Foto por Michele Ursino/Flickr

Parece que nada é capaz de abalar o domínio do Chrome, mas não dá para negar que a Mozilla vem se esforçando — e muito — para aumentar a participação do Firefox no mercado. Depois de acelerar o navegador com o projeto Quantum, a organização agora tenta torná-lo mais seguro. Para isso, vai adicionar ao Firefox proteção contra mineração oculta de criptomoeda e facilitar o bloqueio de rastreamento.

2017 foi um ano bastante agitado no universo das moedas digitais e, desde então, muita gente tem recorrido a táticas nefastas para faturar alguma coisa com mineração, incluindo inserir ou acionar scritps para esse fim em extensões e páginas web, prática que ficou conhecida como cryptojacking.

O maior problema desses scripts é que eles consomem recursos do computador ou dispositivo móvel de modo bastante discreto. Às vezes, o usuário até percebe que o equipamento está gastando mais energia do que o habitual ou que o tráfego de dados aumentou, mas nem imagina que a causa é um processo de mineração de criptomoedas executado em segundo plano sem o seu consentimento.

A Mozilla vai atacar esse problema incluindo uma função nativa de bloqueio de scripts de cryptojacking no Firefox. O recurso fará parte da proteção contra rastreamento que o navegador já possui (Tracking Protection). Na interface de configuração, o usuário poderá escolher quais tipos de scripts abusivos deseja bloquear. Scripts de mineração estarão entre eles.

Firefox - tracking

Não é uma ideia nova. O Opera já tem bloqueador nativo de cryptojacking, inclusive na versão móvel. A Mozilla havia sinalizado intenção de disponibilizar uma proteção similar, só não tinha deixado claro para quando. Agora sabemos que o recurso vai ser implementado oficialmente no Firefox 63, a ser lançado até outubro.

Por que não uma data mais próxima? Uma das razões, provavelmente, é o fato de o recurso não ser isolado: ele fará parte de uma série de mudanças. Começa pela proteção contra rastreadores. O bloqueio já era possível em abas privativas e, a partir do Firefox 57, passou a estar disponível no modo convencional de navegação. Porém, a funcionalidade não vem ativada por padrão.

Está nos planos facilitar a ativação do Tracking Protection ou, ao menos, deixá-lo mais visível. Para tanto, a Mozilla promoverá mudanças na interface que incluem acesso ao recurso a partir do menu principal ou por meio da caixa de informações sobre o site que aparece na ponta esquerda da barra de endereços.

Firefox - prévia

As novidades não terminam aí. A Mozilla também pretende facilitar o acesso à função de apagar cookies e outros dados de navegação, além de fazer o Firefox bloquear fingerprinting: trata-se de um técnica relativamente antiga que combina dados de softwares, plugins e afins para monitorar atividades específicas do usuário. Com isso, é possível exibir anúncios segmentados, por exemplo.

Os novos recursos de segurança poderão ser conferidos previamente no Firefox Nightly (versão de testes).

Com informações: Bleeping Computer.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados