Google faz mais demissões e seguirá lento nas contratações

Empresa está demitindo funcionários da área de recrutamento; medida confirma que Google seguirá ritmo lento de contratações por mais tempo

Felipe Freitas
Por
Google (Imagem: Vitor Páduo/Tecnoblog
Google faz novo corte e seguirá com poucas contratações (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Meses depois das ondas de demissões das Big Techs, o Google iniciou mais uma rodada de desligamento na empresa. Dessa vez, “centenas” de funcionários da área de recrutamento serão cortados da companhia. A demissão desses empregados mostra que o Google irá seguir o corte de gastos e dará um tempo nas contratações.

Em janeiro deste ano, a empresa do buscador fez um “layoff” (que podemos traduzir como demissão em massa ou “passaralho”) de 12 mil funcionários. O motivo dado pelo Google para essas demissões foi a “mudança de cenário econômico”. Na época, outras big techs, como Microsoft, Amazon e Meta, também realizaram passaralhos.

Novas demissões estão relacionadas com cortes anteriores

Enquanto o corte de 12 mil empregados estava relacionado a queda na receita de propagandas (um dos motivos foi as mudanças nas políticas de anúncios da Apple), essa nova leva de demissão do Google está mais relacionada à própria redução do quadro de funcionários.

Se você eliminou 12 mil cargos, provavelmente não irá reabrir vagas enquanto a receita não subir. Logo, o gasto com o setor de recrutamento — e gestão de pessoas — não faz sentido. De acordo com a CNBC, que teve acesso à gravação do anúncio das novas demissões, os cortes afetarão a operação do Google em todo o mundo.

Google (Imagem: Pawel Czerwinski/Unsplash)
Novos cortes no Google estão ligados a demissões realizadas em janeiro (Imagem: Pawel Czerwinski/Unsplash)

Brian Ong, vice-presidente de recrutamento do Google, diz na gravação que a decisão foi tomada levando em conta “a base de contratações” que o setor recebeu para os próximos trimestres. “No geral, é o certo a se fazer”, disse Ong.

Assim como aconteceu em janeiro, o Google prometeu manter os benefícios dos funcionários demitidos por mais alguns meses. No início do ano, a empresa chegou a pagar os planos de saúde dos ex-empregados por mais seis meses.

Com informações: Semafor, CNBC e Ars Technica

Receba mais sobre Google na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados