção de 1,5 milhão de ERBs em 2020, mais que o dobro das 600 mil previstas para este ano.

No entanto, a situação na divisão de eletrônicos de consumo permanece indefinida. O P30 Pro foi lançado antes das sanções americanas e não é afetado, mas o Mate 30 não pode vir com aplicativos do Google pré-instalados. A Huawei planeja lançar o novo topo de linha com bootloader desbloqueado para facilitar a instalação da suíte do Google por outros meios, mas ainda não revelou quando ou se o celular será vendido fora da China.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados